A LIBERDADE É AMORAL

Local de discussão livre sobre todos os temas sociais.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 SÓCRATES - O INGENHERO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4 ... 10, 11, 12  Seguinte
AutorMensagem
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qui Set 03, 2009 11:49 am

José Sócrates é homossexual ou não?

A Democracia exige informação.

Muitas são as dúvidas sobre que o Primeiro Ministro, José Sócrates, é homossexual .

Muitos portugueses se interrogam.

Na internet cada vez são mais os que se questionam. Vários blogues, como http://www.wehavekaosinthegardan/ põem sempre Sócrates vestido como mulher.

Os portugueses precisam de saber se José Sócrates é homo ou heterossexual.

Ele que responda.

Ratio essendi : Os portugueses têm de saber se votam num homossexual ou num heterossexual.
As suas posições sobres as uniões de facto e quejandos exigem-no.

Nada mais.

E não venha José Sócrates perorar sobre liberdade, porque Portugal não pode estar na mão dos homos!

José Sócrates tem de se definir publicamente.

(José Maria Martins)
Voltar ao Topo Ir em baixo
JUKA
Convidado



MensagemAssunto: Socrates e mutamaxo   Qui Set 03, 2009 7:26 pm

Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qui Set 03, 2009 8:04 pm

(Retirado de: http://doportugalprofundo.blogspot.com/ )

O Dossiê Sócrates: o livro

1.499 exemplares do livro descarregados (downloads) em menos de 24 horas da publicação (nota escrita às 12:39 de 3-9-2009).

Para download gratuito: clique aqui, grave o ficheiro e só depois abra*.
Para comprar o livro impresso (14,95 € + 6,08 € de portes): clique aqui.

Com factos novos e documentos inéditos descobertos, publico em livro "O Dossiê Sócrates". Este livro contém o revisto trabalho de investigação publicado no blogue Do Portugal Profundo sobre o percurso académico do primeiro-ministro José Sócrates - e ainda uma introdução sobre o contexto da investigação e um epílogo onde são revelados factos e documentos novos (não publicados no blogue), entretanto destapados. São ao todo 405 páginas, das quais 251 correspondem aos posts revistos publicados no blogue e o resto a material novo.

Trata-se de um trabalho que comecei após o período de nojo do inquérito judicial aberto por queixa do "primeiro-ministro enquanto tal e cidadão" José Sócrates, que terminou em Janeiro de 2008, como se sabe, com o arquivamento da queixa e a não apresentação, pelo queixoso, de acusação particular contra mim. Reuni os posts que publiquei sobre o caso e, pacientemente, fui explorando novos caminhos de pesquisa para descobrir e esclarecer novos factos, que me pareceram ser importantes do conhecimento público, sobre o percurso académico (que constitui vida pública) do primeiro-ministro de Portugal.

Por ser importante, revelo abaixo a saga da publicação de mais um livro proibido e a necessidade de recurso à publicação nos EUA (na Lulu.com) para vencer os bloqueios da publicação em Portugal.

Comunicado ao o grupo editorial Leya o meu propósito de edição do livro, recebi no próprio dia a manifestação do interesse na publicação. Apresentei o conjunto de posts que compôem a II Parte do livro e o interesse da editora manteve-se - e cresceu quando depois entreguei a I Parte (a Introdução) na qual contava o contexto da pesquisa e as vicissitudes do afrontamento do poder quase-ditatorial do Governo. Paralelamente, trabalhei ao longo de meses no desenvolvimento do livro, e investigando os novos factos. Até que, em 27 de Fevereiro de 2009, entreguei à Leya uma versão preliminar da III Parte (a Conclusão) do livro, com a descrição de alguns factos novos e a interpretação de documentos inéditos. A insistência constante da editora para que eu terminasse o livro foi substituída por um silêncio absoluto: nem mais um pio. Nunca mais se atendeu o telefone, nem se respondeu aos mails, nem às mensagens. Nem, estranhamente, sequer se correspondeu ao pedido legítimo e formal de devolução do material entregue. Nada.

Contactei outras editoras, mas também não tive êxito na edição do livro. Uma delas - aparentemente insuspeita... - nem sequer respondeu ao mail que lhe enviei. E outra também recusou. Finalmente, já no final de Julho de 2009, uma editora mostrou-se interessada, oferecendo-me a possibilidade de colocar o livro para download pago e eu fazer o co-financiamento da edição impressa (co-financiamento que se destinava a prevenir o risco do bloqueio da distribuição e venda em prazo útil). Alguém, do meio, explicou-me depois a dificuldade e receio de, no Portugal socratino, uma distribuidora fornecer, e as cadeias de livrarias e superfícies comerciais exporem e porem à venda, um livro intitulado... "O Dossiê Sócrates"...

Frustrada a tentativa de edição tradicional em tempo útil, sem meios para o co-financiamento da edição impressa, sem interesse numa versão digital paga, e sem a difusão natural e distribuição corrente nos pontos de venda, decidi contornar o obstáculo da edição, distribuição, exposição e venda, com a publicação integral gratuita do livro em linha e a possibilidade de compra para os leitores que queiram ler e ter o livro impresso. O valor de compra do livro impresso cobre apenas o custo da edição, e com os portes, não é superior ao preço de edições similiares no mercado. Escolhi propositadamente um tamanho de papel mais longo, o qual permite um custo baixo (14,95 euros + 6,08 euros de portes = 21,03 euros). Podia cobrar também pela edição digital; porém como o meu objectivo não é económico, mas político, o livro fica disponível para o download gratuito dos leitores. As duas modalidades estão disponíveis na Lulu.com. Creio que a alternativa que escolhi responde à máxima difusão possível e conveniência dos leitores.

Recomendo aos leitores, pelos motivos conhecidos, a precaução de obterem rapidamente o livro (na versão digital gratuita ou na versão impressa paga). Antes que seja tarde...

O livro, como explico na Introdução, é o produto do trabalho desinteresseiro de muitos cidadãos que colaboraram na investigação e apoiaram o esforço e ousadia. Estou obrigado a todos os que ajudaram nesta missão e contribuiram para este projecto. Portugal vale bem os nossos riscos. Deus vos abençoe.

* Se não gravar o ficheiro após o download, a sua abertura pode ser mais difícil. Por isso, primeiro grave o ficheiro no seu computador e só depois abra o ficheiro para o ler. Por condcionamento da Lulu.com, a versão digital deste livro é igual à versão em papel.

Actualizações: este post foi actualizado às 23:27 de 2-9-2009 e 12:39 e 14:01 de 3-9-2009.

Limitação de responsabilidade (disclaimer): Nenhuma personalidade, e nomeadamente José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, referida no livro "O Dossiê Sócrates", é ali acusada do cometimento de qualquer ilegalidade ou irregularidade.
José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa não é arguido no caso do Dossiê do diploma, nem, que se saiba, noutro caso.
Quando na situação de arguido, todas as pessoas gozam do direito constitucional à presunção de inocência até ao eventual trânsito em julgado de sentença condenatória, pelo que ali não é assacada, a quem esteja nessa situação, qualquer culpa ou sequer juízo de valor pela sua eventual conduta nos factos alegados que ali se relatam.

Publicado por António Balbino Caldeira em 9/02/2009 01:34:00 PM
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Sab Set 05, 2009 11:31 am

O Pagamento Especial por Conta foi criado pelo Governo Socialista de António Guterres - Uma machada nas PMEs

O PSD no seu programa aponta no sentido de acabar com o "Pagamento Especial Por Conta".

Tem havido vozes que, de forma totalmente falsa , dizem que quem criou o "Pagamento Especial Por Conta" foi Manuela Ferreira Leite.

Totalmente falso.

Quem criou o "Pagamento Especial Por Conta" foi o Governo de António Guterres, o tal que fugiu do "Pântano", que aditou ao Código do Imposto Sobre Rendimentos das Pessoas Colectivas (o IRC) o artº 83º A, prevendo o "Pagamento Especial Por Conta", o Dectreo-Lei nº 44/98.

Para consultar o referido Decreto-Lei faça o seguinte:

1 - Vai ao site http://dre.pt/.
2 - Depois de aceder ao site clicar em "diplomas numerados",;
3 - Escrever Decreto-Lei;
4 -E, em baixo escrever 44/98.
5 - Depois abrir o diploma.

No referido Decreto-li vê-se a norma que criou o "Pagamento Especial Por Conta".

Como se sabe este "Pagamento Especial Por Conta" introduziu injustiças muito grandes e foi a razão de ser de muitas empresas terem tido dificuldades e encerrado.

E contribuiu para muitos desempregos e para estragar a vida a muitos comerciantes tradicionais.

Verdade acima de tudo.

Castigar a mentira e o PS é um dever dos portugueses.

Votar em qualquer outro partido uma prova de inteligência.

Por Portugal!

(José Maria Martins)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Dom Set 06, 2009 10:26 am

Vende-se terreno ao lado de Espanha com 3 frentes e com as seguintes características:

1) Bons acessos

2) Viabilidade de construção em cima do mar (já não há mais onde construir)

3) Alto défice

4) Corrupção total

5) Povo com memória curta e que perdoa tudo

6) Empresários formados em fuga ao fisco

7) Jornalistas comprados

Na compra deste pedaço de terra, ainda oferecemos:

a) Package de políticos incompetentes;
b) Conjunto de organismos públicos super lotados e com reforma garantida para os seus funcionários;
c) Viagens “à lá gardére” para os deputados;
d) Reformas chorudas por apenas dois mandatos de deputado;
e) Em caso de aperto pode fugir para o estrangeiro e obter altos cargos.

Urgência na venda devido a risco de colapso do edificio.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Dom Set 13, 2009 7:31 pm

Um PS desnorteado passa ao ataque à Madeira e aos madeirenses - Um Governo próprio de uma ditadura, demagogo e panfletário.

Todos sabemos que o PS domina a Maçonaria.
Sabe-se que nos serviços secretos portugueses estão alguns membros proeminentes das Maçonarias.
O PS e o Governo têm um domínio tentacular do Estado.
Perante a óbvia, manifesta, à vista de toda a gente, clara, cristalina, sem qualquer possibilidade de desmentidos , INGERÊNCIA NA TVI, o Governo e o PS usam as manobras de diversão, de contra-informação, bem ao estilo da PIDE e de todos os serviços secretos e polícias políticas.
O PS então fez e faz da Região Autónoma da Madeira o seu alvo,o seu "main target" para tentar desviar as atenções.
O ataque ao Dr. Alberto João Jardim - um dos políticos que mais afrontou a ditadura do PS e disse, com todas as letras, o que pensava de José Sócrates - é uma manobra de diversão, politiqueira.
O mesmo PS que não minimiza os elogios a Hugo Chavez, a Kadafy, a José Eduardo dos Santos, o mesmo PS que entendia que Ceausescu , da Roménia, um ditador sanguinário era um "democrata" , este mesmo PS ataca o Povo da Madeira e as suas instituições democráticas!

É uma atitude aviltante para os portugueses que nascem, vivem e votam na Madeira , e que têm dado consecutivas maiorias absolutas ao PSD.
O PS nacional, carreirista, anti-democrático, maçónico, incompetente, que:
1 - Manda polícias da PSP aos sindicatos controlarem as manifestações;
2 - Que manobrou no caso Casa Pia como uma máfia da Sicilia;
3 - Que vai controlando os processos judiciais que atingem os seus membros, usando a Maçonaria e o poder dos Conselhos Superiores das Magistraturas;
4 - Que processou disciplinarmente o Prof. Charrua por delito de opinião;
5 - Que processa jornalistas por terem tecido opinião contrária a Sócrates;
6 - Que processa jornalistas da TVI por fazerem o seu trabalho e para os controlar;
7 - Que tem membros que dizem : "estou-me cagando para o segredo de justiça";
8 - Que tem membros que dizem, referindo-se a poícias e a magistrados: "Porrada em cima deles"; que atacam os magistrados dizendo que é necessária uma medida "brutal" na magistraturas, e que influenciou outros lideres políticos como Louçã para "levantar barricadas" contra magistrados e polícias!?;
9 - O mesmo PS que tem membros que queriam, em 2003, criar uma lei igual à Lei de Verdade e Reconciliação da África do Sul, para o caso Casa Pia, o que significava a amnistia para os acusados de pedófilia naquele caso e noutros, a imunidade total, como Paulo Pedroso defendeu em entrevista de Outubro de 2003 , logo que saiu da prisão, ao Expreso e ao Público;
10 - O mesmo PS cujo Secretário-geral e PM José Sócrates participou crminalmente contra o Prof. António Balbino Caldeira, por delito de opinião, para o condicionar e se vingar;
11 - Que deu à Liscont por mais 34 anos a exploração do Terminal de Contentores de Alcântara, sem concurso público e com beneficios enormes para a Liscont e prejuízos enormes para o Estado, como o Tribunal de Contas bem assinalou, no Relatório nº 26/2009, cuja cópia possuo;
12 - Que destruiu a economia, que atacou a classe média e as famílias,que destruir o emprego e que recorre à ameaça às pessoas para as condicionar no seu trabalho;
13 - Que mandou para o fundo do poço Portugal.

O ataque a Alberto João Jardim é um ataque ao Povo Madeirense que o vai levando cada vez mais para uma situação de Independência.
Mesmo a miserável tecla, batida sem conta, de que os madeirenses vivem à custa do Orçamento é um enxovalho para os madeirenses e para a Democracia portuguesa.
Alberto João Jardim tem alguns defeitos? Claro, todos temos!
Alberto João Jardim às vezes é violento em excesso? Claro, tem a sua personalidade

Mas amanhã o PS diz o mesmo dos Alentejanos, dos Ribatejanos, dos Algarvios.
O único problema é que o PS não consegue ganhar Câmaras na Madeira, nem ganhar o Governo e então ataca os madeirenses e Alberto João Jardim.
Mas esquece-se dos portugueses que na Venezuela, muitos deles madeirenses, estão a ser massacrados pelo Governo de Hugo Chavez.
Mas dizer-se que não há democracia na Madeira é uma afronta euma mentira enorme.
Eu conheço bem a Madeira e tenho lá familiares e sei que não há falta de democracia na Madeira.
A PJ, a PSP, os tribunais , as Forças Armadas funcionam na Madeira.
Há até um Presidente de Câmara preso.
Porque não há Democracia?
Porque o PS não consegue ganhar na Madeira! Só por isso e para manobras de diversão, alimentadas também por algumas pessoas que são pagas para escreverem assim e tentarem afastar as atenções da gravissima situação no Continente.

O Governo de José Sócrates atacou a Madeira como ninguém. Através da alteração da Lei das Finanças Regionais queis asfixiar a Madeira e seu goveno regional.
José Sócrates enquanto PM fugiu da Madeira.
José Sócrates teve uma vaia monumental no Estádio da Luz;
José Sócrates foge do contacto com o Povo, na rua, nas aldeias, nas vilas, nas cidades.

José Sócrates está um verdadeiro fugitivo político, com medo de ser vaiado onde vai.
José Sócrates já só se sente bem onde sabe que tem os correligionários. Nos jantares e almoços partidários. Nas televisões.

Sócrates foge do Povo , do contacto directo.

Porque sabe que é vaiado.Porque sabe que não é querido. Porque tem medo do Povo.

No debate com Sócrates Manuela Ferreira Leite deve:
- Tratar Sócrates por PM e nunca por "engº";
- Dizer, com todas as letras, que ele é o responsável pelo ataque à liberdade de opinião e de imprensa em Portugal;
- Que ele destruiu Portugal e não tem credibilidade;
- Que ele está pior que Salazar, tem medo de enfrentar o Povo na rua;
- Que ele tem pactuado com negócios ruínosos para o Estado;
- Que ele atacou o sistema nacional de saúde fechando urgências, serviços de atendimento permanente, maternidades e que vergonhosamente manda as portuguesas parir a Badajoz, uma afronta para D. Afonso Henriques e todos os portugueses que se lhe seguiram, a nós;
- Que ele,Sócrates, é um demagogo e panfletário.
- Que morreram pessoas por falta de atendimento médico, em Anadia, em Ferreira do Alentejo e noutros locais.

Manuela Ferreira Leite tem de ser decidida, combativa, tem de enfrentar nos olhos Sócrates e pôr em evidência que com o PS e Sócrates Portugal tornou-se um Estado ainda mais periférico, mais atrasado, com menos esperança que antes.

Por Portugal.

(José Maria Martins)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Dom Set 13, 2009 7:37 pm

(Debate na Sic entre Manuela Ferreira Leite e José Sócrates)

Sócrates: Você (MFL) fala da verdade e a candidatura do Jardim é falsa porque ele é candidato a deputado e não vai exercer.

Manuela F Leite: Você não sabe o que diz. Se a candidatura de Jardim é falsa a sua e a minha também são, pois um de nós vai ser primeiro-ministro e não vai exercer a função de deputado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Ter Set 15, 2009 1:40 pm

José Sócrates, de 47 años, es el primer socialista con mayoría absoluta en el Parlamento de Lisboa desde la revolución de los claveles, en 1974. El próximo martes viaja a Madrid para reunirse con el presidente José Luis Rodríguez Zapatero y con hombres de negocios españoles, porque su Gobierno, asegura, tiene "tres prioridades en materia de política exterior: España, España y España"

(El Pais)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qui Set 17, 2009 5:56 pm

José Sócrates - O homem e o líder (Biografia não autorizada)

Autor: Rui Costa Pinto
ISBN: 978-989-95965-5-9
Edição: Setembro/2009
Colecção: MAIS INVESTIGAÇÃO
Editora: Exclusivo Edições

– «E tu acreditas?».
Foi a pergunta que José Sócrates me fez, insistentemente, durante uma longa e tardia conversa que se foi revelando tensa, muito tensa.
Na última semana de Janeiro de 1999, mais precisamente no dia 28, uma quinta-feira, fui incumbido de telefonar ao então ministro adjunto do primeiro-ministro para o confrontar com o resultado de um pré-inquérito da Polícia Judiciária.
(...) José Sócrates nunca deixou em mãos alheias a iniciativa de evitar a publicação de uma notícia. Os telefonemas, as ameaças e as pressões multiplicaram-se até altas horas da madrugada seguinte, depois de lhe ter telefonado.
Há mais de dez anos, já era assim.
O resultado foi surpreendente: a notícia foi adiada, apesar de ter chegado a estar planeada e paginada para mais uma manchete. (...)»


A biografia – não autorizada – de José Sócrates revela a vida académica, profissional, partidária, política e governamental do “homem” e do “líder”.

É um caminho com 52 anos que começou em Vilar de Maçada, Alijó, e culminou no topo do poder Executivo, no palácio de São Bento, em Lisboa, depois de obter a primeira maioria absoluta do Partido Socialista, em 20 de Fevereiro de 2005.

Com sucessos e derrotas, sempre marcado pelas cartas anónimas e suspeições de envolvimento em casos de corrupção, tráfico de influências e paraísos offshore, por ora nunca comprovados na justiça, nem até ao momento cabalmente esclarecidos em termos de opinião pública.

Desde 1995, o desempenho de altas funções de Estado ficou ensombrado por dossiês polémicos – Cova da Beira e licenciamento do empreendimento comercial “Freeport” –, entre outros assuntos e negócios privados e de Estado.

Rui Costa Pinto revela novos factos sobre a investigação que envolve o nome próprio do primeiro-ministro de Portugal mais escrutinado de sempre.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qui Set 17, 2009 6:23 pm

Adeus, animal feroz

“É natural que o senhor presidente do Conselho se tenha sentido como um peixinho fora de água nestes debates eleitorais”.

As audiências dos dez debates televisivos entre os cinco líderes partidários superaram as melhores expectativas e vieram dar razão aos que sempre defenderam a sua importância nestes tempos conturbados de crise económica e social. Os indígenas mostraram aos políticos que estão atentos e preocupados. Os indígenas sabem que a vidinha está cada vez mais difícil e, naturalmente, querem ouvir muito bem o que os políticos têm para lhes oferecer nos próximos quatro anos. Depois do êxito dos debates é natural que jornais, rádios e televisões apostem forte nestas duas semanas de campanha eleitoral.

E depois do êxito dos confrontos televisivos entre os cinco líderes parlamentares é legítimo esperar que a abstenção no dia 27 seja anormalmente baixa. Razão tinha o senhor presidente do Conselho e secretário-geral do PS quando fez tudo o que podia e não podia para fugir aos debates. É natural. Depois de quatro anos e meio de passadeiras vermelhas, muito espectáculo e muita propaganda, sozinho no palco e com uma poderosa máquina estatal atrás de si, o senhor presidente do Conselho temia o confronto com os adversários políticos em pé de igualdade, algo que detesta genuinamente porque vai contra a sua natureza e o seu carácter. Autoritário, arrogante, convencido, animal feroz, com empresários aos seus pés na busca de negócios chorudos, senhor todo-poderoso de um sítio que deixou mais pobre, mais deprimido, cheio de mentirosos, de larápios e, obviamente, cada vez mais mal frequentado, é muito natural que o senhor presidente do Conselho e secretário-geral do PS se tenha sentido como um peixinho fora de água nestes debates eleitorais.

E, como se viu no sábado à noite, no final do frente-a-frente com Manuela Ferreira Leite, o homem vai andar pelas terras do sítio a lacrimejar, a fazer--se de vítima, a dizer aos indígenas que não passam de uma turba de mal-agradecidos. Sim, porque o senhor presidente do Conselho andou estes quatro anos e meio a pensar unicamente no bem do sítio e dos desgraçados que, para mal dos seus pecados, o têm de aturar. É verdade. Na perspectiva do senhor presidente do Conselho, os indígenas teriam de sair para as ruas a venerá-lo, a agradecer-lhe comovidos o seu esforço, a sua arte, o seu engenho e o enorme sacrifício que andou a fazer nestes quatro anos e meio. Mas pode ser que os indígenas respondam à letra à sua enorme charlatanice e lhe ofereçam umas justas e longas férias, longe da vista e do coração.

António Ribeiro Ferreira, Jornalista
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Sex Set 18, 2009 9:01 pm

DIFICULDADE DE GOVERNAR

Todos os dias os ministros dizem ao povo como é difícil governar.
Sem os ministros o trigo cresceria para baixo em vez de crescer para cima.
Nem um pedaço de carvão sairia das minas se o chanceler não fosse tão inteligente.
Sem o ministro da Propaganda mais nenhuma mulher poderia ficar grávida.
Sem o ministro da Guerra nunca mais haveria guerra.
E atrever-se ia a nascer o sol sem a autorização do Führer?
Não é nada provável e se o fosse ele nasceria por certo fora do lugar.

É também difícil, ao que nos é dito, dirigir uma fábrica.
Sem o patrão as paredes cairiam e as máquinas encher-se-iam de ferrugem.
Se algures fizessem um arado ele nunca chegaria ao campo sem as palavras avisadas do industrial aos camponeses.
Quem, de outro modo, poderia falar-lhes na existência de arados?
E que seria da propriedade rural sem o proprietário rural?
Não há dúvida nenhuma que se semearia centeio onde já havia batatas.

Se governar fosse fácil não havia necessidade de espíritos tão esclarecidos como o do Führer.
Se o operário soubesse usar a sua máquina e se o camponês soubesse distinguir um campo de uma forma para tortas não haveria necessidade de patrões nem de proprietários.
É só porque toda a gente é tão estúpida que há necessidade de alguns tão inteligentes.

Ou será que governar só é assim tão difícil porque a exploração e a mentira são coisas que custam a aprender?

(Bertold Brecht)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Dom Set 20, 2009 4:49 pm

Como se fazem os Concursos Públicos em Portugal!....

Um Presidente de Câmara queria construir uma ponte e, para esse efeito, foi aberto um concurso público. Concorreram três empreiteiros: um Espanhol, um Americano e um Português:

Proposta do Espanhol: 3 milhões de euros.
- 1 milhão pela mão-de-obra;
- 1 milhão pelo material;
- 1 milhão para lucro.

Proposta do Americano: 6 milhões de euros:
- 2 milhões pela mão-de-obra;
- 2 milhões pelo material;
- 2 milhões para lucro, mas o serviço é de primeira.

Proposta do Português: 9 milhões de euros:
-"Nove milhões?", admirou-se o Presidente de Câmara. "É demais! Porquê tanto?"
Respondeu o empreiteiro Português:
"É simples":
- 3 milhões para mim;
- 3 milhões para si;
- 3 milhões para o Espanhol fazer a obra...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Seg Set 21, 2009 2:11 pm

O Selo com Socrates!

Sócrates queria um selo com a sua foto para deixar para a posteridade o seu mandato no Governo deste país que está de tanga. Os selos são criados, impressos e vendidos. O nosso PM fica radiante! Mas em poucos dias ele fica furioso ao ouvir reclamações de que o selo não adere aos envelopes.
O Primeiro-ministro convoca os responsáveis e ordena que investiguem o assunto. Eles pesquisam as agências dos Correios de todo o país e relatam o problema.
O relatório diz:
"Não há nada de errado com a qualidade dos selos. O problema é que o povo está a cuspir no lado errado."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Ter Set 22, 2009 12:54 pm

Investigador defende que o PS é um instrumento ao serviço do seu líder

Um estudo conclui que o PS existe sobretudo em função do líder, e que a estrutura partidária está menorizada. Na comparação com o PSD, o investigador sublinha algumas diferenças

O investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, Marco Lisi, acaba de lançar em livro o estudo no qual analisa o papel dos líderes no Partido Socialista (PS). Na obra A Arte de ser Indispensável– Líder e organização no Partido Socialista português, o autor analisa as diferentes lideranças que ocorreram no partido entre 1976 e 2006 - Mário Soares, Vitor Constâncio, Jorge Sampaio, António Guterres, Eduardo Ferro Rodrigues e José Sócrates.

Cada um destes líderes teve uma postura própria que esteve intimamente relacionada com o facto do partido se encontrar no Governo ou na oposição. A grande conclusão deste estudo é que o partido não parece existir como uma entidade autónoma mas apenas como um instrumento ao serviço do líder, o qual pode recorrer aos laços directos com os filiados e com os eleitores para legitimar o seu controlo sobre a organização e sobre a acção do governo.

Segundo este estudo, o PS já alcançou um carácter personalizado, ou seja, há uma crescente identificação do partido com o seu líder. O partido age em função do sucesso do seu secretário-geral, que dispõe da estrutura partidária como de um instrumento para a conquista e manutenção do poder.

Neste sentido, o estudo perspectiva dois os desafios para o futuro do PS. O primeiro refere-se à maior vulnerabilidade do partido, sobretudo se o líder não consegue chegar ao Governo, como aconteceu durante a liderança de Ferro Rodrigues. O segundo relaciona-se com as funções desempenhadas pela organização quando o partido se encontra no Governo.

Durante a liderança de José Sócrates, a gestão do consenso interno, na opinião do investigador, revelou-se mais fácil devido à ampla maioria parlamentar. Apesar de algumas propostas terem encontrado resistências internas (por exemplo, no caso do Código do Trabalho ou do casamento dos homossexuais).

Segundo o estudo, o papel da organização partidária tornou-se irrelevante para a definição das linhas programáticas implementadas pelo Governo e para a elaboração do programa eleitoral para as eleições deste ano, que à semelhança de eleições anteriores adopta o esquema de ‘Estados Gerais’, marginalizando as estruturas partidárias. Por outro lado, é evidente que a estratégia de comunicação se baseia sobretudo numa ligação directa entre o líder socialista e os eleitores, utilizando sobretudo os meios e os recursos institucionais à disposição do Governo.

Em relação à gestão dos recursos materiais há uma crescente importância das despesas eleitorais no orçamento do partido, pois os gastos associados às campanhas aumentaram muito durante o período democrático. O autor afirma que o PS nunca teve uma capacidade significativa de auto-financiamento, tendo de recorrer a fontes externas. No entanto, a diminuição destes financiamentos acelerou a necessidade de introduzir crescentes subsídios públicos para as actividades e o partido teve de se adaptar através do reforço da capacidade de mobilização para a angariação de fundos.

(Sol)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qua Set 23, 2009 5:57 pm

Portugal foi o que mais desperdiçou fundos comunitários

Portugal perdeu no ano passado 71 milhões de euros de fundos estruturais comunitários por falta de absorção no prazo previsto, o que representa o valor mais elevado dos 27 países da União Europeia (UE), avança o jornal Público.

Deste montante, 64 milhões referem-se a ajudas agrícolas, cinco milhões a ajudas regionais e dois milhões a financiamentos na área das pescas que foram «comprometidos» em 2005 e deveriam ter sido gastos até ao fim de 2008. A perda destes fundos resulta da chamada regra N+2 que impõe a perda definitiva dos fundos que não sejam gastos num prazo máximo de dois anos a partir do ano em que foram comprometidos, explica o jornal.

A Comissão Europeia desdramatiza as perdas portuguesas, frisando que representam apenas 2% do total dos fundos que estavam previstos neste ano para o país.

(Diário Digital)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qua Set 23, 2009 6:21 pm

Sabe o Srº. Engenheiro porque perdeu O PODER Vale e Azevedo?

- Por ser desonesto? NÃO!
- Por faltar à verdade? NÃO!
- Por corrupção? NÃO!
- Por enganar? NÃO!
- Por mentir? NÃO!
- Por gestão danosa? NÃO!

Perdeu o poder apenas porque nunca deu aos adeptos a alegria de conquistarem o Campeonato Nacional!

Percebe agora Srº. Engenheiro, porque vai perder as eleições no dia 27 de Setembro de 2009?

Este povo humilde, trabalhador, honesto, ingénuo, sofredor,
crente, confiante, solidário, boa gente, apenas lhe pediram UMA PEQUENA E SINGELA ALEGRIA!

Só receberam ABANDONO, SOFRIMENTO, DÔR, SACRIFICIOS, DÚVIDA, POBREZA, DESEMPREGO, INGRATIDÃO, DESCONFIANÇA, RECEIOS, FOME, DEPRESSÃO, CHORO, RAIVA, ANGÚSTIA, INSEGURANÇA E MEDO.

Foram estes estados de alma que José Sócrates ofereceu aos Portugueses em 4 anos de Governo. Domingo, após uma psicanálise ponderada e justa, vou decretar a única sentença possivel face aos factos ocorridos na legislatura de maioria socialista:
- Um rotundo e feliz voto que conduzam o PS à OPOSIÇÃO e José Sócrates à RENÚNCIA de José Sócrates como secretário geral do Partido Socialista!

(Sol - fario)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qua Set 23, 2009 6:26 pm

O PS entrou por um caminho que só prejudica o País!
Acusar de salazarismo só tem um objectivo: fomentar o ódio e acicatar os ânimos!
O PSD já esteve várias vezes no governo e SEMPRE deu provas de ser democrata, aliás, bem mais provas que o PS!
O "cavaquismo" que tanto tem sido vilipendiado foi o iniciador da concertação social, coisa que este desgoverno demonstrou que não sabe o que é.
Quando se reúnem à mesma mesa sindicatos e patronatos é obrigatório que se façam cedências de ambos os lados, não é como fez este desgoverno que apresentava as soluções sem alternativa nem cedências!
Veja-se o caso do Código de Trabalho, Bagão Félix apresentou um e fez tantas negociações que o aprovado não tinha semelhança com o apresentado.
Este desgoverno aprovou e quem quer, quer, quem não quer deita-se ao lado!
O clima que está a ser gerado pelo governo e pela extrema-esquerda (BE) poderá ter consequências muito graves!
Só me lembro de ter vivido este clima durante o Prec!

(Sol - mulher)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Sex Set 25, 2009 8:11 pm

Um português morreu e foi para o céu. Enquanto estava em frente a S.Pedro nos Portões Celestiais, viu uma enorme parede com relógios atrás dele e perguntou:
- Para que são todos aqueles relógios?
S.Pedro respondeu:
- São Relógios para medir Mentiras. Toda a gente na Terra tem um Relógio da Mentira.
Cada vez que alguém mente, os ponteiros do seu relógio movem-se.
- Oh!! - exclamou o cidadão - De quem é aquele relógio ali?
- É o de Madre Teresa. Os ponteiros nunca se moveram, indicando que ela nunca mentiu.
- E aquele, é de quem?
- É o da Rainha de Inglaterra. Os ponteiros só se moveram dez vezes, porque ela só mentiu dez vezes até hoje.
- E onde está o relógio do José Sócrates?
- Ah! O do José Sócrates está no tecto do meu gabinete, a servir de ventoinha...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Dom Set 27, 2009 1:32 pm

O Serviço Nacional de Saúde Português...

O telefone toca e a dona da casa atende.

“Está?... Gostava de falar com a Sra. Silva, se faz favor”.

“É a própria”.

“Sra. Silva, fala o Dr. Arruda, do Laboratório de Análises Clínicas. Ontem, quando o médico do seu marido nos enviou a biopsia dele para cá, chegou-nos também uma outra biopsia de um outro Sr. Silva e nós agora não sabemos qual é a do seu marido. Infelizmente, os resultados são ambos bastante maus...”

“O que é que o senhor quer dizer com isso?”

“Bom, um dos exames deu positivo para Alzheimer e o outro deu positivo para SIDA e nós não sabemos qual é o do seu marido...”

“Isso é incrível! Não podem repetir os exames?”

“Normalmente, seria isso que faríamos, mas o Serviço Nacional de Saúde só paga estes exames caros uma única vez e por paciente...”

“Então o que é que me aconselha a fazer?”

“Bom, eu aconselhava-a a levar o seu marido para um lugar longe de casa e a deixá-lo lá ficar. Se ele conseguir encontrar o caminho de volta, não faça mais sexo com ele...”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qua Out 07, 2009 1:04 pm

Notícia confirmada pela RTPN:

“AUMENTOU O NÚMERO DE POBRES EM PORTUGAL!

... MAIS UMA RAZÃO PARA CONTINUAR A VOTAR PS!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Sab Out 10, 2009 11:55 am

Caro Sr. Primeiro-ministro

Venho por meio desta comunicação manifestar o meu total apoio ao seu esforço de modernização do nosso país. Como cidadão comum, não tenho muito mais a oferecer além do meu trabalho, mas já que o tema da moda é Reforma Tributária, percebi que posso definitivamente contribuir mais.

Vou explicar:

Na actual legislação, pago na fonte 31% do meu salário (20 para o IRS e 11 para a Segurança Social). Como pode ver, sou um cidadão afortunado. Cada vez que eu, no supermercado, gasto o que o meu patrão me pagou, o Estado, e muito bem, fica com 19% para si (31+19). Sou obrigado a concordar que é pouco dinheiro para o governo fazer tudo aquilo que promete ao cidadão em tempo de campanha eleitoral. Mas o meu patrão é obrigado a dar ao Estado, e muito bem, mais 23,75% daquilo que me paga para a Segurança Social. E ainda 33% para o Estado (50+23.75+33).

Além disso quando compro um carro, uma casa, herdo um quadro, registo os meus negócios ou peço uma certidão, o Estado, e muito bem, fica com quase metade das verbas envolvidas no caso.

A minha sugestão, é invertermos os percentuais. A partir do próximo mês autorizo o Governo a ficar com 100% do meu salário...

Funcionaria assim: Eu fico com 6.75% limpinhos, sem qualquer ónus mas o Governo fica com as contas de:

- Escola
- Seguro de Saúde
- Despesas com dentista
- Remédios
- Materiais escolares
- Condomínio
- Água
- Luz
- Telefone
- Supermercado
- Gasolina
- Vestuário
- Portagens
- Contribuição Autárquica
- IVA
- IRS
- IRC
- IA
- Segurança Social
- Seguro do carro
- Inspecção Periódica
- Taxas do Lixo, reciclagem, esgotos e saneamento
- E todas as outras taxas que nos impinge todos os dias
- Previdência privada e qualquer taxa extra que por ventura seja repentinamente criada por qualquer dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Um abraço Sr. Primeiro-ministro e muito boa sorte, do fundo do meu coração!!!

Com os melhores cumprimentos,

Ass: Um trabalhador que já não mais sabe o que fazer para conseguir sobreviver com dignidade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qui Out 15, 2009 12:07 am

MENTES FAMOSAS...

LEONARDO DA VINCI - MENTE EXCEPCIONAL

GALILEU GALILEI - MENTE EXTRAORDINÁRIA

ISAAC NEWTON - MENTE BRILHANTE

ALBERT EINSTEIN - MENTE GENIAL

JOSÉ SÓCRATES - MENTE MUITO
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qui Out 15, 2009 8:20 pm

Vocês acreditam no Pai Natal?...

Acreditam no Capuchinho Vermelho?...

E na Branca de Neve?...

Então porque é que acreditam no Sócrates?...

Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Qui Out 22, 2009 9:08 pm

A Secretária do Sócrates...

A secretária do Sócrates era apaixonada por ele, mas ele não percebia...

Um dia, depois do expediente, ela entrou na sala dele, com um vestido provocante, bem decotado, fechou a porta atrás de si, caminhou languidamente até à mesa, com ares de Monica Lewinski e propôs:

"Senhor Primeiro Ministro, vamos fazer uma sacanagem?"

"Vamos! Onde é que eu assino?"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca

avatar

Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   Sex Out 23, 2009 5:22 pm

"Deixou de fumar, começou a fazer jogging, agora corre a meia maratona. A saúde conta. Não é autoritário, nem reservado, nem austero, nem arrogante, é firme. A firmeza vem da vontade, a vontade vem da convicção. É um português que serve. Gosta mais, de resto, de servir o país nos momentos difíceis do que nos momentos fáceis. Não fala, santamente, de sacrifício. Fala, santamente, de missão.

É fiel à sua missão e não pretende outra recompensa. Sofre por vir nos jornais; como o outro, não gosta de "ser falado". Viveu sempre dividido entre a acção e "a contemplação e o pensamento".Há, dentro dele, um "permanente paradoxo". A política, no fundo, não passou de "uma soma de casualidades". Mas dará sempre "o melhor de si". Quem não ficará extasiado com este exemplo?

Um homem de família, um homem simples, que tenta ver os filhos: disciplinadamente. Um homem tolerante. Ouve as críticas. Respeita a opinião alheia e espera que respeitem a dele. Quando não está de acordo, não está: e não esquece que foi escolhido pela maioria do povo para "cumprir" o "melhor" para esse povo. "Muito obsessivo com o trabalho", não se considera um workaholic. Tem pena de não ler, por falta de tempo. No Verão, lê "obsessivamente", impelido talvez pelo seu lado contemplativo e de pensamento. Este Verão, leu três livros, dois livros de história e um romance. Admira Ortega y Gasset, "um bom filósofo", que "escreve bem". Quanto a poetas, não admira nenhuma personalidade viva, com a presumível excepção de Manuel Alegre, de que retira um indescrito "prazer".

Acredita que nada impede Portugal de se tornar um "país moderno, competitivo, com uma boa educação e com protecção social". Quer um Portugal "aberto e dinâmico". Acha Portugal "muito aberto". Reafirma que é de esquerda, como provam a Lei do Aborto e as leis da paridade e da procriação medicamente assistida. Pensa que a perspectiva socialista é a de "pôr o Estado ao serviço dos mais pobres". Sabe que ainda existem bolsas de pobreza. Insiste em que os países que controlam o défice são mais livres. Mais democráticos.

Isto o que é? Não é uma pessoa, não é um político, não é um ente reconhecivelmente humano. É uma montagem publicitária: polida, vácua, inócua. O herói de plástico, uma invenção. É José Sócrates, o primeiro-ministro".

VASCO PULIDO VALENTE
em Público de 09.12.2007
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: SÓCRATES - O INGENHERO   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
SÓCRATES - O INGENHERO
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 3 de 12Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4 ... 10, 11, 12  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A LIBERDADE É AMORAL :: GRANDES PORTUGUESES-
Ir para: