A LIBERDADE É AMORAL

Local de discussão livre sobre todos os temas sociais.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
AutorMensagem
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 01, 2010 4:21 pm

WikiLeaks revela o que os Estados Unidos pensam dos líderes mundiais

28.11.2010

Os diplomatas são conhecidos pelo tom politicamente correto de suas declarações públicas, mas documentos secretos americanos divulgados este domingo pelo site WikiLeaks revelam o que os funcionários de Washington pensam a portas fechadas.

As centenas de milhares de documentos diplomáticos secretos, divulgados pelo WikiLeaks a vários jornais do mundo revelam descrições pouco amistosas de líderes mundiais.

A seguir, veja as de maior destaque:

- Presidente da Argentina, Cristina Kirchner: o jornal El País, de Madrid, anunciou que um dos documentos recebidos do site WikiLeaks diz que o Departamento de Estado americano pediu à embaixada em Buenos Aires informações sobre "o estado de saúde mental" da presidente.

- Presidente da Venezuela, Hugo Chávez: um vice-secretário americano, Philip Gordon, recompila uma conversação com um conselheiro presidencial francês, Jean-David Lévitte, na qual o segundo disse que o presidente venezuelano está "louco" e disse que até mesmo o Brasil não podia apoiá-lo. Outro documento mostra que a diplomacia americana trabalhou para isolar o presidente venezuelano.

- Primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi: um importante diplomata o descreve como "irresponsável, vão e pouco eficaz como líder europeu moderno". Outro documento o descreve como "frágil física e politicamente", que não descansa apropriadamente por causa das festas que dá até altas horas da madrugada.

- Presidente afegão, Hamid Karzai: um documento o descreve como "extremadamente frágil" e passível de acreditar em teorias conspiratórias. Karzai mantém uma relação difícil com o presidente americano, Barack Obama.

- Líder líbio, Muammar Kadhafi: um texto diz que Kadhafi é "quase obsessivamente dependente de um pequeno núcleo de funcionários de confiança" e aparentemente não pode viajar se não o fizer acompanhado de uma "voluptuosa" enfermeira ucraniana. Acredita-se que Kadhafi tenha medo de voar sobre o mar e de pernoitar em andares altos de edifícios.

- Presidente russo, Dimitri Medvedev: apesar de ser oficialmente o chefe de Estado e chefiar o primeiro-ministro, Vladimir Putin, a embaixada americana em Moscou diz que Medvedev "é o Robin do Batman, Putin".

- Chefe de governo alemã, Angela Merkel: um documento a considera "contrária à tomada de riscos e raramente criativa". Seu ministro das Relações Exteriores, Guido Westerwelle, teria uma "personalidade exuberante", mas pouco conhecimento de política externa.

- Presidente francês, Nicolas Sarkozy: a embaixada dos Estados Unidos em Paris acredita que o presidente é "suscetível e autoritário", destacando suas críticas a colaboradores.

(AFP)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 01, 2010 4:27 pm

EUA ordenaram espionar ONU, diz Wikileaks

2811.2010

O Wikileaks divulgou documentos que indicam que os EUA ordenaram a espionagem de vários altos funcionários da ONU.

Os documentos indicariam que os Estados Unidos ordenaram a espionagem de vários altos funcionários funcionários da ONU, entre os quais o seu secretário-geral, Ban Ki-moon.

De acordo com a BBC, as informações são baseadas em comunicações realizadas entre embaixadas dos Estados Unidos no mundo.

Ainda segundo a BBC, comunicado assinado pela secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e enviado a diplomatas americanos em julho do ano passado solicita dados biométricos detalhados e informações técnicas, tais como senhas utilizadas em comunicações privadas de altos integrantes da ONU. Entre autoridades visadas estariam o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e os representantes permanentes de Grã-Bretanha, França, Rússia e China no Conselho de Segurança.

De acordo com a agência EFE, a página do americano The New York Times na internet revela que os documentos oferecem um olhar sem precedentes sobre as negociações e bastidores realizadas em embaixadas ao redor do mundo. De acordo com o periódico, os documentos, alguns de fevereiro deste ano, dão uma visão clara de líderes estrangeiros e avaliações francas de ameaças nucleares e terroristas.

O documento publicado pelo jornal britânico The Guardian diz que o rei Abdullah, da Arábia Saudita, teria pedido aos Estados Unidos para atacarem o Irã para destruir o programa nuclear daquele país.

Os documentos de embaixadas diplomáticas no Oriente Médio dão conta das frequentes exortações aos Estados Unidos para atacar o Irã e por um fim ao seu programa de armas nucleares, diz o jornal.

O monarca saudita teria pedido que os EUA “cortasse a cabeça da serpente" e afirmado que trabalhar com Washington para contrabalançar a influência iraniana no Iraque era "prioriedade estratégica para o rei e seu governo".

Já o jornal francês Le Monde publicou trechos do conteúdo de informes diplomáticos secretos ou confidenciais, relacionados à questão nuclear iraniana. De acordo com o documento publicado pelo periódico francês, Israel teria pressionado os americanos a adotarem posição mais forte em relação ao Irã em dezembro do ano passado. Dizia que negociar com Teerã não funcionava, relata o Le Monde.

Documento analisado pelo jornal francês, resultado de um telegrama americano obtido pelo WikiLeaks relata uma conversa entre Amos Gilad, diretor de assuntos políticos-militares do Ministério da Defesa israelense, e Ellen Tauscher, vice-secretária de Estado americana, em 1º de dezembro de 2009.

Gilad diz que não é certo que o Irão tenha decidido fabricar uma arma nuclear, mas que o Irão está determinado a ter a opção de construir uma, de acordo com o Le Monde.

A diplomacia americana, em outro telegrama, de 18 de novembro de 2009, afirma que um representante do Mossad (serviço secreto israelense) diz que Teerã entende que, ao reagir positivamente ao compromisso (americano), o Irão pode continuar manipulando o tempo a seu favor.

"Do ponto de vista do Mossad, o Irão não fará nada mais que utilizar as negociações para ganhar tempo. De forma que em 2010-2011, o Irão terá a capacidade tecnológica de fabricar uma arma nuclear", ressalta o telegrama, de acordo com o documento relatado pelo Le Monde.

O jornal espanhol El País, por sua vez, informa que a diplomacia americana trabalhou para que países da América Latina isolassem o presidente venezuelano, Hugo Chávez. O jornal fala em esforços da diplomacia dos EUA em cortejar países da América Latina para isolar o venezuelano Hugo Chávez.

(Info)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 01, 2010 4:29 pm

Wikileaks divulga 250 mil documentos diplomáticos norte-americanos secretos

28.11.2010

O site Wikileaks e grandes títulos da imprensa mundial revelaram este domingo 250 mil documentos diplomáticos norte-americanos, revelando os bastidores da diplomacia dos Estados Unidos, como quando Riad instou Washington a atacar o Irão.

A Casa Branca condenou logo "veementemente" a divulgação "irresponsável e perigosa" desses documentos, afirmando que a iniciativa da Wikileaks poderá colocar pessoas em perigo de vida.

"Que fique claro, tais revelações fazem correr riscos os nossos diplomatas, os membros dos serviços secretos e as pessoas de todo o mundo que apelam aos Estados Unidos para que as ajudem a promover a democracia e um Governo transparente", afirmou Robert Gibbs, porta-voz do Presidente norte-americano, Barack Obama.

Condenação semelhante surgiu do lado do Pentágono, que criticou o facto de os documentos terem sido "ilegalmente obtidos" pela Wikileaks e afirmou ter tomado medidas para evitar que o mesmo volte a acontecer.

Trata-se de "um quarto de milhão de mensagens diplomáticas norte-americanas confidenciais", escreve o diário The New York Times, ao qual a Wikileaks facultou o acesso, bem como a outros títulos de referência da imprensa mundial, como o espanhol El País, o britânico The Guardian ou o francês Le Monde.

Os documentos "oferecem uma perspetiva inédita das negociações de bastidores tais como as praticam as embaixadas em todo o mundo", observa o New York Times.

Alguns dos documentos são muito recentes, datados "do mês de fevereiro", acrescenta o diário norte-americano.

Os cerca de 250.000 documentos trazem à luz as práticas habitualmente mantidas secretas da diplomacia norte-americana sobre toda uma série de dossiers, sensíveis ou não.

O diário britânico The Guardian indica, por exemplo, no seu site, que o rei Abdallah da Arábia Saudita instou os Estados Unidos a atacarem o Irão para pôr fim ao seu programa nuclear.

Sobre o dossier iraniano, os documentos mostram que em dezembro de 2009 Israel pressionou os Estados Unidos a adotarem uma posição de firmeza em relação ao Irão, afirmando que a sua estratégia de negociações com Teerão "não funcionará", segundo um documento divulgado no site do diário francês Le Monde.

Pouco antes da divulgação desta correspondência diplomática, o dirigente da Wikileaks, Julian Assange, indicou numa videoconferência na Jordânia que os documentos secretos norte-americanos diziam respeito a "todos os grandes assuntos".

As autoridades norte-americanas avisaram mais de dez países da divulgação iminente dos documentos, entre os quais aliados estratégicos como Austrália, Reino Unido, Canadá, Israel e Turquia, e rejeitaram no sábado à noite qualquer negociação com a Wikileaks, defendendo que o site especializado detinha as informações em violação da lei norte-americana.

Sublinhando que a sua organização "tem quatro anos de experiência na divulgação de documentos", Assange declarou hoje: "Tanto quanto sabemos (...), nem um só indivíduo foi colocado em perigo após o que quer que seja que tenhamos divulgado".

(Lusa)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 01, 2010 4:33 pm

Próximo alvo da WikiLeaks vai ser grande Banco Norte-Americano

30.11.2010

As próximas revelações da WikiLeaks vão denunciar “algumas violações flagrantes” e “práticas anti-éticas” de um grande banco norte-americano. O anúncio foi adiantado pelo fundador do site, Julian Assange, numa entrevista publicada ontem na edição electrónica da revista “Forbes”.

Milhares de documentos internos de um banco dos Estados Unidos, cuja identidade não foi revelada, vão ser expostos no início do próximo ano, disse Assange numa rara entrevista, em Londres, antes de vários jornais ocidentais terem publicado, no domingo, informações sobre 250 mil documentos diplomáticos fornecidos pela WikiLeaks.

Assange levanta apenas uma ponta do véu, ficando-se a saber que cerca de 50 por cento dos documentos que o site tem em mãos para disponibilizar dizem respeito ao sector privado: “Dará uma percepção verdadeira e representativa de como os bancos actuam a nível executivo, de uma forma que vai levar a investigações e reformas”.

Trata-se daquilo a que Assange, em conversa com o jornalista da “Forbes”, concorda ser um “megaleak”.

“Normalmente, quando se obtêm fugas de informação a este nível, é sobre um caso específico ou uma violação particular”, disse, avançando apenas estarem em causa informações sobre “algumas violações flagrantes, práticas anti-éticas”envolvendo as “estruturas de decisão” da instituição bancária, bem como “as prioridades dos executivos, como pensam que cumprem os seus próprios interesses”.

Se é o maior banco dos Estados Unidos? Assange não nega, mas também não diz que sim. “Não comento”, respondeu.

O que garante são “dezenas e centenas de milhares de documentos”, embora “não numa escala tão grande como o material do Iraque”, em que foram conhecidos 392 mil ficheiros relacionados com a guerra.

No último ano, a WikiLeaks publicou documentos sobretudo centrados no Exército norte-americano.

Questionado sobre quando voltará o site ao sistema de publicar informação com menos material, mas com mais frequência, Assange justifica que o actual modelo – revelar um grande número de informação relacionada entre si ao mesmo tempo – é o mais eficiente para responder à quantidade de informação.

Quando se cobre “um vasto período da história ou afectando um vasto grupo de pessoas, [é preciso] haver alguém especializado e fazer uma produção exclusiva para cada um”, explicou.

A entrevista ontem publicada no site da “Forbes” faz a capa do próximo número da revista, nas bancas dos Estados Unidos a 20 de Dezembro.

(Público)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 01, 2010 4:35 pm

Interpol emite ordem de detenção contra fundador do WikiLeaks

1.12.2010

A Interpol emitiu uma ordem internacional de detenção contra o fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, por supostos delitos sexuais, informou a organização policial nesta terça-feira. A ordem é uma "notificação vermelha", o nível mais alto da Interpol, divulgada para deter, mesmo que provisoriamente, pessoas procuradas internacionalmente e com fins de extradição.

Nesta terça-feira, a defesa de Assange, nascido na cidade australiana de Townsville e com paradeiro desconhecido, apelou em segunda instância na Corte Suprema sueca contra a ordem de prisão, emitida a pedido da Promotoria de Gotemburgo, na Suécia.

Trata-se do último recurso legal possível dos advogados de Assange. Na última quarta-feira, a Corte de Apelação de Svea, em Estocolmo, rejeitou sua primeira apelação contra a ordem de detenção. A Corte manteve a suspeita de estupro, mas a rebaixou à categoria de "delito menor", enquanto considerou que uma das três denúncias por assédio sexual não tinha grau de suspeita "suficientemente forte".

Assange, responsável pelo portal que acaba de revelar mais de 250 mil telegramas secretos diplomáticos dos Estados Unidos, está sendo processado por casos relacionados à sua breve estadia na Suécia, em agosto, para conferências.

Os problemas de Assange com a justiça sueca começaram em 20 de agosto, quando foi emitida uma primeira ordem de prisão contra ele por um suposto abuso sexual, decisão que foi revogada 24 horas depois pela promotora-chefe, que reduziu o caso a um delito de assédio.

No entanto, quando a diretora da procuradoria, Marianne Ny, assumiu o comando da investigação, decidiu reabrir o processo por estupro, que culminou na semana passada com uma nova ordem de prisão contra Assange.

(Jornal de Notícias)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 01, 2010 9:22 pm

WikiLeaks Portugal: EUA dizem que é vantajoso continuar a "acariciar" Luís Amado

01.12.2010

Um telegrama da embaixada dos EUA em Lisboa, revelado hoje pelo site Wikileaks, mostra que o Governo americano pediu pediu a Portugal para autorizar o "repatriamento" de suspeitos de terrorismo através de território nacional. O documento analisa a ameaça de demissão de Luís Amado.

O telegrama tem como título: "Ministro dos Negócios Estrangeiros português disponível para se demitir se as alegações dos voos da CIA provarem ser verdade".

Na análise, o responsável da embaixada considera que é "vantajoso" para os Estados Unidos "continuar a acariciá-lo muito" [a Luís Amado] devido ao "delicado equilíbrio" que o ministro está a tentar fazer.

Segundo o texto, o chefe da diplomacia portuguesa, "normalmente imperturbável, perdeu a calma" no parlamento a 18 de outubro, algo "completamente fora de carácter e que demonstra os efeitos dos ataques políticos e da media sem cessar".

"Apesar deste desabafo, acreditamos que Amado continuará a reiterar o que a investigação revelou - o Governo não tem provas de voos ilegais da CIA em/através de território português", lê-se no telegrama.

"No entanto, sublinha-se o delicado equilíbrio que Amado está a realizar procurando minimizar danos ao seu Governo - por mais injustificados que sejam - devido à investigação Rendition da CIA, ao tentar convencê-lo a conceder o nosso pedido para repatriar prisioneiros de Guantánamo através das Lajes", continua.

"Agora, teríamos vantagem em acariciá-lo muito", conclui o documento assinado por "Hoffman".

722 telegramas na embaixada de Lisboa

O telegrama, o primeiro revelado pela Wikileaks de um lote de 722 com origem na embaixada em Lisboa - que por sua vez faz parte dos 250 mil telegramas diplomáticos norte-americanos que o site começou esta semana a revelar - é datado de 20 de outubro de 2006 e referido como "secreto".

Classificado pelo responsável da área política da embaixada, Troy Fitrell, o documento analisa a promessa de Amado se demitir "se a oposição conseguir demonstrar qualquer cumplicidade da parte do Governo relativamente aos alegados voos ilegais da CIA por território português".

Pressão do BE

O telegrama detalha a pressão do Bloco de Esquerda e diz que as declarações de Luís Amado "refletem as do seu antecessor", Diogo Freitas do Amaral, em dezembro de 2005.

Segundo o telegrama, o testemunho de Amado "reflete a pressão contínua política e dos media relativamente a este assunto" e "tornam os esforços de assistência do Governo de Portugal (GOP) à repatriação de detidos de Guantánamo ainda mais difíceis".

"É crítico que os leitores em Washington reconheçam a necessidade do GOP garantir que tem uma base legal sólida relativamente ao nosso pedido sobre os detidos".

O texto refere que a interpretação legal feita pelo Governo português é de que são necessárias "garantias escritas do país de destino final de que os detidos não serão torturados ou sujeitos à pena de morte".

Portugal pretendia ainda que "os Estados Unidos garantissem que seriam tratados de acordo com convenções reconhecidas internacionalmente no país de destino".

"Sem estas garantias, o GOP terá dificuldade em apoiar os voos de repatriação através do território ou espaço aéreo português. Aguardamos ansiosamente a resposta dos destinatários em Washington aos pontos portugueses referidos", lê-se ainda.

O telegrama destaca que Lisboa esperava que o assunto fosse abordado na reunião de 24 de outubro entre Luís Amado e a então secretária de Estado norte-americana, Condoleeza Rice, em Washington.

(Expresso)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Sex Dez 03, 2010 7:56 pm

Payback time para a política da mentira.

03.12.2010

Para lá da calhandrice da opinião e dos factos ácidos sobre adversários e aliados, a nova vaga de revelações da Wikileaks (ver novo sítio) - 251.287 mensagens (cables) publicados em 28-11-2010 - é a constatação de que a tecnologia da internet impõe também aos governos um novo modelo de transparência e de respeito pela lei, inclusivé aos todo-poderosos governos. Trata-se da constante luta para obrigar o soberano a respeitar a lei que ele próprio decreta, algo que vem da Magna Carta, de 1215. Este segundo bloco de mensagens da Wikileaks não constitui grande novidade, nem mesmo a volubilidade da posição paquistanesa, mas confirma, com provas e declarações, aquilo que já se sabia, e desconfiava, sobre alianças e tendências da política internacional.

Pode doer, ter consequências terríveis no curto e médio-prazo na relação dos EUA e dos seus aliados com ditaduras e regimes iníquos, cuja natureza agora fica mais clara, porém, o efeito de longo prazo sobre a humanidade é muito positivo, obrigando a mudanças de relacionamento com essas ditaduras ou até a mudanças políticas nesses países. Por exemplo, a decisão da administração Obama consentir na fraude eleitoral do regime corrupto de Kharzai no Afeganistão, em Agosto de 2009, não seria possível depois destas revelações. Se isto aconteceu com a rede de comunicações norte-americanas, os demais dirigentes e funcionários dos países deixam de poder contar com a segurança das comunicações e de informação nas operações à margem da lei e da moral, podendo ser expostos e responsabilizados em tribunal pelas suas acções ilegais e ilegítimas.

A Wikileaks (ver novo sítio) está sob ataque do controlo dos danos dos Governos, tendo o seu sítio sido fechado pelo servidor, especialmente agora que a montanha de informação tinha começado a ser classificada por país, organização e assunto, facilitando a consulta dos cidadãos do mundo, mas a torrente é imparável. Mas já abriu novo sítio e como a informação está copiada à escala global, a sua classificação e tratamento regional e nacional será feita e publicada, a não ser que se fechasse a internet toda...

Compreende-se a aflição e percebe-se o motivo da perseguição a Julian Assange, o australiano fundador da Wikileaks, com caso aparentemente fabricado - um caso, na visita a Suécia em Agosto de 2010, de queixa por violação de mulheres, defendidas por um advogado sueco fluentíssimo em inglês... - e sequente mandado para o deter incommunicado (?!...). A causa desta perseguição é a raison d' État - um motivo de ordem superior à lei e à moral -, argumento normalmente aplicado a acções e segredos que o Estado quer preservar por serem contra a lei ou constituírem manobras ilegítimas que embaraçariam o Estado se forem tornadas públicas. Neste sentido, importa valorizar a posição britânica, onde a opinião pública tem uma força que o governo agora não ousa enfrentar.

O que fica em causa é a política ou diplomacia dita realista. E, paradoxalmente, a administração Obama. Barack Obama, proto-campeão da liberdade, mudou a política externa dos EUA do proselitismo da liberdade da administração Bush, que queria implantar a democracia em todo o mundo, e especialmente nos países do Médio Oriente e islâmicos, para uma política realista (cínica) de aliança com ditaduras face a adversários comuns. Essa aliança da administração Obama com as ditaduras - um revivalismo da posição do democrata Franklin Roosevelt sobre Somoza ou Trujillo ( he «may be a son of a bitch, but he's our son of a bitch» -, do Médio Oriente e da Ásia, contra o adversário comum do terrorismo islâmico, contrasta e expõe a cenografia e retórica de liberdade e de democracia da nova administração face áquilo que a esquerda entendia ser o intervencionismo imperialista da anterior administração Bush.

As novas tecnologias de informação, como a internet e o e-mail, foram aproveitadas como imensas oportunidades de espionagem pelos Governos sobre os cidadãos e organizações. O que as revelações da Wikileaks provam é que à espionagem e à demagogia chegou a hora do payback. E que, apesar da diferença de meios tecnológicos, a capacidade dos funcionários do sistema é incomensuravelmente menor do que a vasta rede livre de cidadãos activos (a net) - como em Portugal temos provado, nomeadamente na chamada Páscoa da Cidadania, de 2007. Isto não é o fim da espionagem, nem da farsa da realpolitik acompanhada de declarações grandiosas sobre a liberdade. Mas é a constatação de que a política da mentira tende a ser mais difícil e de que a transparência, que os cidadãos exigem e os meios tecnológicos possibilitam, tende a impor a política da verdade.

Publicado por António Balbino Caldeira
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Sex Dez 03, 2010 8:07 pm

Página Wikileaks foi encerrada

03.12.2010

O Wikileaks, site de divulgação de documentos governamentais confidenciais afirma ter sido encerrado devido ao fim do fornecimento dos serviços da empresa norte-americana que permitia a sua manutenção no ciberespaço.

A notícia avançada pela BBC revela que a EveryDNS.net, o serviço de domínios (Domain Name System - DNS) que o Wikileaks utilizava, alega que deixou de albergar o site porque o Wikileaks.org tem sido alvo de múltiplos ataques informáticos, o que constitui uma ameaça às suas infraestruturas e põem em perigo o acesso a milhares de outros sites da Internet.

Por sua vez, o Wikileaks afirma que tem sofrido interrupções desde que começou a divulgar milhares de telegramas confidenciais dos Estados Unidos.

Numa mensagem publicada na rede social Twitter, o Wikileaks reconhece que o seu domínio foi "morto" pela EveryDNS.net, depois das revelações polémicas que fez nos últimos dias e que ameaçam comprometer as relações de diplomacia norte-americanas.

Ao mesmo tempo que o site foi encerrado, a Scotland Yard anunciou à imprensa britânica que o fundador do Wikileaks, Julian Assange, poderá ser detido já este sábado.

(Correio da Manhã)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Sex Dez 03, 2010 8:08 pm

WikiLeaks mudou-se para a Suíça após “apagão” de seis horas.

03.12.2010

O site da WikiLeaks, que está a publicar desde domingo milhares de telegramas diplomáticos norte-americanos, estava hoje de manhã de novo em linha com um novo endereço suíço (wikileaks.ch), depois de o site ter estado seis horas suspenso.

Assange garante que a "missão" da WikiLeaks vai continuar.

Na sua conta de Twitter a organização anunciou: “A WikiLeaks mudou-se para a Suíça.”

O site “desapareceu” da Web depois da Everydns, a empresa americana que fornece o serviço DNS (Domain Name System) à Wikileaks ter rescindido o contrato com o site dirigido por Julian Assange, argumentando que as reiteradas tentativas de ataques informáticos à WikiLeaks estavam a pôr em perigo “os quase 400 mil sites” que utilizam os seus serviços.

Já hoje, em declarações citadas pelo "Guardian", Assange garantiu que estes ataques (refere-se a tentativa de silenciamento por parte das autoridades norte-americanas) não vão travar a missão do site, “mas deviam causar alarme sobre o cumprimento da lei nos EUA”. Para o fundador da WikiLeaks, este “apagão” a que o seu site foi sujeito é um exemplo da “privatização da censura do Estado” nos EUA e é “um problema grave”.

Recorde-se que na quinta-feira foi a Amazon que retirou a WikiLeaks dos seus servidores, alegando incumprimento das regras de utilização.

No início da semana, o senador Joe Lieberman, que dirige o comité do Senado de Segurança Interna, apelou a todas as organizações que estivessem a colaborar com a WikiLeaks para “terminarem imediatamente” a sua relação com o site de Assange.

(Público)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Sab Dez 04, 2010 2:28 pm

WikiLeaks: Fundador ameaça revelar mais informações caso alguma coisa lhe aconteça.

03.12.2010

Julian Assange, o fundador do polémico WikiLeaks, disse hoje que caso algo lhe aconteça, as partes principais de documentos secretos e telegramas serão "reveladas automaticamente". Clique para visitar o dossiê WikiLeaks.

O arquivo dos documentos diplomáticos secretos que o site WikiLeaks tem estado a divulgar está distribuído por milhares de pessoas e as partes principais serão "reveladas automaticamente" se algo acontecer ao fundador, avisou o próprio Julian Assange.

Numa entrevista na página de Internet do diário britânico "The Guardian ", Assange respondeu enigmaticamente à questão de algo acontecer ao site ou a ele próprio, vítima de ameaças de morte e objeto de um mandado de captura.

"O arquivo do Cable Gate [caso dos telegramas] foi espalhado, juntamente com material dos EUA e de outros países por mais de 100 mil pessoas num formato codificado", afirmou.

Acrescentou que "se algo nos acontecer, as partes principais serão reveladas automaticamente" e lembrou que os telegramas foram entregues a várias organizações de imprensa.

Os jornais "Guardian" (Reino Unido), "El País" (Espanha), "Le Monde" (França), "Der Spiegel" (Alemanha) e "New York Times" (EUA) começaram a divulgar em 28 de novembro telegramas de uma série de 250 mil documentos diplomáticos norte-americanos recebidos pelo WikiLeaks.

Hoje o site esteve desativado após a interrupção pelo servidor, tendo antes sido "desalojado" pela Amazon.

Mandados de captura

Ao mesmo tempo que o site foi encerrado, a imprensa britânica comenta a hipótese de a polícia britânica deter o fundador do WikiLeaks nos próximos dias.

A Interpol indicou na terça-feira ter emitido um mandado de captura internacional contra Julian Assange, procurado na Suécia no âmbito de uma investigação por "violação e agressão sexual" a duas mulheres.

A 18 de novembro, a justiça sueca lançou um mandado de captura contra o australiano de 39 anos para o interrogar "por suspeitas razoáveis de violação, agressão sexual e coerção", crimes alegadamente cometidos em agosto deste ano.

Sobre o impacto do seu trabalho, Assange está convencido que "a história vencerá" e que o mundo será elevado a um nível melhor.

"Sobreviveremos? Depende de vós", disse.

(Lusa)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Ter Dez 07, 2010 3:48 pm

Revelados locais vitais para os EUA

06.12.2010

O site Wikileaks divulgou ontem uma lista de instalações e infra-estruturas consideradas vitais para os interesses dos EUA em todo o Mundo. Críticos e analistas classificam as revelações como extremamente perigosas e consideram-nas as mais espectaculares e controversas já divulgadas pelo site de Julian Assange.

A lista abre com uma fábrica de cobalto na República Democrática do Congo, refere fábricas britânicas envolvidas em projectos militares com os EUA, e uma firma de Edimburgo considerada "crucial" na tecnologia de submarinos nucleares.

Mas as revelações tornam-se ainda mais polémicas ao localizarem fábricas, na Austrália e na Dinamarca, por exemplo, envolvidas em pesquisas médicas e na produção de produtos vitais para milhões de pessoas, caso da insulina. Há ainda pormenores sobre infra-estruturas de comunicações via satélite, gasodutos e oleodutos, como o que liga o Azerbaijão à Turquia.

Em relação ao Médio Oriente, é referido que o Qatar será, a partir de 2012, a principal fonte de gás natural. Há ainda uma alusão a Abqaiq, local da maior instalação de processamento de crude da Arábia Saudita, que a al-Qaeda tentou atacar em 2006.

John J. LeBeau, um antigo responsável da CIA, lembrou que a lista divulgada "pode dar ideias aos grupos radicais quanto a alvos úteis", e concluiu: "Isto torna bem claro que a Wikileaks não se preocupa com as consequências dos seus actos."

SITE MULTIPLICADO POR 507

Para contornar os ataques de que a Wikileaks tem sido alvo, dezenas de apoiantes criaram nos últimos dias pelo menos 507 réplicas, ou espelhos, do site. Entre estes conta-se um site alojado em Portugal (wikileaks.ruicruz.pt), que ontem não passava da homepage, não permitindo a consulta de ficheiros. "Agora será impossível retirar inteiramente a Wikileaks da internet", escreveram os administradores da plataforma, que nas últimas semanas revelou cerca de um milhar de um total de 250 mil documentos diplomáticos confidenciais. Mas a Wikileaks está a ser atacada noutra frente. O Postfinance, banco suíço que albergava uma conta com donativos para a defesa de Julian Assange, cancelou ontem a ligação comercial com o fundador do site.

(Correio da Manhã)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Ter Dez 07, 2010 3:53 pm

A Wikileaks vai publicar as apreciações dos EUA sobre Sócrates? E sobre os ministros?

07.12.2010

Estou ansioso por ver publicados os "cables" da Embaixada dos EUA sobre a "personalidade" de José Sócrates!
O que é que os embaixadores dos EUA diziam à Hillary Clinton sobre Sócrates?
E sobre o Governo Português no seu todo?
E sobre o sistema político português?
E sobre o PR?
E sobre o caso Casa Pia?

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 08, 2010 7:51 pm

Liberdade de cidadania e cinismo político.

07.12.2010

Julian Assange, fundador da Wikileaks, foi preso na Inglaterra, hoje, 7-12-2010, no âmbito de um mandado de captura sueco para ser presente a inquérito sobre imputações de violação, assédio sexual e coacção sobre duas mulheres suecas. Os factos e a queixa terão acontecido em Agosto de 2010, após a primeira vaga de revelações da Wikileaks. Julian Assange nega e diz que se trata de um divergência sobre sexo consensual, mas desprotegido (presume-se, sem preservativo).

Há-de conhecer-se em detalhe as imputações. Mas não pode desligar-se este assunto da perseguição da administração Obama, e aliados, com hackers (!?...), fecho de sítios e de contas bancárias, à escala global.

É uma ilusão pensar que as revelações da Wikileaks podem ser apagadas da net, da discussão pública do cinismo político-diplomático ou da mente de quem as leu. Já terão sido criados mais de 500 mirrors do sítio. O que a administração norte-americana tenta é conter os estragos e criar sobre o caso judicial sueco uma manobra de diversão de casos gravíssimos , como a instrução para espionagem de diplomatas da ONU e outros. Mais ainda, a administração Obama temerá ainda mais a próxima vaga de revelações, que se anuncia ser sobre um banco norte-americano, o Bank of America. A informação licada (de leak) terá necessariamente consequência - por mais que se distraia e se adie.

A experiência portuguesa ensina que o poder da net de cidadãos activos é muito maior do que a capacidade limitada dos serviços de informação. Os cidadãos livres são muito mais do que os esbirros. Para vencerem basta que tenham consciência da sua influência e do seu poder.

O mundo mudou. A tecnologia impõe maior transparência e escrutínio. O caso Wikileaks consolida a tendência. Os governos têm de mudar do cinismo do discurso grandiloquente e chantagem de bastidor para uma política de maior verdade e franqueza pública. Já não há a face dos Estados: há a face dos cidadãos - essa é que não pode perder-se.

Pascal Glore, presidente do Partido Pirata suíço que disponibilizou alojamento virtual à página da Wikileaks após o encerramento pelo servidor norte-americano, explica:

«Há uma nova geração inteira, cidadãos digitais, nascidos com a internet, que compreendem a liberdade de comunicação. ...) Já não é um assunto esquerda-direita. É um tema geracional entre políticos que não percebem que é demasiado tarde para regularem a internet e os jovens que usam a internet diariamente». (Tradução e realce meus)

Publicado por António Balbino Caldeira
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 08, 2010 7:53 pm

Afinal, Assange é suspeito de «sexo sem preservativo»...

08.12.2010

Importante ler «Revealed: Assange ‘rape’ accuser linked to notorious CIA operative». Afinal, o fundador da WikiLeaks - detido para ser ouvido em inquérito, após mandado de captura europeu, embora sempre se tenha mostrado disponível para prestar depoimento -, não é suspeito de violação, mas de «sexo de surpresa» ou «sexo inesperado», isto é, «sexo sem preservativo».
Alegadamente, uma das mulheres, responsável pela igualdade sexual na Uppsula University, ter-se-á gabado depois da relação e até promovido, depois dos factos, uma festa em honra de Assange, sendo referida em grupos que integram indivíduos com ligação à CIA.

Publicado por António Balbino Caldeira
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qui Dez 09, 2010 7:40 pm

A detenção de Julian Assange é uma vergonha para a Suécia - Uma manobra de política baixa

09.12.2010

Cada vez se nota mais - à medida que vão saindo informações sobre o caso - que a detenção de Julian Assange é uma mera manobra política da Suécia para favorecer os EUA e perseguir a liberdade de informação e de opinião.
Os diplomatas americanos falam como alcoviteiras e o Governo dos EUA não soube guardar segredo.
Julian Assange apenas publicou aquilo a que teve acesso e tem interesse público, jornalístico.
O caso judicial da Suécia é uma infantilidade.
Duas tipas queixam-se de coisas sem sentido.
Foram ter sexo com o Julian Assange já para criar o caso.
Os EUA têm de perceber que a sua linha de orientação diplomática é uma fofoquice pegada e que os grandes problemas que agora enfrentam - de credibilidade diplomática - só a si são imputáveis.
Até porque se o que o Ministérioo Público da Suécia quer é interrogar Julian Assange pode fazê-lo via videoconferência, estando ele no Reino Unido.
Até há uma Comvenção Internacional a prever isso.
Até na recente - da semana passada - Cimeira Ibero Americana , Portugal e outros países decidiram implementar entre eles as videoconferências para interrogar arguidos e inquirir testemunhas.
A Suécia quer é entregar aos EUA o Julian Assange e usaram estes processos para tal.
Uma vergonha de conduta de um País que se diz tão defensor dos Direitos Humanos mas que afinal quer é calar a liberdade de expressão, de informação, ou seja de informar e ser informado.

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Sex Dez 10, 2010 1:48 pm

Internet: Houve uma revolta popular online em defesa da WikiLeaks

10.12.2010

Hackers, activistas, pessoas que defendem a liberdade de expressão deixaram inacessíveis os sites de várias empresas. Guerra, indignação, mera sabotagem?

Os ataques foram feitos a sites que recusaram trabalhar com a WikiLeaks (Foto: Pascal Lauener/Reuters)

Na prisão de Wandsworth, onde Julian Assange está detido até ser presente a um juiz, na próxima terça-feira, sem direito a aproximar-se de um computador, os outros presos estão a fazer-lhe chegar mensagens de apoio low tech, conta a televisão Sky News: folhas de papel com palavras como "Olá Julian, boa sorte", "Tenho pena que estejas aqui - está mal" e "Estamos contigo - Feliz Natal". Lá fora, onde há Internet, o movimento de desobediência civil que o australiano diz ser a WikiLeaks foi abraçado por outro grupo, denominado Anonymous, que lançou uma verdadeira revolta popular, atacando os sites de empresas que recusaram trabalhar com a WikiLeaks.

A Anonymous está a atacar da mesma forma que foi atacado o site da WikiLeaks, quando começou a colocar online os mais de 250 mil telegramas diplomáticos dos EUA: ataques distribuídos de negação de serviço, que é uma forma de sabotagem para deixar um site indisponível, mantendo os seus servidores sempre ocupados com pedidos de acesso falsos.

Foi uma demonstração de que a Internet se tornou tão distribuída que dificilmente funcionará a estratégia de "desligar partes da Internet" - uma ideia defendida pelo senador independente norte-americano Joseph Lieberman, que introduziu legislação para punir futuras fugas de informação.

Mas também há acusações de que nasceu um movimento de vigilantes, uma espécie de milícia armada na Web - é essa a opinião veiculada pela Fundação da Fronteira Electrónica, um grupo de defesa dos direitos civis on-line (que mereceu uma resposta agressiva do Anonymous no Twitter).

Paypal, Mastercard, Visa, o site do Ministério Público sueco, o da ex-governadora do Alasca Sarah Palin (que disse que Assange devia ser caçado como terrorista) e o do senador Lieberman, que pressionou as empresas norte-americanas a não trabalharem com a WikiLeaks - a lista de vítimas do grupo Anonymous já vai longa.

Amazon é grande de mais

Ao início da tarde, foi anunciado no Twitter que a loja online Amazon, que expulsou dos seus servidores o site da WikiLeaks, seria o grande alvo do dia da Operação Payback (Vingança). Mas não resultou. "Não podemos atacar a Amazon, por agora. Era o previsto, mas não temos forças suficientes", dizia uma mensagem no Twitter.

Ao início da noite, começaram a ser atacados não apenas as homepages da Visa e da Mastercard, mas também os sites Verified.visa.com e api.paypal.com, o que, a manter-se, afectará de facto transacções online. Não foi a primeira vez que o ataque descarrilou para algo menos nobre. O Twitter e o Facebook suspenderam as contas principais do Anonymous na quarta-feira. No Twitter, isso aconteceu minutos depois de a conta principal (@Anon_Operation) ter divulgado links para números de cartões de crédito.

A polícia holandesa anunciou ter detido um jovem de 16 anos, por suspeita de estar ligado ao ciberataque.

Mas a sucessão levou o site de pagamentos online Paypal a desbloquear as verbas depositadas na conta da WikiLeaks e que não lhe tinham sido entregues, após a Paypal ter cortado relações com a organização - devido a pressões políticas, reconheceu. A conta da WikiLeaks foi reactivada, mas com limites: não receberá novas doações. "Restringimos a utilização tendo por base a nossa política de utilização aceitável", explica John Muller, director jurídico da PayPal.

Receios e apoio de Lula

O dia de revolta popular na rede foi coordenado de forma mais ou menos anárquica pelo grupo Anonymous - que não reivindica nenhuma ligação à WikiLeaks, nem a organização de Assange tem ligações ao Anonymous, afirmou em comunicado. Mas as bem sucedidas sabotagens da operação on-line de várias grandes empresas por activistas que nem precisam de ser hackers - tudo o que é preciso é ter um computador, estar empenhado e fazer download de um programa (ver texto nestas páginas) - mostra que o poder pode estar mesmo na rua.

O que pode ser uma demonstração perigosa para os Estados, sublinhou ao jornal francês Libérationo professor de Direito Cédric Manara. "Os Estados deram-se conta de que não controlam verdadeiramente a Internet e de que exercem o poder graças a dispositivos técnicos que não dominam completamente. (...) Receio que tenhamos de enfrentar muito rapidamente um [decreto limitador das liberdades individuais] Patriot Act versão Internet para [que os Estados] retomem a mão sobre o que circula na rede." O que está prestes a passar-se, disse, "pode pôr em perigo a Internet que conhecemos. E pode ser muito depressa."Mas pode haver forças na direcção contrária. Ontem, o dia foi marcado também pelas primeiras declarações de solidariedade com Julian Assange feitas por um chefe de Estado: foram de Lula da Silva, que ainda criticou a imprensa brasileira por não defender o editor da WikiLeaks. "O rapaz foi preso e não estou vendo nenhum protesto contra [o cerceamento à] a liberdade de expressão. É engraçado, não tem nada", afirmou, num vídeo posto no blogue do Palácio do Planalto.

O Departamento de Estado dos EUA reagiu dizendo que Assange foi preso devido às acusações de crimes de natureza sexual na Suécia, e não por causa dos telegramas diplomáticos.

(Público)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Seg Dez 13, 2010 5:37 pm

Wikileaks: Irão tentou fazer negócios através do BCP

12.12.2010

Documentos diplomáticos dos EUA revelam que o BCP esteve no Irão a analisar oportunidades de negócio.

O convite foi feito pela embaixada de Teerão em Lisboa, segundo um telegrama secreto dos EUA que a Wikileaks disponibilizou ao jornal El Pais.

"Em Abril de 2009, o BCP visitou o Irão a convite da embaixada iraniana em Lisboa e encontrou-se com responsáveis do Banco Central do Irão, entre outros gestores do sector financeiro, para discutir o interesse do país em estabelecer negócios com o banco português", revela um telegrama da embaixada dos EUA em Lisboa para Washington, com data de Fevereiro deste ano.

Dez meses mais tarde, adianta o documento, o presidente do BCP, Carlos Santos Ferreira, "discute a proposta com a conselheira política e económica da embaixada norte-americana em Portugal e as suas vantagens para os Estados Unidos".

"Embora considere que os custos podem ultrapassar os benefícios para o Millennium, Ferreira está disponível para estabelecer uma relação com o Irão para ajudar os Estados Unidos a ter informações sobre os activos e as actividades financeiras do Irão", afirma o telegrama.

No documento é ainda referido que "o Millmennium consultou o Banco de Portugal e responsáveis do Governo português e gostaria de conhecer a nossa opinião sobre a sua proposta de relacionamento com o Irão e o interesse de Washington em controlar as contas do Irão em Portugal".

Do lado da embaixada dos EUA, é feita uma recomendação para que o BCP não prossiga a relação com o Irão. Até hoje o BCP não abriu nenhuma operação no Irão.

Fonte oficial do banco, contactado pelo Diário Económico, escusou a fazer comentários sobre o tema.

Outros telegramas, citados pelo 'El País"' revelam também vários comentários sobre o Presidente da República, Cavaco Silva, e o primeiro-ministro José Sócrates.

(Diário Económico)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Seg Dez 13, 2010 5:39 pm

Wikileaks: O que dizem os EUA sobre Cavaco e Sócrates?

12.12.2010

Telegramas confidenciais divulgados hoje pelo El País revelam opiniões da diplomacia norte-americana sobre os líderes portugueses.

Os cinco telegramas - produzidos entre Abril de 2008 e Setembro de 2009 pela embaixada dos Estados Unidos em Lisboa - analisam ainda temas como o relacionamento de Portugal com a Venezuela e a repatriação de detidos de Guantanamo.

Trata-se de telegramas que a Wikileaks disponibilizou ao jornal El Pais mas que o 'site' ainda não divulgou publicamente, numa altura em que apenas divulgou 13.440 dos cerca de 251 mil telegramas da diplomacia norte-americana que recebeu de fontes anónimas.

Nos textos, a diplomacia norte-americana considera Portugal um "aliado firme".

José Sócrates é descrito nos textos como um político "carismático" mas a quem "desagrada partilhar o poder" e Cavaco Silva destacado pelo "seu esforços em ser um mandatário bipartidário" mas a quem a embaixada atribui "sérias vinganças políticas pelo simples facto de não ter sido convidado à Sala Oval na Casa Branca".

O El Pais refere ainda que os documentos confirmam que Portugal permitiu aos Estados Unidos "usar a base dos Açores para repatriar detidos de Guantanamo" tendo a "boa relação" com Washington sido afectada, entre outros temas, "pelo tardio reconhecimento da independência do Kosovo, a redução na presença no Afeganistão e o grande impulso às relações com a Venezuela".

Cavaco Silva é relacionado pelos diplomatas norte-americanos como a causa para a redução de tropas no Afeganistão e com a situação no Kosovo, enquanto Sócrates é relacionado com o tema da Venezuela.

Os documentos confirmam a excelente relação que os Estados Unidos mantêm com Luis Amado, tanto enquanto era ministro da Defesa como desde que é chefe da diplomacia, sendo considerado um homem "equilibrado" e que "prefere discutir discrepâncias, se as há, discretamente".

Sobre a oposição, os diplomatas destacam entre outros, Manuel Alegre, que definem como "um dinossauro esquerdista" e até "Alegresaurius" e referem a fragmentação do PSD.

(Diário Económico)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Seg Dez 13, 2010 5:55 pm

TRIÂNGULO DELITUOSO

12.12.2010

O El País não faz a coisa por menos e, de entre a suculenta WikiMatéria, seleccionou lançar uma espécie de bomba mediática que atinge em cheio o CEO do BCP, maior banco português, e o chefe do Governo Português. Ei-la: «La relación entre negocios y política transita a veces por el filo de la navaja. Carlos Santos Ferreira, presidente del Banco Comercial Portugués, conocido como Millennium BCP, primera entidad privada del país, intentó cuadrar intereses tan contradictorios como hacer negocios con Irán sin que ello afectara la excelente relación de Portugal con Estados Unidos. Para ello, propuso poco menos que hacer labores de espionaje al servicio de EE UU, al proponer desembarcar en Irán y, a cambio, ofrecer a Washington información de las actividades financieras de la República Islámica. La operación, según un despacho remitido en febrero de este año por la Embajada estadounidense en Lisboa, cuenta con el conocimiento del primer ministro portugués, José Sócrates, y de miembros de su Gobierno.» É óbvio que esta matéria serve para alimentar a complexa guerra de interesses entre dois países em situação pré-FMI, mas a substância só reforça a minha tese acerca do "nosso" fatal Taliban Escanhoado.

Publicada por joshua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Ter Dez 14, 2010 2:49 pm

Fundador do Wikileaks vai hoje a Tribunal e pode ser extraditado

14.12.2010

Julian Assange será defendido por Geoffrey Robertson, o advogado de Salman Rushdie.

Parece o cenário tirado de um filme de ficção científica. A redacção do site Wikileaks está abrigada num bunker construído nos tempos da Guerra Fria e fica numa zona montanhosa da cidade de Estocolmo, a 30 metros de profundidade. Este bunker, capaz de resistir a um ataque nuclear possui apenas uma entrada, protegida por uma porta blindada com meio metro de espessura. Há ainda geradores de energia retirados de antigos submarinos alemães. Tanta segurança tem razão de ser. É ali que Julian Assange, o fundador do site, de 39 anos, guarda os servidores com a informação secreta que fez estremecer o planeta e onde passa horas a fio, juntamente com os seus colaboradores, sem ver a luz do sol.

Aliás, o mundo passou a ser dividido em duas categorias - antes e depois da Wikileaks. Esta organização, que se dedica a denunciar más práticas governamentais e institucionais na Internet, divulgou nas últimas semanas 250 mil documentos confidenciais sobre a diplomacia americana. São despachos diários trocados por mais de 270 embaixadas e consulados de vários países. Entre as revelações destacam-se a possibilidade de Israel atacar o Irão, o facto dos diplomatas americanos servirem de espiões e os voos da CIA.

Assange está agora nas bocas do mundo e, hoje, em Londres, o Tribunal vai analisar o pedido de extradição para a Suécia, mas por suspeita de crimes sexuais. Assange será defendido por uma equipa de advogados conceituados, entre os quais Geoffrey Robertson, advogado do escritor Salman Rushdie. Ontem, foi colocada na Internet uma petição que já conta com 600 mil assinantes, que apelam ao fim da "campanha de intimidação" contra a Wikileaks.

(Diário Económico)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Ter Dez 14, 2010 8:09 pm

Wikileaks: Julian Assange obteve liberdade condicionada

14.12.2010

Julian Assange, o editor da Wikileaks, obteve liberdade condicionada, com uma caução de 240 mil libras (282.255 euros). Voltará a tribunal a 11 de Janeiro, em Londres e terá de usar pulseira electrónica.

Assange voltará a tribunal a 11 de Janeiro.

As condições incluem a exigência de que Assange entregue o seu passaporte às autoridades britânicas, que tenha residência controlada com um horário limitado de saída (tem de estar em casa entre as 10h00 e as 14h00 e as 22h00 e as 2h00). Terá de se apresentar numa esquadra de polícia todos os dias às 18h00.

A acusação sueca, no entanto, pretende recorrer e terá duas horas para o fazer, adianta o jornal britânico.

Assange compareceu esta tarde perante um juiz em Londres, numa audiência destinada a decidir se teria direito a liberdade condicional enquanto aguarda a extradição para a Suécia, onde as autoridades querem interrogá-lo devido a acusações de crimes de natureza sexual.

Várias figuras conhecidas, tinham prometido dinheiro para um fundo destinado a pagar a fiança de Assange, se lhe for concedida. Hoje, Ken Loach prometeu 20 mil libras (23,521 euros) e o realizador norte-americano Michael Moore 20 mil dólares (14.936 euros). Ao todo, mais de 200 mil libras foram oferecidas pela defesa como garantia de que Assange não fugirá, relata o jornalista do "Guardian" a partir da sala do tribunal.

Poucos minutos após ser conhecida a sentença, Michael Moore "tweetou" logo: "Vou enviar já hoje o dinheiro para pagar a fiança. Não vou ficar parado e ver um descarrilamento. @WikiLeaks [a fiada de conversa no Twitter que se transformou numa verdadeira campanha por Assange e e a favor do Wikileaks, contra a reacção norte-americana após a divulgação dos telegramas diplomáticos norte-americanos] salvou vidas".

A comparência de Assange perante o juiz em tribunal suscitou um interesse mediático enorme, digno de uma estrela de rock. Na sala de audiências estão Bianca Jagger, a “socialite” e angariadora de fundos para vária causas Jemima Khan, o realizador Ken Loach, o veterano jornalista australiano John Pilger, Fatima Bhutto, a sobrinha da ex-primeira-ministra paquistanesa Benazir Bhutto, Henry Porter, Tariq Ali, a jornalista Heather Brooke, que se tornou conhecida ao conseguir revelar as despesas cobradas pelos deputados britânicos ao erário público, que tanto escândalo causaram.

“Permitam-me começar com um pedido de desculpas – a sala de audiências não é suficientemente grande”, disse o juiz Howard Riddle, segundo relata o correspondente do “Times” Alexi Mostrous através da sua conta no Twitter.

O juiz interditou que fossem gravadas imagens ou sons no interior do tribunal, mas emitiu uma autorização especial para que fossem enviados tweets – mensagens para o site de microblogging Twitter. Sinal dos tempos? Heather Brooke e Alexi Mostrous são dois dos jornalistas que estão a enviar tweets.

Durante a madrugada foi conhecida uma declaração de Assange, divulgada pela sua mãe, Christine Assange, em que o australiano garantia não ter arredado pé das suas convições. “Continuo fiel aos ideais que expressei. Estas circunstâncias não os abalarão. Este processo só aumentou a minha determinação em considerá-las verdadeiras e correctas”, diz Assange, no depoimento escrito que a mãe tornou público.´

Denunciou ainda as empresas que deixaram de trabalhar com a Wikileaks: "Agora sabemos que a Visa, a Mastercard e a PayPal são instrumetos da política de negócios estrangeiros americana. Era algo que não sabíamos até agora". O comunicado de Assange foi divulgado pela mãe no Channel 7 australiano.

(Público)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qua Dez 15, 2010 6:54 pm

Fidel Castro: Fundador do WikiLeaks deixou os EUA de joelhos.

15.12.2010

Assange mostrou que o 'império' pode ser desafiado, escreveu o cubano. Ele lembrou, contudo, que as motivações do australiano são desconhecidas.

O líder cubano Fidel Castro afirmou nesta quarta-feira (15) que Julian Assange, criador do site WikiLeaks, é um "desconhecido" que mostrou que os Estados Unidos podem ser desafiados e colocados moralmente de joelhos.

"Assange, um homem que há vários meses muitos poucos conheciam no mundo, está demonstrando que o mais poderoso império que já existiu na história podia ser desafiado", afirma Fidel em mais um artigo publicado na imprensa oficial.

O líder cubano já havia demonstrado sua simpatia pelo site depois das primeiras revelações de agosto passado.

Manifestantes pedem nesta terça-feira (14) a libertação de Julian Assange em frente a tribunal no centro de Londres. (Foto: Reuters)"Não se sabe quais são as motivações que levaram Assange ao contundente golpe que aplicou ao império (...) Só se sabe que moralmente o colocou de joelhos", afirma ele.

Fidel ressalta ainda a proposta "do corajoso e brilhante cineasta americano Michael Moore" em ajudar Assange a pagar a fiança e classifica de "brutal a aavalanche" que o governo americano dirigiu contra o fundador do WikiLeaks.

Michael Moore afirmou na terça-feira ter oferecido US$ 20 mil de seu próprio dinheiro ao fundador do WikiLeaks para ajudá-lo a pagar sua fiança em Londres, e a seu próprio site e servidores para ajudar o WikiLeaks a revelar segredos do governo.

Em um comunicado postado no thedailybeast.com, Moore disse ter enviado na segunda-feira ao tribunal britânico um documento no qual indica estar disposto a pagar 20.000 dólares para ajudar Assange a sair da prisão sob fiança.

"Tudo que peço é que não sejam ingênuos sobre como o governo trabalha quando decide ir atrás de sua presa. Por favor, jamais acreditem na 'história oficial'", afirmou Moore, acrescentando que, culpado ou inocente, Assange tem o direito de se defender.

(AFP)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Qui Dez 23, 2010 7:10 pm

Wikilikear é preciso; viver não é preciso.

17.12.2010

Fui daquelas pessoas, que, desde sempre, achou que o obama devia ir apanhar no pacote, ele mais a gaja que lhe faz as limpezas lá em casa, a clinton, que foi incapaz, em nome do carreirismo, de tomar a defesa do marido, e dizer que se estava zenitalmente borrifando para ele ser brochado pela outra bocarra guimarães americana, na sala oval.

Qualquer americano normal, independentemente das suas tendências políticas e sexuais, adoraria mamar, ou ser mamado, na casa branca, pelo que a inveja fica muito mal aos caráteres, e era aí que a madame clinton devia ter mostrado que era uma senhora, mas preferiu grelhar o marido em vida. Teve azar, e agora chegou a vez dela, porque esta porcaria em que a américa está atascada, por muito antiga que seja, e nós sabemos que sempre foi assim, vai custar ao caneco a reeleição, e ela vai coser meias, com um bocado de azar, as meias da palin, que será a fossa das marianas da política americana, mas eles merecem, e nós também, que ainda andamos a acreditar em pais natais.

Isto é o que corre lá fora, e corre bem, porque o séc. XXI andava a precisar de um novo paradigma de informação, aquele em que os cidadãos da globalidade, para lá das crises, dos impostos e de outras comodidades, passassem a ter direito a saber a verdade, e toda a verdade.

No fundo, a verdade nem é grande coisa, são umas larachas que toda a gente sabe, correm de boca em boca, nos cafés, e que são sistematicamente transformadas em boatos, mentiras, calúnias e difamações, por uns gajos e umas gajas sem vergonha, nem coluna vertebral, pagos para fazerem o frete, nas revistas, jornais e televisões.
Chamam-lhe órgãos de comunicação social, mas comportaram-se mais como pífaros do que como órgão.
Assange, o que preferia foder suecas a foder umas borrachinhas fedorentas, inventadas pelo cabrão do reagan, do joão paulo ii e da puta da tatcher, a par com uns soldados fartos de ficarem sem dedos, sem pernas e sem olhos, resolveu despejar cá para fora o que havia para despejar, quer dizer, a ponta do icebergue, porque o que aí vem é infinitamente pior, e não nos devemos esquecer de que, por muito "arrebenta" que pareça a linguagem dos telegramas de embaixada, eles foram teclados por gente do corpo diplomático, geralmente cordata, e com um nível de polimento, com a qual até me dou bem, excetuados os casos daqueles países párias, de pele escura, que tornaram luanda a cidade mais cara do mundo.
Na verdade, acho que não estaríamos preparados para as verdadeiras "wikileaks", faladas em língua de "liga dos últimos", das intimidades do "major", ou nas tonalidades em que o pinto da costa grunhe, quando está a fingir ejaculações. Isso, sim, seria, será, sórdido, e vai ser o episódio que se segue, como pessoa diria, a realidade da realidade, ou a as wikileaks das wikileaks, dá b'jinho à bijou, dá bebé, bilou bilou bilou.

O síndroma de assange é muito semelhante ao murro no estômago que a fotografia deu na pintura: deve ter feito os intoxicadores sociais sentirem-se em risco de desemprego, já que toda a gente preferirá agora ler um semanário lançado pelo assange, ou email que circule, em spam, com as últimas, do que as escorrências sebáceas do "expresso", os gemidos da câncio, e as exaltações da clara ferreira alves.

Essa gente, para todos os efeitos, morreu, neste ano de 2010, e não deixa cá saudades nenhumas, ao contrário de outros espaços de informação, os famosos CINCO, que já deram a volta ao filme, e se aliaram ao novo estado de coisas (puexem lá pela cabecinha, e percebam por que é que o "expresso", nem que os cinco fossem dez, poderia ser escolhido para a... aventura.

Cheira mal, cheira a balsemão.

A "Time", ao não aceitar a nomeação de assange para homem do ano, automaticamente, transformou-o no homem da década :-)

Portugal, todavia, como país de castelos, também é país de fantasmas, e adora continuar a fingir que não percebeu que algo aconteceu, porque isto, para todos os efeitos, como diria o senhor kuhn, é uma rotura de paradigma, e depois de se ler um texto wikileakeado, acabaram os argumentos das prescrições, dos erros processuais, das nulidades das escutas, das provas que não são provas porque um gajo qualquer, a soldo da corja, decidiu que não eram provas, e tudo o que parece que é, e é, ao simplesmente ser, acabou agora com esses disfarces ridículos, esses contorcionismos da mistificação, e essa negação do evidente. Pode doer, mas está a ser transmitido em direto, e contra um direto não há quaisquer argumentos, meus caros amigos.

O séc. xviii gerou revoluções pela prosa. O séc. xix viveu revoluções pela música; o séc. xx foi de arrasto pelas brutalidades da pintura; o séc xxi anuncia-se ser revirado pela informação direta.

Por cá, e porque não me apetece wikileakear muito, coisa que já ando a fazer há anos, e a ser insultado e apodado de tarado e ordinário, só vos peço que prestem atenção às últimas danças de cadeiras do velho regime: à beira de eleições, com aquele mamarracho do aníbal, que dava um bom concorrente para o américo thomaz, e o alegre, uma rábula do solnado, mais o das enfermeirinhas e um que eu nem sei o que seja, mas deva não passar de um torresmo qualquer das sobras dos outros, à beira de eleições, dizia, um pântano, um vergonhoso pântano, que devíamos usar como momento de protesto, colocando a tal "república" (não escrevo bananas, porque estão implícitas...) na situação de república sem presidente, tal como naqueles concursos literários, onde, por falta de qualidade, se decide não atribuir o primeiro prémio.

É verdade que gostaria que, no dia 26 de janeiro, fosse título das imprensas mundiais que portugueses decidiram não eleger presidente da república, por falta de nível dos candidatos, entrando em período de sede vacante, com a maria a fazer de palhaço, em regime de duodécimos, mas, infelizmente, ainda não estamos maduros para isso, e os servidores do sistema, as vozes de comentadores, os construtores de manchetes, os desviadores de atenções, os miguéis sousa tavares, os marcelos... não... estou a ser injusto..., esse até está, embora maquiavélico, uns furos bem acima..., bom, "há dem" reparar como continuam a rebentar escândalos oportunistas, uns a beneficiar o aníbal, outros, o de vilar de maçada, e nunca nenhum a beneficiar-nos a nós.

Relembro que estou coberto de medalhas, na guerra contra sócrates, mas a minha guerra, a verdadeira guerra de todos os portugueses, a batalha de todas as batalhas, tem hoje um nome diferente, e é para aí que devem concentrar as vossas atenções, e wikileakear tudo o que tiverem para wikilekear até lá: dia 25 de janeiro deverá, por cidadania e respeito para com a nossa dignidade nacional, o dia de vexar o homem que nos destruiu as esperanças de modernidade, que assassinou a política e, sobretudo, o partido do qual foi bernardo-eremita, o psd, e tornou portugal na cauda da europa, quando o tempo era de mudança, e esperança, a última esperança de portugal.

Falo de aníbal de boliqueime, evidentemente.

(The Braganza Mothers)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Seg Dez 27, 2010 8:33 pm

Americano pode ser preso por ler e-mail da mulher

27.12.2010

Leon Walker, um americano de 33 anos, arrisca-se a ser condenado a cinco anos de prisão por ter lido e-mails da sua mulher, Clara Walker, para investigar um alegado caso extra-conjugal.

Segundo o jornal "USA Today", Leon Walker, o terceiro marido de Clara Walker, desconfiava que a sua mulher estaria a ter uma relação extra-conjugal e decidiu consultar a sua caixa de correio electrónico a fim de encontrar alguma prova.

Utilizando uma senha que encontrou num livro ao lado do computador (local onde habitualmente Clara guardava todas as senhas de acesso), Leon descobriu um e-mail que evidenciava que Clara estaria a ter um caso com o seu segundo marido, que, por sua vez, já tinha sido preso por ter agredido fisicamente a mulher em frente ao filho menor.

Leon Walker optou por mostrar o e-mail ao primeiro marido de Clara, pai da criança, que entrou de imediato com uma moção para obter a guarda do filho.

"Eu fiz o que tinha de ser feito", disse Leon Walker, um técnico de informática. "Estamos a falar de colocar uma criança em perigo", acrescentou.

No depoimento preliminar, Clara afirmou que o computador era seu e que Leon não tinha acesso a este. Por sua vez, Leon disse que "era um computador da família" e que sempre trabalhou nele.

Os procuradores de Oakland County, na zona de Michigan, recorreram a uma lei estadual tipicamente utilizada para processar os crimes de roubo de identidade e de segredos comerciais para acusar Leon. No entanto, especialistas legais dizem que este será um caso difícil de se provar.

"Vai ser interessante porque não há uma linha condutora legal aqui", disse Frederick Lane, um advogado de Vermont. "O facto de que os dois ainda viviam juntos, e que Leon Walker tinha acesso regular ao computador, pode ajudá-lo", reiterou.

(Jornal de Notícias)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Ter Dez 28, 2010 11:30 pm

A cultura da “lei da rolha”

28.12.2010

Uma empresa, a Ensitel, acaba de mostrar como, em Portugal, a cultura da “lei da rolha” não é um exclusivo do poder político. Confrontada com os protesto de uma cliente, a Maria João Nogueira, que contou o seu caso no seu blogue (Ensitel; Ensitel (take 2); Dia do consumidor; Conflitos de consumo; Centro de Arbitragem de conflitos de consumo; Ensitel (take 6); Ensitel – Take 7), a empresa contratou advogados para a obrigar a eliminar esses textos. A apagá-los. A auto-censurar a sua indignação de consumidora. A Joana reagiu com um novo texto (Ensitel) e o tema pegou fogo no Twitter e no Facebook. Até já há um vídeo no YouTube. O tema espalhou-se pelos blogues (por exemplo aqui, aqui, aqui e, sobretudo, aqui: Ensitel e o pesadelo das redes sociais) e acabou por chegar aos media tradicionais (aqui ou aqui, por exemplo) e a Ensitel não sabe o que fazer. Que tal, em vez de andar a contratar advogados para limitar a liberdade de expressão, começar por tratar melhor os clientes?

(Blasfémias)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...   Hoje à(s) 6:55 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A NET DÁ-LHES CABO DA CABEÇA...
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 3 de 4Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Vontade de raspar a cabeça; você tem ou já teve vontade??
» pintagol com cabeça preta
» Tem problema lavar o cabelo a noite?
» Couro Cabeludo
» como ajeitar o cabelo para dormir?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A LIBERDADE É AMORAL :: NOTICIAS E ACTUALIDADES-
Ir para: