A LIBERDADE É AMORAL

Local de discussão livre sobre todos os temas sociais.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Jan 26, 2010 3:36 pm

ACABEM COM OS PARTIDOS...

"O espírito de partido cria interesses próprios de partido, e exerce sobre toda a actividade mental uma acção perturbadora. E no que vai dito considera-se apenas a melhor hipótese possível: a hipótese, puramente teórica e verbal, de o partido se não engrossar com a malta dos pescadores de todas as águas, que fariam do movimento apenas mais um anzol para pescar na vasa podre do País o peixe dourado das suas ambições. O mais belo movimento de salvação nacional arriscar-se-ia assim a ser pervertido e falsificado pela massa ignata [sic; ignara?] dos sectários, não tardando a ser reduzidos ao silêncio e a ser sacrificados os apóstolos da salvação.

Estou a ver uma objecção aflorar aos lábios do leitor: «O que diz dos partidos políticos não se pode aplicar de pleno direito a todo e qualquer grupo? Não se sobreporão em nenhum caso os interesses do vosso grupo aos interesses do País?»

Mas não querendo nós, em caso algum, deter, como grupo, a governança da nação, quando e como podiam os interesses do nosso grupo colidir com os interesses gerais do País? A minha sinceridade intelectual obriga-me a responder que tal caso era possível. Seria possível, por exemplo, que o estabilismo mental, que o amor às nossas ideias, nos levasse a defendê-las tão afincadamente que a nossa propaganda resistisse à demonstração da sua falsidade ou da sua inconveniência. Esta e muitas outras hipóteses são absolutamente plausíveis quando não abandonamos o campo das simples possibilidades lógicas.

Temos, pois, que um grupo como o que constituímos na Seara Nova pode, em princípio, ser levado à defesa de ideias, de homens e de processos políticos que estejam em conflito com os interesses da nação. O que não se pode, porém, deixar de reconhecer é que as possibilidades desse facto estão aqui reduzidas a um mínimo que não se encontra realizado nos partidos políticos. Um grupo não partidário vale o que valem os seus homens; um partido político, pelo contrário, cria vícios e defeitos próprios. Cremos, pois, ter demonstrado que, dado um mesmo grupo de homens, esse grupo dá mais garantias de desinteresse conservando-se completamente fora de todas as facções do que arrebanhando-se num partido político. A consciência dos interesses nacionais é assim menos refractada que através dum meio puramente partidário.
Mas há mais. A missão que a Seara Nova quer exercer na sociedade portuguesa tem de ser realizada em parte por homens de espírito científico, educados nas disciplinas do pensamento crítico, e por isso fundamentalmente incapazes de se arregimentarem em qualquer facção. Nunca em caso algum esses homens seriam homens de partido. Nunca em caso algum eles poriam, acima das suas convicções, das suas dúvidas ou das suas reservas mentais, qualquer dogma político ou qualquer autoridade partidária.

Mas, mesmo na hipótese de nos resolvermos a constituirmo-nos em partido político, nem por isso deixava de subsistir a necessidade de existir acima dele e de todos os outros partidos um órgão supremo da consciência nacional, em que todos fossem avaliados, comparados e discutidos, e que constituísse, por assim dizer, o tribunal da opinião para que houvesse sempre apelação e agravo.

Ora é este supremo órgão directivo, inspirador e orientador da opinião pública, formado por cabeças e não por espadas, que nós precisamos, antes de mais nada, constituir em Portugal. Enquanto isso se não fizer, o corpo da nação será sem alma e sem vontade, sem rumo e sem destino.
Constituindo-nos em partido político seria novamente errar o caminho - seria frustrar mais uma vez todas as esperanças de renovação nacional.

- Raul Proença, Seara Nova, nº 2, 5-11-1921; in Raul Proença, Antologia, I, prefácio, selecção e notas de António Reis, Lisboa, Ministério da Cultura, 1985, pp.266-269."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: A RAIZ DO MAL - OS DEPUTADOS   Seg Mar 08, 2010 7:16 pm

Em Portugal, os deputados ganham 3708 euros de salário-base, o que corresponde a 50% do vencimento do presidente da República. Os subsídios de férias e de Natal são pagos em Junho e em Novembro e têm direito a10% do salário para despesas de representação.

Como também lhes são pagos abonos de transporte entre a residência e São Bento uma vez por semana, e por cada deslocação semanal ao círculo de eleição, um deputado do Porto, por exemplo, pode receber mais dois mil euros, além do ordenado.

De acordo com o “Manual do Deputado”, os representantes do povo podem estar no regime de dedicação exclusiva e acumularem com o pagamento de direitos de autor, conferências, palestras, cursos breves, etc.

Como o fim da subvenção vitalícia irá abranger somente os deputados eleitos em 2009, os que perfaçam até ao final da legislatura 12 anos de funções (consecutivos ou intervalados) ainda a recebem, mas com menor valor. Quem já tinha 12 anos de funções quando a lei entrou emvigor – em Outubro de 2005 – terá uma subvenção vitalícia de 48% do ordenado base – pelo actual valor, quase 1850 euros – logo que completar 55 anos.

O Governo acautelou assim a situação de parte dos deputados do PS eleitos em 1995, com a primeira vitória de Guterres, pelo que ao fim de dez anos de actividade (até 2005) poderão auferir a pensão vitalícia que corresponde a 40% do vencimento-base – dez anos a multiplicar por 4% do vencimento base auferido quando saiu do Parlamento. A subvenção é cumulável com a pensão de aposentação ou a de reforma até ao valor do salário base de um ministro que é em 2008 de 4819,94 euros. Os subvencionados beneficiam ainda “do regime de previdência social mais favorável aplicável à Função Pública”, diz o documento.

Sócrates recebe pensão vitalícia

José Sócrates tem direito à pensão vitalícia por ter 11 anos de Parlamento. Eleito pela primeira vez em 1987, esteve oito anos consecutivos em funções. Secretário de Estado do Ambiente e ministro da pasta nos Governos de Guterres, voltou em Abril de 2002, onde ficou mais três anos.

Quem tem e vai ter a subvenção

Almeida Santos (PS), Manuela Ferreira Leite, Manuel Moreira e Eduarda Azevedo (PSD), Narana Coissoró e Miguel Anacoreta Correia (CDS-PP) e Isabel Castro (PEV) já requereram a subvenção vitalícia. Outros 31 deputados, 20 dos quais do PS, poderão pedi-la, pois até ao fim de 2009 perfazem 12 anos de mandato, embora só se contabilizem os anos até 2005.

Salário cresceu 77 euros num ano

Em 2007, o vencimento-base de um deputado foi 3631,40 euros. Este ano é de 3707,65 euros , segundo a secretaria-geral da AR. Um aumento de 77 euros.

Presidir à AR dá direito a casa

O presidente da Assembleia da República (AR) recebe 80% do ordenado do presidente da República – 5.810 euros. Recebe ainda um abono mensal para despesas de representação no valor de 40% do respectivo vencimento 2950 euros, o que perfaz 8760 euros. Usufrui de residência oficial e de um veículo para uso pessoal conduzido por um motorista.

Dez têm carro com motorista

Ao presidente do Conselho de Administração (José Lello), aos quatro vices-presidentes da AR – na actual legislatura, Manuel Alegre (PS), Guilherme Silva (PSD), António Filipe (PCP) e Nuno Melo (CDS-PP) – e aos líderes parlamentares é disponibilizado um gabine pessoal, secretário e automóvel com motorista.

Benesses para a Mesa da AR

Para os quatro vice-presidentes da AR (PS, PSD, CDS e PCP) e para os membros do Conselho de Administração, o abono é de 25% do vencimento 927 euros. Os seis líderes parlamentares e os secretários da Mesa têm de abono 20% do salário: 742 euros.

Abono superior ao salário mínimo

Os vice-presidentes parlamentares com um mínimo de 20 deputados (PS e PSD), os presidentes das comissões permanentes e os vice-secretários da mesa têm de abono 15% do vencimento – 555 euros. Mais 129 euros do que o salário mínimo nacional. Uso gratuito de correio, telefone e electricidade. Os governos civis, se solicitados, devem disponibilizar instalações para que os deputados atendam os media ou cidadãos. Os deputados podem transitar livremente pela AR, têm direito a cartão de identificação e passaporte especial e ao direito de uso e porte de arma. Podem também usar, a título gratuito, serviços postais, telecomunicações e redes electrónicas.

Ajudas de custo para os de fora

Quem reside fora dos concelhos de Lisboa, Oeiras, Cascais, Loures, Sintra, Vila Franca de Xira, Almada, Seixal, Barreiro e Amadora recebe 1/3 das ajudas de custo fixadas para os membros do Governo (67,24 euros) por cada dia de presença em plenário, comissões ou outras reuniões convocadas pelo presidente da AR e mais dois dias por semana.

Pára-quedistas ficam a ganhar

Os deputados que residem num círculo diferente daquele por que foram eleitos recebem ajudas de custo, até dois dias por semana, em deslocações que efectuem ao círculo, em trabalho político. Mas também os que, em missão da AR, viajem para fora de Lisboa. No país têm direito a 67,24 euros diários ou a 162,36 euros por dia se forem em serviço ao estrangeiro.

Viagens pagas todas as semanas

Quando há plenário, a quantia para despesas de transporte é igual ao número de quilómetros de uma ida e volta semanal entre a residência do parlamentar e S. Bento vezes o número de semanas do mês (quatro ou cinco) multiplicado pelo valor do quilómetro para deslocações em viatura própria. Uma viagem ao Porto são 600 quilómetros cinco vezes num mês, dá três mil. Como o quilómetro é pago a 0,39 euros, o abono desse mês é de 1170 euros.

Viver na capital também dá abono

Os deputados que residam nos concelhos de Cascais, Barreiro, Vila Franca de Xira, Sintra, Loures, Oeiras, Seixal, Amadora, Almada e Lisboa recebem também segundo a fórmula anterior. Os quilómetros (ida e volta) são multiplicados pelas vezes que esteve em plenário e em comissões, tudo multiplicado por 0,39 euros.

Ir às ilhas com bilhetes pagos

A resolução 57/2004 em vigor, de acordo com a secretaria-geral da AR, estipula que os eleitos pelas regiões autónomas recebem o valor de uma viagem aérea semanal (ida e volta) na classe mais elevada entre o aeroporto e Lisboa, mais o valor da distância do aeroporto à residência. Por exemplo, 512 euros (tarifa da TAP para o Funchal com taxas) multiplicados por quatro ou cinco semanas, ou seja, 2048 euros.

Mais o número de quilómetros (30, por exemplo) de casa ao aeroporto a dobrar (por ser ida e volta) multiplicado pelas mesmas quatro (ou cinco) semanas do mês, e a soma é multiplicada por 0,39 euros, o que dá 936 euros. Ao todo 2980 euros.

Deslocações em trabalho à parte

Ao salário-base, ajudas de custo, abono de transporte mensal há ainda a somar os montantes pela deslocação semanal em trabalho político ao círculo eleitoral pelo qual se foi eleito. Os deputados eleitos por Bragança ou Vila Real são os mais abonados.

Almoço a menos de cinco euros

Os deputados e assessores que transitoriamente trabalham para os grupos parlamentares pagam 4,65 euros de almoço, que inclui sopa, prato principal, sobremesa ou fruta. E salada à discrição. Um aumento de 0,10 euros desde 2006. Nos bares, um café custa 25 cêntimos, uma garrafa de 1,5 litro de água mineral 33 cêntimos e uma sandes de queijo 45 cêntimos.

Imunidade face à lei da Justiça

Não responde civil, criminal ou disciplinarmente pelos votos e opiniões que emitir em funções e por causa delas. Não pode ser detido ou preso sem autorização da AR, salvo por crime punível com pena de prisão superior a três anos e em flagrante delito. Indiciado por despacho de pronúncia ou equivalente, a AR decidirá se deve ou não ser suspenso para acompanhar o processo. Não pode, sem autorização da AR, ser jurado, perito ou testemunha nem ser ouvido como declarante nem como arguido, excepto neste caso quando preso em flagrante delito ou suspeito do crime a que corresponde pena superior a três anos.

Justificações para substituição

Doença prolongada, licença por maternidade ou paternidade; seguimento de processo judicial ou outro invocado na Comissão de Ética, e considerado justificado.
Suspensão pode ir até dez meses
Pedida à Comissão de Ética, deve ser inferior a 50 dias por sessão legislativa e a dez meses por legislatura. Um autarca a tempo inteiro ou a meio tempo só pode suspender o mandato por menos de 180 dias…..

(JORNAL DE NOTÍCIAS | 11.02.2008)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Seg Mar 08, 2010 7:19 pm

Em substituição dos Deputados eu proponho papagaios para a Assembleia da República...

Só precisam de dizer "Sim" ou "Não" conforme o cabecilha mandar...

Já viram bem a poupança que é?...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Mar 16, 2010 8:05 pm

A lei da Rolha nos Partidos...


Estatutos do Partido Socialista

13-Jan-2009

ESTATUTOS APROVADOS NA COMISSÃO NACIONAL DE 29 DE NOVEMBRO DE 2008

VII
DA DISCIPLINA PARTIDÁRIA

Artigo 94º
(Das sanções disciplinares)

1. Os membros do Partido estão sujeitos à disciplina partidária, podendo ser-lhes aplicadas as seguintes sanções:

a. Advertência;

b. Censura;

c. Suspensão até um ano;

d. Expulsão.

2. Três advertências equivalem automaticamente a uma pena de suspensão de três meses.

3. A Comissão Nacional de Jurisdição pode converter em pena de expulsão a terceira ou subsequentes penas de suspensão, para o que o processo lhe é obrigatoriamente remetido com os necessários elementos de instrução.

4. Fora do caso previsto no número anterior, a pena de expulsão só pode ser aplicada por falta grave, nomeadamente o desrespeito aos princípios programáticos e à linha política do Partido, a inobservância dos Estatutos e Regulamentos e das decisões dos seus órgãos, a violação de compromissos assumidos e em geral a conduta que acarrete sério prejuízo ao prestígio e ao bom nome do Partido.

5. Considera-se igualmente falta grave a que consiste em integrar ou apoiar expressamente listas contrárias à orientação definida pelos órgãos competentes do Partido, inclusivé nos actos eleitorais em que o PS não se faça representar.

Artigo 95º
(Da pena de advertência)

1. A pena de advertência consiste no mero reparo pela irregularidade cometida.

2. A pena de advertência é sempre escrita.

Artigo 96º
(Da pena de censura)

1. A pena de censura traduz-se na crítica da conduta do arguido e destina-se a preveni-lo de que os factos praticados são susceptíveis de prejudicar o Partido.

2. A pena de censura é sempre escrita.

Artigo 97º
(Da pena de suspensão)

A pena de suspensão consiste na interrupção de todos os direitos de membro do Partido Socialista durante o período de duração da pena, não podendo o arguido durante a suspensão exercer actividades partidárias.

Artigo 98º
(Da pena de expulsão)

A pena de expulsão implica a cessação definitiva de qualquer vínculo ao Partido Socialista, salvo o caso de revisão da decisão condenatória, fundada nomeadamente no conhecimento de factos novos ou de provas relevantes não tomadas em conta na decisão a rever.

Artigo 99º
(Das garantias de defesa)

1. Nenhum membro do Partido pode ser condenado sem ter sido previamente ouvido, a todos sendo asseguradas as mais amplas garantias de defesa.

2. É facultada aos arguidos a consulta do processo a partir da notificação da nota de culpa, a qual deve caracterizar claramente a infracção imputada e conter uma referência aos principais meios de prova.

3. As decisões da Comissão Nacional de Jurisdição são definitivas e delas não cabe recurso, salvo recurso de revisão da decisão condenatória, fundado em novos factos ou novos elementos de prova.

Artigo 100º
(Da competência disciplinar dos órgãos nacionais)

1. A Comissão Nacional e a Comissão Política Nacional podem suspender preventivamente qualquer militante, após a audição deste, quando julguem essa medida necessária à salvaguarda da unidade, do prestígio e do bom nome do Partido, atenta a gravidade dos factos imputados, as repercussões internas ou externas que os mesmos possam provocar, bem como a existência de indícios suficientes da verdade da imputação.

2. A suspensão preventiva prevista no número anterior, é submetida de imediato à ratificação da Comissão Nacional de Jurisdição, e exerce-se nos termos da alínea e) do art. 81º até ao termo do processo, salvo decisão em contrário devidamente fundamentada daquela Comissão.

3. A Comissão Nacional, sob proposta da Comissão Política Nacional, e após prévia audição do respectivo órgão executivo, pode dissolver qualquer Secção ou Federação que deliberada ou sistematicamente viole a Declaração de Princípios, o Programa do Partido, os Estatutos ou os Regulamentos do Partido.

4. Das deliberações previstas nos números anteriores 1 e 3 cabe recurso para a Comissão Nacional de Jurisdição, a interpor dentro do prazo de quinze dias.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Sex Mar 19, 2010 12:07 am

E esta heeeimmm!!!!!!!!

Narciso Miranda acusa o PS de estar a seguir práticas «estalinistas» quando expulsa militantes que não apoiaram os candidatos do partido nas últimas eleições autárquicas. Em declarações à «TSF», o socialista sublinha que a «atitude» do PS é «muito pior» do que a chamada «lei da rolha» aprovada pelo PSD.

«O que há no PS é muito pior do que a lei da rolha. É limpar dezenas de pessoas dos cadernos porque vai haver eleições internas. São estas atitudes, de autêntica purga, são estalinistas. Condena-se primeiro e depois diz-se: agora defenda-se», criticou.

Narciso Miranda sublinhou também que o PS ainda não concretizou a sua expulsão do partido porque tem «medo» das reacções.

«Até este momento, eu ainda não recebi carta nenhuma, mas os meus apoiantes receberam. Isso acontece, talvez porque tenham medo de se instalar um processo e daquilo que eu tenho para dizer», sugeriu.

(Sol - pgcensurex, em 2010-03-18)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Sex Mar 19, 2010 6:22 pm

Deputados socialistas batem com as tampas dos computadores

Vários deputados do PS fecharam com força os seus computadores em protesto contra as explicações do presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, sobre a natureza de serviço público daqueles computadores. Deputados revoltados com o que dizem ser violação da sua privacidade

O protesto dos deputados aconteceu quando Jaime Gama respondia a uma interpelação do deputado socialista, e presidente do Conselho de Administração da AR, José Lello, que se queixou de os repórteres fotográficos captarem imagens dos écrans dos computadores dos deputados, violando a sua privacidade.

O presidente da AR respondeu que os computadores não são pessoais e que há regras para o trabalho dos repórteres, estando ao alcance dos deputados mudarem essas regras se o entenderem. Estas declarações de Gama suscitaram também uma vozearia na bancada do PS. Lello ocupava um lugar na penúltima fila de cadeiras da bancada socialista, mais próxima da galeria onde habitualmente se encontram os fotógrafos.

José Lello, ao PÚBLICO, explicou que não houve hoje nenhum incidente de violação de privacidade que o levasse a fazer o protesto. "É uma situação que já vem de trás e até já foi publicada a imagem de um SMS de um deputado". Mas na interpelação referiu e apontou para um repórter que o fotografava.

Lello contraria Jaime Gama: "Os computadores são pessoais, esse é o engano do presidente."

Pouco antes da interpelação ao Presidente, já tinha havido outro momento de tensão. Depois da dura repreensão de Gama ao secretário de Estado, ameaçando mesmo retirar-lhe a palavra, o governante fez a intervenção e foi muito aplaudido pela bancada do PS.

(Público)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Qua Abr 07, 2010 5:04 pm

Presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos é a favor da liberalização do tráfico de influências leves

O PS e o PSD emitiram um comunicado conjunto a saudar o Bloco de Esquerda.

Segundo estes partidos as buscas efectuadas pela Polícia Judiciária na Câmara Municipal de Salvaterra de Magos demonstram que o partido de Louçã já ultrapassou a fase “indie” e prepara-se para se assumir como um partido do sistema.

“Fiquei agradavelmente surpreendido com a postura de Francisco Louçã, demonstrando uma profícua maturidade política ao ter reagido às buscas da PJ «com toda a naturalidade»”, afirmou Marques Mendes.

Segundo Tânia Laranjo, Louçã usou a reacção nº 34 do Código de Conduta Valentim Loureiro que consiste em dizer aos jornalistas «ninguém deve ter medo da verdade, que se investigue até ao fim».

Louçã tem sido elogiado pela derradeira atitude que distingue um partido radical de um partido com capacidade de assumir o poder ao afirmar que, apesar das buscas da PJ, mantém a confiança política na presidente da unica Câmara conquistada pelo Bloco de Esquerda.

(João Henrique)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Dom Abr 18, 2010 6:38 pm

O Zequinha estuda numa escola pública...
Um dia, entra na escola muito contente.
A Directora, vendo a alegria do menino, logo pergunta:
- Zequinha, porquê tanta alegria?
Zequinha responde:
- É que a minha cachorrinha teve 8 cachorrinhos e são todos do PS.
A Directora ficou esfuziante, e disse:
- Que lindo, Zequinha. Na próxima semana seremos visitados pelo Primeiro Ministro, Engº José Sócrates, e ele ficará contente quando souber isso. Quando ele estiver aqui, eu peço-te para contares. Certo Zequinha?...
Na outra semana, o Primeiro Ministro visita a escola e conforme o combinado o Zequinha fala:
- Senhor Primeiro Ministro, Senhora Directora, sabia que minha cachorrinha ganhou 8 cachorrinhos e 4 são do PS ?
A Directora, espantada, pergunta: - Mas Zequinha, tinhas-me dito que os 8 eram do PS...
Responde o menino:
- Eram sim Senhora Directora, mas é que 4 já abriram os olhinhos...
Voltar ao Topo Ir em baixo
REGINALDO



Mensagens : 666
Data de inscrição : 15/12/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Abr 20, 2010 7:15 pm

Os PARTIDOS , sao MAFIAS ORGANIZADAS E LEGAIS!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Dom Abr 25, 2010 12:45 pm

OS PASSARÕES NÃO PASSARÃO!

Não desesperes, Mãe!
O último triunfo é interdito
Aos heróis que não o são.
Lembra-te do teu grito:
Não passarão!

Não passarão!
Só mesmo se parasse o coração
Que te bate no peito.
Só mesmo se pudesse haver sentido
Entre o sangue vertido
E o sonho desfeito.
Só mesmo se a raiz bebesse em lodo
De traição e de crime.
Só mesmo se não fosse o mudo todo
Que na tua tragédia se redime

Não passarão!
Arde a seara, mas dum simples grão
Nasce o trigal de novo.
Morrem filhos e filhas da nação,
Não morre um povo!

Não passarão!
Seja qual for a fúria da agressão,
As forças que te querem jugular
Não poderão passar
Sobre a dor infinita desse não
Que a terra inteira ouviu
E repetiu:
Não passarão!

(Miguel Torga)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Sab Maio 01, 2010 11:10 am

Petição online exige que Inês de Medeiros renuncie ao mandato

Está a circular na internet uma petição para que a deputada Inês de Medeiros renuncie ao cargo de deputada. A iniciativa já angariou quase dez mil assinaturas

A deputada Inês de Medeiros foi eleita pelo círculo de Lisboa nas últimas eleições legislativas. Mas a deputada tem residência em Paris e tinha solicitado à Assembleia da República que pagasse as viagens que efectua para a capital francesa. A questão não é nova mas ganhou novos contornos.

Um grupo de «cidadãos da República Portuguesa» criou uma petição na internet com o objectivo de «exigir que a senhora Inês de Medeiros renuncie ao cargo de deputada o mais depressa possível!».

O grupo de cidadãos considera que os dinheiros públicos devem ser utilizados em prol «da generalidade dos portugueses», e que cabe ao Estado pagar as deslocações dos deputados ao estrangeiro «mas apenas e só quando estas disserem respeito ao exercício das suas funções parlamentares».

No manifesto disponível online pode ler-se ainda que «é imoral que, numa altura em que se pedem sacrifícios aos cidadãos portugueses, a senhora deputada Inês de Medeiros não seja capaz de pagar os seus desejos cosmopolitas do seu próprio bolso e espere que sejam os contribuintes a fazê-lo».

A petição, endereçada ao presidente da Assembleia da República, ao grupo Parlamentar do PS e à própria deputada Inês de Medeiros, já recolheu quase dez mil assinaturas.

Recorde-se que Jaime Gama, Presidente da Assembleia da República, aprovou o pagamento das viagens da deputada, mas alertou que esta condição pode ser alterada caso haja uma alteração do enquadramento legal em vigor.

online@sol.pt
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Sab Maio 01, 2010 11:14 am

Claro é tudo normal pá ...

A deputada viver em Paris e trabalhar em lisboa pá ... alé das viagens pá paga-se ajudas de custo ..

É normal O VARA ganhar o ordenado mesmo não fazendo nada e estando num processo pá

É normal o Manuel alegre pá ganhar uma das reformas por ter trabalhado nuam estação de rádio 3 meses pá

É normal nos estarmos na bancarrota e pedirmos dinheiro para emprestar á Grécia pá

É normal estarmos na bancarrota e fazermos obras faraónicas pá

É normal o Prisendente do banco de Portugal ganhar quase 2 vezes mais que o Bernake ...

É Normal ....

É normal ...

Tudo é normal em portugal

O Povo que paga isto é que são uma cambada de anormais pá ...

(Sol - ultimo, em 2010-04-30)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Sab Maio 01, 2010 11:16 am

Lamentável a entrevista de Inês de Medeiros. A senhora nem sabe sequer expressar-se em bom português.Tem dificuldades sérias e tenta colmatá-las com demasiados gestos e trejeitos à francesa. O discurso é de uma pobreza só comparável ao daqueles que tendo nascido pobres, não tendo tido quaisquer oportunidades na vida, não tendo recebido quaisquer ajudas para poder estudar, singrar e viajar, falam como esta Deputada da Nação... Lamentável... E porque espera o PS para lhe dar o prazer de a reenviar para a cidade luz de que tanto gosta? Parafraseando o discurso de um célebre filme português: E...«quando lá chegares manda saudades, que é coisa que cá não deixas...»

(Sol - Kikika, em 2010-04-30)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Sab Maio 01, 2010 11:18 am

uma "realizadora de trazer por casa" sem credibilidade cinematográfica nem encomendas do regime, e que nem os canais de televisão franceses compram, apesar de ter boas "cunhas" num deles..

adaptou-se a qualquer "frete" socialista, até mesmo o de ser mandatária do Kunhal Moreira, para ter um "tacho" perto de casa como Eurodeputeda.. à custa dos "trouxas" desse país distante chamado de Portugal, e que dá imenso jeito para este tipo de "filmes"..

afinal a "bilheteira" não lhe saíu como esperava, e como não gosta muito de pegar em esfregonas, acabou por aceitar o trabalho complicado de fazer sessões de "fisioterapia partidária", levantando e baixando o braço de acordo com a coreografia cor de rosa..

como em França há muita menina a querer tentar a sorte pela via horizontal nos canais de televisão, a mademoiselle tem de se deslocar semanalmente a Paris para a Queca de satisfação do Canal Plus.. mas não faz mal que os "trouxas" dos Tugas, pagam a viagem o champagne e os preservativos..

(Sol - icebreaker, em 2010-05-01)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Seg Maio 10, 2010 12:51 pm

O medo...

Os ratos invadiram a cidade
povoaram as casas os ratos roeram
o coração das gentes.
Cada homem traz um rato na alma.
Na rua os ratos roeram a vida.
É proibido não ser rato.

Canto na toca. E sou um homem.
Os ratos não tiveram tempo de roer-me
os ratos não podem roer um homem
que grita não aos ratos.
Encho a toca de sol.
(Cá fora os ratos roeram o sol).
Encho a toca de luar.
(Cá fora os ratos roeram a lua).
Encho a toca de amor.
(Cá fora os ratos roeram o amor).

Na toca que já foi dos ratos cantam
os homens que não chiam. E cantando
a toca enche-se de sol.
(O pouco sol que os ratos não roeram).

(Alexandre O'Neill)


PS - Continuem a votar neles...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Maio 11, 2010 5:58 pm

O PS está a destruir Portugal

Caros amigos, vou a transcrever um artigo de jornal, de um jornal britânico, que é o seguinte:

"Corruption is rife say Portuguese

A study by a university professor has found that Portuguese believe corruption to be increase. A total of 51.9 percent of respondents said the period between 2000 and now is when most corruption existed in the country. This period is followed by 1974-1979 , elected by 19.8 percent as having been most corrupt time in Portugal."

In The Portugal News, de 23/6/2007.

É tempo de gritar basta!

Basta!

O PS começou com Mário Soares a destruir Portugal. Portugal com Mário Soares permaneceu o País miserável, provincioano, atrasado que sempre foi.

Nem o negócio do marfim com a Unita nos safou! Nem as comendas aos torcionários do regime anterior alteraram qualquer coisa.

Mario Soares foi o pior Primeiro Ministro da Europa.

Um Primeiro Ministro que permite que o seu país seja a vergonha da Europa não merece consideração.

A "Europa Está Connosco não passou não passa de um eufemismo.

Mário Soares é um dos carrasco de Portugal.

Isto não tem nada a ver com a descolonização.

Portugal devia ter descolonizado em 1961 e não em 1975 - rectius em 1974, ectius em 1973 tendo em atenção Medina do Boé - para acertarmos os passos com a História.

Estamos a bater no fundo.

A mesmo tempo que o Estado financia a Fundação Màrio Soares o povo está com fome.

Basta ver a primeira página daquele jornal para vermos que Portugal está no lodo. Assentou no fundo do oceano!

Veja-se a noticia com título " Portugal Excluded in child sex raid

A vergonha total.

Corrupção galopante, descré4dito na nossa policia ,a ponto de a grande operação de combate à pedófilia ter sido levada a cabo sem a colaboração da nossa policia.

José Sócrates vai Presidir ao quê?

Haja vergonha!

O PS português podee estar a pensar que o Partido Socialista Europeu vai ajudar. Mas não vai.

A Europa tem de saber e investigar a porcaria que grassa entre nós.

Ita missa est.

Como disse o Almirante Pinheiro de Azevedo barda.... .

Já agora onde é que José Sócrates faz jogging em Portugal? Alguém o viu a fazer?

Às armas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

(José Maria Martins)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Dom Maio 16, 2010 8:34 pm

Este homem é do PS...

Um homem caminha estrada fora, quando percebe a pouca distância, um balão voando baixo.
O balonista acena-lhe desesperadamente, consegue fazer o balão baixar o máximo possível e grita-lhe:
" Ei, você, poderia ajudar-me? Prometi a um amigo que me encontraria com ele às duas da tarde, porém já são duas e meia e nem sei onde estou."
O outro homem, com muita cortesia, respondeu:
" Mas claro que posso ajudá-lo! Você se encontra num balão de ar quente, flutuando a uns vinte metros acima da estrada. Está a quarenta graus de latitude norte e a cinquenta e oito graus de longitude oeste."
O balonista escuta com atenção e depois pergunta-lhe com um sorriso:
" Amigo, você é engenheiro?"
" Sim senhor, ao seu dispôr! Como conseguiu adivinhar?"
"Porque tudo o que você me disse está perfeito e tecnicamente correcto, porém essa informação é-me totatalmente inútil, pois continuo perdido. Será que não tem uma resposta mais satisfatória?"
O engenheiro fica calado por alguns segundos e finalmente pergunta ao balonista:
" E você, não será por acaso um socialista?"
"Sim, sou realmente filiado no PS. Como descobriu?"
"Ah! Foi muito fácil! Você não sabe onde está nem para onde vai. Fez uma promessa que não tem a mínima ideia de como irá cumpri-la e ainda por cima espera que outra pessoa resolva o seu problema. Continua exactamente tão perdido quanto antes de me perguntar, porém, agora, estranhamente, a culpa passou a ser minha...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Seg Maio 24, 2010 5:44 pm

Diário da República (da pouca vergonha) nº 28 de 10-02-2010.

Diário da República nº 28 - I série- datado de 10 de Fevereiro de 2010 - RESOLUÇÃO da Assembleia da República nº 11/2010.

Poderão aceder através do site http://www.dre.pt

Algumas rubricas do orçamento da Assembleia da Republica

1 - Vencimento de Deputados: - 2 milhões 349 mil Euros;
2 - Ajudas de Custo de Deputados: - 2 milhões 724 mil Euros;
3 - Transportes de Deputados: - 3 milhões 869 mil Euros;
4 - Deslocações e Estadas: - 2 milhões 363 mil Euros;
5 - Assistência Técnica (??): - 2 milhões 948 mil Euros;
6 - Outros Trabalhos Especializados (??): - 3 milhões 593 mil Euros;
7 - RESTAURANTE,REFEITÓRIO,CAFETARIA: - 961 mil Euros;
8 - Subvenções aos Grupos Parlamentares: - 970 mil Euros;
9 - Equipamento de Informática: - 2 milhões 110 mil Euros;
10- Outros Investimentos (??): - 2 milhões 420 mil Euros;
11- Edificios: - 2 milhões 686 mil Euros;
12- Transfer's (??) Diversos (??): - 13 milhões 506 mil Euros;
13- SUBVENÇÃO aos PARTIDOS na A. R.: - 16 milhões 977 mil Euros;
14- SUBVENÇÕES CAMPANHAS ELEITORAIS: - 73 milhões 798 mil Euros;
EM RESUMO O TOTAL DA DESPESA ORÇAMENTADA PARA O ANO de 2010, É O SEGUINTE:

- € 191.405.356,61 (191 Milhões 405 mil 356 Euros e 61 cêntimos)

- Ver Folha 372 do acima identificado Diário da República nº 28 - 1ª Série -, de 10 de Fevereiro de 2010.

Vamos lá então ver se isto agora já o começa a incomodar um "bocadinho".

Repare:

- Cada deputado, em vencimentos e encargos directos e indirectos custa ao País, cerca de 700.000 Euros por ano.

- Ou seja cerca de 60.000 Euros mês.

- E depois pedem sacrifícios ao povo???????

MAS AFINAL QUE "RAIO" DE GOVERNANTES PORTUGAL TEM?

MAÇONS, LADRÕES, VIGARISTAS, ALDRABÕES, BURLADORES, MAFIOSOS???

(PRESIDENTE DA REPÚBLICA, 1º MINISTRO, MINISTROS, SECRETÁRIOS DE ESTADO, DEPUTADOS, GESTORES PÚBLICOS DE EMPRESAS PÚBLICAS, GESTORES PÚBLICOS DE EMPRESAS PRIVADAS DE CAPITAIS PÚBLICOS, PRESIDENTES DOS INSTITUTOS DO ESTADO, PRESIDENTES DAS "ERSES" DESTE PAÍS, PRESIDENTES DAS FUNDAÇÕES, GESTORES DAS EMPRESAS DE CAPITAIS MISTOS (PÚBLICOS E PRIVADOS), ETC., ETC., ETC.).

TODOS A ROUBAR O ZÉ POVINHO ATÉ O MATAR DE FOME!!!

CAMBADA DE CHULOS!!!

(Publicada por Bar do Alcides)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Maio 25, 2010 1:47 pm

Deputados vão receber mais dinheiro para viagens e transportes

A crise parece não ter chegado à Assembleia da República. Só para transportes os deputados irão receber mais 25% do que em 2009, ou seja, mais 780 mil euros do que no ano anterior, avança o Correio da Manhã

Apesar de estar prevista uma redução de 5% nos salários dos deputados, o orçamento do Parlamento para 2010 prevê aumentos significativos face a 2009. Entre outras, são aumentadas as verbas para transporte, deslocação dos deputados, despesas com seminários, exposições e similares, artigos honoríficos e de decoração do Parlamento, escreve o Correio da Manhã.

Só a rubrica "outros trabalhos especializados", explica o CM, vai receber mais meio milhão de euros do que em 2009. O subsídio de reintegração dos deputados cresceu para mais de um milhão de euros em 2010.

Também os partidos políticos parecem passar ao lado da crise, recebendo 16,9 milhões de subvenções e 73,7 milhões para campanhas eleitorais.

SOL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Maio 25, 2010 6:56 pm

Esta eu acho muito bem ....

Proponho que cada deputado tambem receba pelo menos 50000 euros para roupa ...

Não deve ser só o Chefe que deve vestir bem ... os nossos deputados devem comprar boa roupa e andar bem vestidos de fato e gravata ...

Não é como o BE ali todos de sapatilhas ...

Ah Proponho tambem mais un subsidio de 20000 euros para ACOMPANHANTES DE LUXO ...

Os deputados merecem isso tambem ... com o trabalho stressante que levam ...

Quem não gostar de acompanhantes de luxo femininas pode contratatar MASCULINOS ...

A e um sbsidio tambem pelas injurias a que estão sugeitos nos jornais e nos telejornais ...

Como por exemplo o caso do Ladrão Rodrigues ...

Acho que ainda faltam mais uns subsidios mas agora não me lembro de mais ...

(Sol - ultimo, em 2010-05-25)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Maio 25, 2010 7:01 pm

Vê-se a casta desta escumalha: são mentiroso e ladrões(veja-se o deputado ricardo rodrigues a furtar os gravadores dos jornalistas. Eles não tentam resolver a situação mas sim roubar mais e mais dinheiro para eles.Veja-se as medidas e os governos inglês e espanhol e outros impõem a eles próprios: não comprar viaturas novas, acabar com os subsidios de viagens(ingleses); o governo espanhol corta 15% dos seus salários. E o português? continua a gastar como se nada fosse uma vez que quem paga somos nós.Continua a pagar a deputada que mora em paris as viagens, continuam com os subsidios de viagem e outros, e é assim que nos pedem sacrificios, coisa que eles não fazem!!

(Sol - Ulisses9, em 2010-05-25)
Voltar ao Topo Ir em baixo
REGINALDO



Mensagens : 666
Data de inscrição : 15/12/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Maio 25, 2010 7:57 pm

A MERKEL ja lhes da a SENTENCA!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Sex Jul 16, 2010 5:11 pm

DEPUTADOS NO REINO UNIDO...!

Não é de estranhar, mas é interessante saber... como tudo é diferente...!

Os deputados do Reino Unido, na "Mãe dos Parlamentos":

1 . Não têm lugar certo onde sentar-se, na Câmara dos Comuns;

2 . Não têm escritórios, nem secretários, nem automóveis;

3 . Não têm residência paga (pagam pela sua casa em Londres ou na província);

4. Pagam, por todas as suas despesas, normalmente, como todo qualquer trabalhador;

5 . Não têm passagens de avião gratuitas, salvo quando ao serviço do próprio Parlamento;

6. E o seu salário equipara-se ao de um chefe de secção de qualquer repartição pública.

Em suma, são SERVIDORES DO POVO e não PARASITAS do mesmo.

A propósito: sabiam que, em Portugal, até os funcionários não deputados que trabalham na Assembleia têm um subsídio equivalente a 80 % do seu vencimento? Isto é, quem cá fora ganhasse 1000,00 €, lá dentro ganharia 1800,00 €.

Porquê? Profissão de desgaste rápido? E por que é que os jornais não falam disto?

Porque têm medo? Ou porque não podem?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Jul 20, 2010 5:49 pm

Deputado do PS e dirigente do Bloco insultam-se em directo

19.07.2010

«Mal-educado, grosseirão e ordinário» foi o que o dirigente do BE, Teixeira Lopes, chamou ao deputado do PS Strecht Ribeiro. O socialista respondeu na mesma moeda, acrescentando qualificativos como «demagogo» e «mal criado». Troca de galhardetes foi em directo na RTP-N

Ontem à noite, no programa ‘Pontos de Vista’ da RTP-N, representantes dos cinco partidos com assento parlamentar debatiam a actualidade da política nacional. Já perto do final, o deputado socialista Orlando Strecht-Ribeiro disse uma coisa e, na sua vez, o bloquista João Teixeira Lopes retomou as palavras do adversário.

Do ‘diz que disse’ ao ‘não disse’ foi um passo, até ao insulto pessoal não foram precisos muitos mais. Todos somados, chegaram para Teixeira Lopes abandonar o debate e sair do estúdio.

«Ao contrário do que diz o PCP e Bloco de Esquerda, entendemos que estas medidas ainda que dolorosas e ainda que ao arrepio daquilo que é o código genético do Partido Socialista e não só – de outros partidos da esquerda democrática na Europa – são absolutamente indispensáveis para salvaguardar as pessoas mais carenciadas e que têm mais dificuldades», dizia Strecht-Ribeiro aos 39 minutos e 15 segundos, justificando algumas medidas de austeridade impostas pelo actual Governo.

Ao tomar a palavra, pelo minuto 41 e meio, João Teixeira Lopes disse achar «muito curioso que o Strecht Ribeiro refira que o PS está a governar ao arrepio do seu código genético».

«Não disse nada disso», contrapôs o deputado socialista. O candidato do Bloco à Câmara do Porto nas últimas autárquicas pediu silêncio, tentando retomar o discurso sempre com a mesma expressão que teria sido usada pelo deputado PS: «Não me interrompa Strecht Ribeiro. Eu estou a falar, estou no direito da palavra».

«Você não pode pôr na minha boca o que eu não disse», contrapunha Strecht Ribeiro.

Nos minutos seguintes assistiu-se a um fogo cruzado de insultos políticos e pessoais.

«Mal-educado», «grosseiro e ordinário», disparou o bloquista.

«Mal-educado é você. É ordinário, é grosseiro, é mal criado», respondeu o eleito pelo PS.

Teixeira Lopes criticou a «cassete» socialista, o socialista respondeu nos mesmos termos.

O nível do debate não melhorou, com o dirigente do BE a defender que «as pessoas que não têm a capacidade de ouvir não devem estar em programas de debate político», referindo-se ao «grosseirão» que dizia ter a seu lado.

«Grosseirão é você», voltou a responder Strecht Ribeiro.

«Não me impede de dizer o que quero dizer. É uma ditadura do Partido Socialista e do Strecht Ribeiro! O senhor não tem o mínimo espírito democrático», atacou Teixeira Lopes antes de ser chamado de «demagogo» pelo visado.

Foi então que Teixeira Lopes, que «estava a falar» e terá sido «brutalmente interrompido», pegou nas suas coisas e, protestando, abandonou o debate com juras de ódio eterno: «Nunca mais».

«Eu consigo também nunca mais», rematou Strecht Ribeiro, que permaneceu no lugar, acabando por ser ele a encerrar o programa, disponível na íntegra no site da RTP.

SOL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Ter Jul 20, 2010 5:50 pm

Mas o Xuxa é que disse que estavam a governar ao arrepio do seu código genético (seja lá o que isso for): "(...) e ainda que ao arrepio daquilo que é o código genético do Partido Socialista (...)".
Disse e já não foi a tempo de meter no bolso o que tinha dito.
Considero o BE o partido mais demagógico e hipócrita da política portuguesa, mas, nesta rábula circense, até tiveram razão.

(Sol - Liberdade, em 2010-07-20)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA   Hoje à(s) 6:51 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
OS PARTIDOS POLÍTICOS - O CANCRO DA DEMOCRACIA
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte
 Tópicos similares
-
» POLÍTICOS FAZEM DECURSO NO PÚLPITO DA CCB
» Como pensam e agem alguns defensores da CCB
» CCB E A POLÍTICA
» Lojas de Cosméticos BBB em Brasília?
» Tratamentos estéticos

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A LIBERDADE É AMORAL :: POLÍTICA-
Ir para: