A LIBERDADE É AMORAL

Local de discussão livre sobre todos os temas sociais.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 A VOZ DO POVO...

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
AutorMensagem
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Seg Out 25, 2010 8:11 pm

Poema de agradecimento à corja

Obrigado, excelências.
Obrigado por nos destruírem o sonho e a oportunidade de vivermos felizes e em paz.
Obrigado pelo exemplo que se esforçam em nos dar de como é possível viver sem vergonha, sem respeito e sem dignidade.
Obrigado por nos roubarem. Por não nos perguntarem nada.
Por não nos darem explicações.
Obrigado por se orgulharem de nos tirar as coisas por que lutámos e às quais temos direito.
Obrigado por nos tirarem até o sono. E a tranquilidade. E a alegria.
Obrigado pelo cinzentismo, pela depressão, pelo desespero.
Obrigado pela vossa mediocridade.
E obrigado por aquilo que podem e não querem fazer.
Obrigado por tudo o que não sabem e fingem saber.
Obrigado por transformarem o nosso coração numa sala de espera.
Obrigado por fazerem de cada um dos nossos dias um dia menos interessante que o anterior.
Obrigado por nos exigirem mais do que podemos dar.
Obrigado por nos darem em troca quase nada.
Obrigado por não disfarçarem a cobiça, a corrupção, a indignidade.
Pelo chocante imerecimento da vossa comodidade e da vossa felicidade adquirida a qualquer preço.
E pelo vosso vergonhoso descaramento.
Obrigado por nos ensinarem tudo o que nunca deveremos querer, o que nunca deveremos fazer, o que nunca deveremos aceitar.
Obrigado por serem o que são.
Obrigado por serem como são.
Para que não sejamos também assim.
E para que possamos reconhecer facilmente quem temos de rejeitar.

(Joaquim Pessoa)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Out 26, 2010 2:46 pm

O que Portugal realmente precisa…

Pronto! Finalmente descobrimos aquilo de que Portugal realmente precisa: uma nova frota de jactos executivos para transporte de governantes. Afinal, o que é preciso não são os 150 mil empregos que José Sócrates anda a tentar esgravatar nos desertos em que Portugal se vai transformando. Tão-pouco precisamos de leis claras que impeçam que propriedade pública transite directamente para o sector privado sem passar pela Partida no soturno jogo do Monopólio de pedintes e espoliadores em que Portugal se tornou. Não precisamos de nada disso. Precisamos, diz-nos o Presidente da República, de trocar de jactos porque aviões executivos "assim" como aqueles que temos já não há "nem na Europa nem em África". Cavaco Silva percebe, e obviamente gosta, de aviões executivos. Foi ele, quando chefiava o seu segundo governo, quem comprou com fundos comunitários a actual frota de Falcon em que os nossos governantes se deslocam.

Voei uma vez num jacto executivo. Em 1984 andei num avião presidencial em Moçambique. Samora Machel, em cuja capital se morria à fome, tinha, também, uma paixão por jactos privados que acabaria por lhe ser fatal. Quando morreu a bordo de um deles tinha três na sua frota. Um quadrimotor Ilyushin 62 de longo curso, versão presidencial, o malogrado Antonov-6, e um lindíssimo bimotor a jacto British Aerospace 800B, novinho em folha. Tive a sorte de ter sido nesse que voei com o então Ministro dos Estrangeiros Jaime Gama numa viagem entre Maputo e Cabora Bassa. Era uma aeronave fantástica. Um terço da cabina era uma magnífica casa de banho. O resto era de um requinte de decoração notável. Por exemplo, havia um pequeno armário onde se metia um assistente de bordo magro, muito esguio que, num prodígio de contorcionismo, fez surgir durante o voo minúsculos banquetes de tapas variadíssimas, com sandes de beluga e rolinhos de salmão fumado que deglutimos entre golinhos de Clicquot Ponsardin. Depois de nos mimar, como por magia, desaparecia no seu armário. Na altura fiz uma reportagem em que descrevi aquele luxo como "obsceno". Fiz nesse trabalho a comparação com Portugal, que estava numa craveira de desenvolvimento totalmente diferente da de Moçambique, e não tinha jactos executivos do Estado para servir governantes.

Nesta fase metade dos rendimentos dos portugueses está a ser retida por impostos. Encerram-se maternidades, escolas e serviços de urgência. O Presidente da República inaugura unidades de saúde privadas de luxo e aproveita para reiterar um insuspeitado direito de todos os portugueses a um sistema público de saúde. Numa altura destas, comprar jactos executivos é tão obsceno como o foi nos dias de Samora Machel. Este irrealismo brutalizado com que os nossos governantes eleitos afrontam a carência em que vivemos ultraja quem no seu quotidiano comuta num transporte público apinhado, pela Segunda Circular ou Camarate, para lhe ver passar por cima um jacto executivo com governantes cujo dia a dia decorre a quilómetros das suas dificuldades, entre tapas de caviar e rolinhos de salmão. Claro que há alternativas que vão desde fretar aviões das companhias nacionais até, pura e simplesmente, cingirem-se aos voos regulares. Há governantes de países em muito melhores condições que o fazem por uma questão de pudor que a classe que dirige Portugal parece não ter.

Vi o majestático François Miterrand ir sempre a Washington na Air France. Não é uma questão de soberania ter o melhor jacto executivo do Mundo. É só falta de bom senso. E não venham com a história que é mesquinhez falar disto. É de um pato-bravismo intolerável exigir ao país mais sacrifícios para que os nossos governantes andem de jacto executivo. Nós granjearíamos muito mais respeito internacional chegando a cimeiras em voos de carreira do que a bordo de um qualquer prodígio tecnológico caríssimo para o qual todo o Mundo sabe que não temos dinheiro.

(JN - Mário Crespo)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qua Out 27, 2010 8:38 pm

O PSD não se pode vergar ao PS e ao Governo, nem aos interesses da candidatura de Cavaco Silva - Oposição tem de ser firme!

27.10.2010

Fico agradado com a falta de acordo do PSD com o Governo na questão do défice.

Portugal esta a bater no fundo: Um dos países mais corruptos; Pior educação; O terceiro país do Mundo que menos cresceu; corrupção galopante; desemprego galopante, Pobreza que nos envergonha; Um dos sistemas de justiça piores no Mundo.

O PSD só tinha de não fazer acordo com o Governo.

O PSD deve ser firme, ou deixa de ser Oposição.

Passos Coelho tem de ser forte ou mostrava não ter estaleca para ser candidato a Primeiro Ministro.

Portugal hoje é um coito para corruptos, incompetentes, traficantes de influências, políticos venais.

É agora ou não será nunca que o PSD se impõe e vence a miséria que o PS quer impor a Portugal.

Cavaco Silva não pode condicionar a liberdade da Oposição, depois de também ser responsável pelas politicas de José Socastes.

Todos estão de acordo - até Mário Soares - que o Orçamento é mau e querem impô-lo?

Que Portugal é este?

Cavaco Silva deve ser imparcial e isento, ele que destruiu o PSD quando escreveu no Expresso o artigo sobre a Lei de Gresham, os maus políticos!

Cavaco queimou Santana Lopes e o PSD e deu o Poder ao PS.

Agora não pode condicionar a Oposição, e nomeadamente o PSD no Orçamento.

Cavaco Silva não pode ser o "salvador" deste Governo incompetente.

Esta na hora da mudança!

Os "Mercados" sabem que o Orçamento é mau, que Portugal não cresce, que são tudo medidas de cosmética para enganar tolos.

Derrube do Governo já!

E processo crime contra os maus políticos.

A culpa não pode morrer solteira.

Ou o PS e o Governo cedem ou então - RUA!

E Processo crime.

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qui Out 28, 2010 9:00 pm

Assassination Tango.

27.10.2010

O outro aniversário: 27 de Outubro de 2010. Faz seis anos que, de noite, a minha família, a minha casa e a casa de minha mãe, foram buscadas por instrução do sistema. A intimidação não resultou, nem resulta. Recomeço. Hoje, é dia de combate, como todos os dias, sem trégua, nem medida, nem corpo. Tencionava escrever um poste de apoio à recandidatura do Prof. Cavaco Silva a Presidente da República, anunciada ontem, 26-10-2010, à noite, mas a urgência da farsa orçamental desviou-me. Voltarei ao tema. Por agora, segue a música do Governo, o coro dos media controlados e o espanto do público.

Quase seis meses depois de la mordida do primeiro tango rosa (de 28-4-2010), o giro con barrida y boleo do segundo (de 27-10-2010).

Primeiro, faço uma síntese do sarau; depois, a análise das peças; e, por fim, esperado, uma recomendação.

Sintetizando os factos deste sarau orçamental (os leitores desculparão a falta dos linques habituais nesta versão):

1. O Governo, os media lá de casa e colaboracionistas adormecidos, reclamam que a direcção do PSD manifeste a sua aprovação de uma proposta de Orçamento de Estado para 2011 que ninguém (nem o próprio Governo...) conhece.

2. Escaldada, com os pecos e o tango, a direcção do PSD, reserva a sua posição para depois de apresentada a proposta de orçamento do Governo.

3. O Governo socialista apresenta a proposta de orçamento tarde, a más horas, incompleta e com graves erros, e reclama a colaboração do PSD.

4. A proposta socialista de orçamento é má, castiga os pobres e a classe média com grande redução de rendimento e dos benefícios e forte aumento de impostos, e mantém em curso as desastrosas parcerias-público-privadas (PPP, o novo acrónimo do antigo PS).

5. Apesar do tango e da denúncia do Anti-Cristo no pézinho da vila, e de todos os conselhos, Passos Coelho aceitou negociar com o Governo, através de uma delegação liderada pelo Prof. Eduardo Catroga perante uma delegação socialista formalmente dirigida pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos. Na delegação socialista pontificava o secretário de Estado do Orçamento Emanuel dos Santos, da facção ex-férrica e agora socratina à outrance, na função de controleiro do temeroso ministro Teixeira dos Santos.

6. Enquando se ouvem as vozes de apaziguamento para criação de um bom clima negocial, entre as quais a do Presidente da República, Sócrates destaca o ministro Vieira da Silva, além do pajem Silva Pereira, para fustigar a direcção do PSD.

7. O frágil Teixeira dos Santos contemporiza e vai acolhendo as propostas do PSD.

8. A colaboração termina com a reunião de Teixeira dos Santos com Sócrates na tarde de 26-10-2010, Catroga espera durante quatro horas uma reunião agendada, o Prof. Cavaco Silva anuncia a sua recandidatura a Presidente da República e, no dia seguinte, o Governo socialista apresenta a sua proposta final de pegar ou largar, que a direcção do PSD não aceita.

9. Enquanto algumas vozes sugerem - pedem... - que não se trata da proposta socialista final e que a vindima ainda dura, o Presidente da República, preocupado com a irresponsabilidade governativa do impasse orçamental e a reacção dos mercados financeiros perante a negligência financeira do País, convoca, em 27-10-2010, logo após se conhecer o rompimento das negociações entre PS e PSD, de urgência o Conselho de Estado para sexta-feira, dia 29-10-2010.

10. Precisamente em 27-10-2010, é publicada uma sondagem-painel da TSF/Diário Económico, com opiniões recolhidas entre 17 e 24 de Outubro, que dá ao PSD 42% de intenções de voto contra 25 % do PS (próximo do pesadelo do resultado de 20,8% de Almeida Santos, em 1985) - além de 10% ao Bloco de Esquerda e 8% ao PC e ao CDS...

Tentando analisar os factos. Como aqui escrevi, e outros como o Prof. Nogueira Leite também já reconhecem, a direcção do PSD não devia ter aceite negociar com o Governo Sócrates: expunha a sua proposta, o Governo respondia e o PSD decidia como votar. O Escorpião voltaria morder as mãos de quem o queria alimentar. Ao ter aceite negociar de mãos abertas com a expectativa de um acordo que salvasse a abstenção e ter recebido um pontapé, fica sem margem para se abster sem ofender a coerência, mais uma vez.

O poder socialista recebe sondagens frequentes e não foi surpreendido por esta sondagem pós-proposta de orçamento confiscatório. Além das últimas comissões dos derradeiros negócios privados das parcerias públicas, o que está em jogo é a mudança brutal de opinião dos eleitores. Como o sistema socialista em nada se incomoda com as consequências das suas decisões para Portugal e a vida do seu povo, mas apenas da conservação e exercício do poder, tem a certeza de que apenas sobrevive se mantiver, com os meios de informação e de difusão e a carteira orçamental, o favor do povo. E, como percebe que perdeu a resignação popular com o abuso, ainda que não possa demitir-se, por múltiplas circunstâncias judiciárias - incomparavelmente mais graves, e de outro âmbito, do que na Islândia - arrisca mandar o volante borda fora, enquanto grita chicken para o adversário da estrada estreita. O diagnóstico que o poder socialista fez, semelhante ao slogan do palhaço Tiririca, é de «pior do que está, não fica»...

Não se pode ter face ao Governo PS a atitude da resignação, pois, como tenho demonstrado, Sócrates só respeita quem teme. Estica, dança, canta e até assobia com moção de confiança, se a direcção do PSD lhe viabilizar este orçamento. Nesse caso, deixaria o PSD na situação desconfortável de se abster também nessa moção se, por medo ou cálculo de custos, se abstivesse agora na proposta de orçamento após nada receber das emendas que contrapôs.

Assim, na atitude temerária habitual, joga o poder e faz bluff, esperando cilindrar o adversário Passos Coelho com o rolo compressor do medo. Se, no duelo para o qual atraíu Passos Coelho, este se encolher, Sócrates poderá afirmar vitória, provando ao povo e aos votantes PSD que o actual líder laranja não é homem com força e firmeza suficiente para o lugar. Se Passos Coelho recuar da última trincheira, que é o orçamento, ficará encostado ao paredón socratino, forçado a tudo ceder, temeroso da herança e do exercício do poder.

Era desejável que se pudesse imunizar a campanha eleitoral para a Presidência da República desta tragédia governativa. Mas isso é impossível, tendo em conta a situação de ruína financeira, económica e social do País e a tentativa de instrumentalização sistemática do Presidente da República por José Sócrates. Sócrates quer amarrar o Presidente à crise orçamental e obrigar o Prof. Cavaco Silva a fazer ceder Passos Coelho, para recuperar a anterior popularidade e posição. O Prof. Cavaco Silva correu um risco demasiado com o consentimento de nomeação do seu amigo Eduardo Catroga para a delegação do PSD que iria tentar um acordo com o Governo. Não deve voltar a incorrer no perigo de se enredar nas malhas que Sócrates tece. Todos queríamos que fosse diferente a situação, mas esta é o que é e que Sócrates pretende. Nada mais resta ao Prof. Cavaco Silva do que demonstrar firmeza perante a negligência de um primeiro-ministro que enterra o País no pântano financeiro, entregando Portugal à suserania estrangeira do FMI e da União Europeia. O Prof. Cavaco Silva nada perderá, em termos eleitorais, em demonstrar firmeza absoluta na protecção do Estado face à irresponsabilidade de José Sócrates.

Portanto, em recomendação, a direcção do PSD não deve abster-se perante a proposta de Orçamento do ultimato que o ministro das Finanças lhe entregou em 27-10-2010 - a não ser que o Governo ceda nas condições apresentadas - mas votar contra.

Publicado por António Balbino Caldeira
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Sex Out 29, 2010 8:33 pm

Este país não é para gente inteligente

29.10.2010

Portugal parece um papo-seco "ressesso" que os mendigos transportam rua acima/rua abaixo, intragável e demasiado pesado para a bolsa de plástico que segura fragilmente na mão.

1. A Europa está decididamente a ir pela pia abaixo. E com ela, vamos nós também.

Ao contrário do que aconteceu na América Latina, em que a onda da crise estimulou a coordenação e a integração dos vários Governos dos principais países da região, na Europa, uma crise semelhante está a ter os efeitos contrários. E a base do problema reside no facto de uma união (atabalhoada) de alguns países europeus terem começado pela simples união de capitais (criação de uma moeda imposta por estes) e por uma linha de pensamento igual para todos os seus Governos. Esqueceram-se de um facto muito simples: dos países que actualmente integram a zona euro, nenhum deles é igual (em todas os quadrantes). O problema agrava-se ainda mais quando os próprios capitais financeiros impuseram aos recém-chegados à União Europeia políticas neoliberais absurdas e brutais, às quais estes tiveram que recorrer à mestria da camuflagem de números para poderem cumprir com os requisitos. Foi o caso da Grécia. Não me admira em nada que esta se esteja a afogar no seu próprio "sangue", acusando agora os maldosos especuladores e até os "sem coração" alemães. Agora chamam-nos de forma depreciativa "PIGS".

Julgo que a criação do euro para os membros da zona euro significou três falhanços. Primeiro, a fraqueza em termos de economia. Segundo, a perda de soberania em matéria monetária. Terceiro, falta de adaptação cambial face ao resto do mundo. Quem saiu a ganhar foi o BCE, instituição financeira autónoma que não tem de prestar contas a ninguém. Depois de uma bela prestação final em Portugal, cá está o "Job" indicado para Constâncio. De certo vai fazer um excelente trabalho, tal como fez no seu país.

Só vejo duas soluções para esta enorme salgalhada. Ou voltamos às moedas iniciais - orgulhosos como somos esquecemo-nos que este já cá esteve hospedado por uns tempos - e mandamos o FMI à fava, aliás o primeiro país (Alemanha) já esteve mais longe de o fazer. Ou então criamos um Fundo Monetário Europeu que faça valer as suas regras e discipline todos os membros integrantes por este.

Sócrates andou a brincar connosco e com a Europa, adiando o inevitável, ora escondendo a despesa, ora ocultando os juros altíssimos que devemos. Portugal parece um papo-seco "ressesso" que os mendigos transportam rua acima/rua abaixo, intragável e demasiado pesado para a bolsa de plástico que segura fragilmente na mão.

2. Antes de julgarmos quem é que deve pagar ou não as SCUT, se estas devem ter ou não portagens virtuais, julgo que devemos relembrar-nos quem foi o criador destas auto-estradas sem custo para o utilizador/viajante. António Guterres. Foram alguns dos senhores adeptos do Guterrismo (por exemplo Cravinho) que se lembraram de dar aos condutores "via verde" por algumas partes do País - que estou eu a dizer, há oito anos que percorro a A25 e A23 sem pagar um tostão.

Obrigado Sr. Guterres. Obrigado Sr. Cravinho. Obrigado Sr. Sampaio por pôr a andar o Sr. Santana antes deste mandar construir as "cabines portageiras".

José Sócrates tenta, hoje, retirar as "borlas" que Guterres deu de maneira "impensada", "precipitada" em tempos de vacas gordas. Não há nada pior que uma boa dose de "INCOMPETÊNCIA INCONSCIENTE". Se pensar em Guterres (e não desgostava totalmente do homem), a minha desadoração por Sócrates até diminui bastante. E adoro sempre uma boa lei à "Robin do Socratas": tirar aos pobres para dar aos abastados. Não há nada como subir impostos, cobrar todas as portagens possíveis, fazer contenção nos cuidados de saúde (por exemplo descer o preço dos medicamentos ao mesmo tempo que descem as comparticipações), diminuir os apoios aos cuidados paliativos (sem nos irmos apercebendo), reduzir despesa na educação (formando SUPER-ESCOLAS), substituir os funcionários públicos por máquinas "Simplex" e, por que não continue a aumentar o número de empregados "desqualificados" no seu partido, encha até abarrotar São Bento de deputados, assessores "igualmente desqualificados", secretários de secretários, telefonistas de telefonistas, alguém que saiba tirar fotocópias em formato paisagem sem margens, enfim... alguém que ande a ganhar bom dinheiro à custa dos mesmos. Depois temos que ouvir as palavras "gozadas" do deputado "esfomeado" Ricardo Gonçalves, que apenas ganha 3700€ + 60€ de ajudas de custo/dia = 5020€ transferidos para a sua conta (ainda assim não desse para os almoços no Pabe).

Mais, afinal o PS não só ganhou o PSD nos votos, como nos créditos bancários (11 milhões), dívidas a fornecedores (15 milhões) e a pessoas desconhecidas com a carteira recheada (8 milhões). Mas caro José, sou obrigado a concordar consigo, se quilómetros e quilómetros de alcatrão foram espalhados no chão, alguém tem que os pagar. Nem sequer vou colocar em causa a utilização do dispositivo em tudo igual ao da Via Verde, apenas com outro nome: DEM (começam as filas às 4h da manhã). Este seria o menor de todos os males, aliás poupava milhares de euros em construção de cabines de portagens, postos de trabalho, papel para os tiquetes da viagem, rádios e escalfetas para os portageiros, entre outro material necessário ao funcionamento de uma portagem fixa. Pelo entendimento do BE, PCP e CDS, todos os veículos que têm via verde, andam num constante Big Brother. Afirmações ignorantes, para justificações injustificáveis.

Outra questão bem mais lúcida é saber que estradas devem ter cobrança por quilómetro. Todas? As do Norte? As do Sul? As do Centro? As do litoral Norte? As do litoral Sul? As circundantes de Lisboa e Porto? As do Interior? Os que vêm de Espanha, França ou Suíça?

Bom, agora uns já estão despachados, para Abril vamos ver quem paga. O que é certo é que alguém mais tarde ou mais cedo tinha que começar a pagá-las.

3. Pergunto-me todas as noites - quando peço a nosso Senhor um Portugal positivo, uma Europa unida e quiçá um Mundo melhor - se me andaram a pedir para furar o cinto, para outros continuarem a "engordar" a conta bancária.

Este País com uma área total de 92 090 km² e pouco mais de 10,5 milhões de habitantes tem ao seu serviço 1520 organismos, aliás cuja existência é em muito duvidosa. Então, 356 são institutos dependentes dos ministérios (são assim mais de 20 por cada ministério); 639 fundações; 343 empresas municipais; 95 empresas públicas centrais; 18 governos civis e 87 parcerias público-privadas. À frente de todos estes organismos temos 4560 administradores, todos a ganhar um ordenado "chorudo" e uns trocos com despesas de representação.

(Visão - Marco Azevedo)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Sab Out 30, 2010 7:55 pm

SCUT's - Estado vai ter prejuízo porque os corruptos e incompetentes continuam no poleiro.

SCUT: Portagens vão trazer prejuízo ao Estado

A forma como o Governo renegociou os contratos só vai dar lucro às empresas concessionárias.

«É absolutamente relevante e quase escandaloso o risco que está a ser transferido para o Estado», diz o ex-juíz do Tribunal de Contas europeu e português, Carlos Moreno.

Enquanto não houve portagens, o Estado pagava uma renda variável aos privados concessionários das SCTU, em função do volume de tráfego. Se houvesse pouco tráfego, o risco e o prejuízo eram do privado.

Mas o Governo, para introduzir as portagens, renegociou os contratos. A renda a pagar aos privados subiu e passou a ser fixa. Assim, o Estado fica com a receita das portagens, mas esse dinheiro não chega para cobrir a nova despesa.

As portagens, aquilo que quem passar nas SCUT vai passar a pagar, «não paga a totalidade, longe disso - 30 a 40 %, da renda que a EP vai pagar às concessionárias», disse o mesmo especialista.

CAMBADA DE INCOMPETENTES!!!
...LADRÕES...
Isto dava despedimento com justa causa por gestão danosa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

(Democracia em Portugal)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Nov 02, 2010 3:52 pm

PALEIO DE PUTA

01.11.2010

Uma das coisas que mais nojo nos deveria causar é o facto de a vérmina socratista ainda lá estar, corroendo, minando, sugando os parcos recursos do Estado na sua poalha de reles. Nada pára a endogamia socialista com a sua mão firme sobre tudo o que mexe e lhes permite boiar entre as próprias fezes. É impensável que permaneça intacto o mesmo Poder Apodrecido que nos trouxe, sorrindo o seu alarve esgar rasgado, até ao mais humilhante começo de miséria entre as Nações: «Em "A Pantera Cor-de-Rosa" existe um episódio passado no deserto e numa mina de diamantes: a pantera tem a pedra preciosa, o explorador - seu inimigo - tem um cantil de água; vão trocando sucessivamente de bens, sabendo que a escolha é entre morrer rico ou viver pobre. Nós, portugueses, não temos senão uma escolha: será a de sobreviver, mas pobres. Passos e sócrates poderão acabar mal politicamente, mas apenas por meses ou breves anos (veja-se o paleio de puta que pinto-de-sousa tem de reserva, e óptimo para enganar futuramente povo e televisões). Economicamente, um poderá "administrar" o que o Avô-Ângelo lhe proporcionar. O outro poderá desfrutar do pilim que já tem acondicionado em off-shores - abadalhocando-se diariamente em merdices Armani e D and G. A nós a miséria; e não paramos nós próprios, como povo, de dar curso à nossa natureza.»

Publicada por joshua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qui Nov 04, 2010 10:16 pm

HAVE A NICE CRISIS!

04.11.2010

Afinal, a crise pode ser uma coisa boa: má para nós, os esbulhados por todos os lados e para os nossos filhos endividados antes mesmo de nascerem, a não ser graças às gloriosas e milagrosas minihídricas, treta!, mas boa para os financiadores e construtores do TGV, coisa em que se insiste subtilmente naquela demência que Cavaco deixa durar há muito.
Este Governo não serve Portugal. Serve os boys e toda a espécie de negociatas danosas para o Estado Português: dão-lhe todas as bóias e oportunidades, mas já provou ao que vem. Vem para danar. Abonos e outros apoios sociais do Estado Social trambiqueiro vão ao ar, salários são esmagados, reformas minorcas congeladas, o Fisco é uma máquina infrene, cega, brutal, mas José Sócrates pede estabilidade para si, aprendiz daninho de sortilégios. Pede que se coma e se cale. Engolir TGV e empobrecer é que está certo.
Crise é isto: miséria material e moral temperada com estúpida megalomania. Não haverá por aí um colete-de-forças que lhe metam?!
Substituam o psicótico Primadonna por um palhaço socialista em melhor estado e sobretudo com o dom da compaixão e do realismo!
Lá fora, ninguém compreende que merda é esta que nos incapacita e burla e nós deixamos.

Publicada por joshua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Sex Nov 05, 2010 10:02 pm

Sócrates à venda

04.11.2010

O Governo Sócrates anunciou hoje, muito contente, que o seu (ele tem um Portugal de uso restrito) ficou em número 1 no índice dos países onde é mais fácil comprar um imóvel. E tudo devido ao Simplex, um grande avanço para felicidade do povo português.
O porta-voz não se referiu aos milhares de fogos que são devolvidos aos bancos por falta de pagamento, porque não convinha.
Também o nosso Sócras subiu ontem ao palco da AR para mais uma rábula. Como? Fácil. O nosso PM aproveitou o discurso de Manuela Ferreira Leite para se rir (ele tem muita lata) e afirmar-se convicto de que ela apoiava o Orçamento. Ora, isto é uma falsidade. MLF já tinha dito, na campanha de Setembro do ano passado, que o país estava a caminho da bancarrota, era preciso mudar de rumo. E Sócras contrariou-a, fez promessas estúpidas e.. ganhou a eleição…
Depois, veio o maior descaramento. Ferreira Leite considerou este OE era inevitável, mas alertou antes para que isto era assim porque o Governo é - desculpem - uma merda.
Ora, se os imóveis portugueses se vendem assim tão bem, porque não vender o Sócras, o maior, mais decrépito e musguento imóvel nacional?

Posted by mario-alexandre-gomes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Nov 09, 2010 10:20 pm

EMBUSTE GOVERNATIVO DE PORTUGAL...

09.11.10

Chegados que estamos ao actual momento de viragem no regime, em que a elite dirigente, nascida do novo-riquismo do pós 25 de Abril, que alimentou uma nova burguesia inculta, mas à sombra das antigas burguesias do Estado Novo, interessa fazer a anatomia desta crise!

Os comentadores de serviço fazem crer que Portugal está à beira de um grave momento, pelo qual temos passado periodicamente, em resultado de o Poder ser sempre assegurado pelas novas burguesias, com as quais as velhas burguesias aprendem a viver!

Por norma, os eleitos para a gestão do Estado são sempre os da nova burguesia, para se justificar a diferença de regime, embora controlados pela velha burguesia económica. Por isso o Estado é sempre mal gerido, em resultado da ganância de todas as burguesias e da falta de cultura da nova burguesia, directamente dirigente do Estado!

Fala-se portanto de despesismo, corrupção, hegemonia dos interesses privados e particulares, aldrabice, abuso de Poder, desvio de dinheiro, incompetência, esperteza egoísta, injustiça social, alternância da ditadura das oligarquias, controlo de um bloco partidário central com melhor marketing eleitoral e melhor controlo da opinião pública estupidificada e também interesseira e oportunista.

No momento presente, a manipulação mediática quer mostrar-se interessada em afastar o actual governo, movendo uma campanha de informação dos vícios de regime, transversais a todos os governantes da nova burguesia! Mas, por outro lado, os comentadores eleitos da nova burguesia, ensinados pela velha burguesia, nas faculdades, andam a convencer-nos de que Portugal pode estar em processo de bancarrota, quando a situação é bem pior do que a última bancarrota declarada e assumida no início do século XX; hoje em dia, devido aos esquemas de coesão internacional, ninguém declara bancarrota, mas sim a situação económica difícil, para a qual existem vários estágios de apoio e remediação.

Portugal já passou da fase de bancarrota, para se encontrar na fase de remediação do suporte financeiro do País e que são os Bancos nacionais, que recorrem ao Banco Central Europeu, comprando dinheiro a 1% e vendendo-nos a 4-7 %, com a colaboração do Estado, para maximizar ganhos de recapitalização das reservas dos Bancos! Esta estratégia é reforçada pela colocação de dívida pública, comprada pelos Bancos portugueses, com juros elevadíssimos, que nós pagaremos, por culpa dos que criaram o crédito mal-parado. Mais ainda, alguns Bancos lembraram-se de emitir dívida perpétua, que significa que o investidor do Banco não sabe quando pode ter o dinheiro de volta…, sendo fácil prever quais os interessados em salvar a honra do convento! Portanto, o consumidor religioso e honrado, pagante de tudo, pela via dos impostos e dos preços empresariais, está a fazer um esforço gigantesco de reposição da capacidade financeira dos Bancos, para que estes possam continuar a suportar o investimento do Estado e possam financiar o pagamento da dívida pública e privada, logo a continuidade deste regime criminoso e a sustentação da ganância da burguesia dominante, colocada pelos Partidos de Poder. Recupera-se da falência do sistema financeiro, mas adia-se a resolução da falência do Estado, até ao limite da necessidade dos Bancos nacionais, em absorverem as ajudas do Banco Central Europeu.

Contudo, para não se paralisar a acção do Estado e para não criar o tumulto social, é preciso que a banca reduza a sua dependência do Banco Central, que não o Banco de Portugal, que já teve enormes reservas de ouro, mas foram vendidas para financiar as comparticipações nas ajudas comunitárias do desenvolvimento insustentado do Portugal, dos inícios da adesão à CEE (…?), para que o governo possa decretar a ajuda do FMI e BCE!

Os protagonistas governamentais, deste regime, aprenderam todos pelos mesmos livros técnicos, limitando-se a passar a pasta, alternando entre os directórios do PS e do PSD!

Deixar entrar o FMI, não é o mesmo como quando entrou na década de oitenta, porque a contabilidade está um caos e exige uma auditoria, que nem o actual governo consegue fazer, para responder às questões do FMI! Muita roupa suja terá de ser lavada, desacreditando, de vez, a ilusão da democracia de dois Partidos e do regime! Muitas forças anti-regime agitam-se já, com a vontade de substituírem estas burguesias caducas e recuperarem vivências de outras burguesias, entretanto falidas com a República!...

E é isto, enquanto não se apostar na democracia efectiva, em que os contribuintes e clientes possam controlar, quem disponibiliza os serviços!

Portanto, a questão não é saber quando se vai entrar em bancarrota, mas sim como estamos a sair dela, para evitar outro ciclo de adiamento de Portugal, pela democracia participativa dos governados! Os governantes precisam de ser controlados, para deixarem de ser arrogantes, incultos, ditadores egoístas e autistas técnicos, porque quem deve mandar é quem os paga e a toda a economia, e que são os contribuintes líquidos e clientes das empresas!

Quando vamos ter a Democracia?

(Democracia em Portugal)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Nov 09, 2010 10:29 pm

O Governo não tem credibilidade alguma - A Comunidade Internacional até se ri do Governo Português

09.11.2010

O Ministro das Finanças disse que quando os juros da dívida soberana atingissem 7% haveria intervenção do FMI.

Já atingiram!

Mas, qual camaleão, o Governo vem pela boca de outro ministro dar a cambalhota.

Veja-se aqui:

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/vieira-da-silva-rejeita-limite-de-7-para-intervencao-do-fmi

Isto se fosse só vergonhoso já era mau.

Mas a situação é miserável!

Os portugueses estão a ser "papados" pela Maçonaria e os seus políticos.

Por isso o Prof. Jorge Miranda veio defender os políticos, como eu disse no post abaixo.

Prisão com esta gente!

Quem destrói Portugal tem de ser responsabilizado.

Cavaco Silva o que faz?

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qua Nov 10, 2010 9:59 pm

Boas notícias para Portugal

10.11.2010

A estratégia de desresponsabilização do governo começa a afectar a sanidade mental de toda a gente. Por exemplo, no Público escreve-se:

A boa notícia para Portugal é o facto de a actual escalada dos juros não ser exclusiva de Portugal, da Irlanda e da Grécia. Na recta final da semana e início da actual, os juros das dívidas espanhola e italiana dispararam, o que volta a dar uma dimensão maior à crise de dívida soberana europeia.

Ora nem mais. Estamos à beira da falência, mas felizmente quem nos poderia ajudar também não está lá muito bem. Chegou a peste. A boa notícia é que é uma pandemia.

(Blasfémias - JoaoMiranda)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Sab Nov 13, 2010 9:31 pm

O DESPRENDIMENTO

13.11.2010

Amado falou em desprendimento do cargo, sacrifício que faria, a fim de que um Governo alargado de salvação nacional fosse constituído. Uma das línguas que o socialismo não fala, que aliás despreza, persegue e ignora, é a do desprendimento dos cargos, por mais apodrecidos que se encontrem.
Há, por isso, alguém profundamente irritado com as palavras de Amado. Alguém que, como de costume, recrimina as Oposições porque elas efectivamente não podem querer assumir responsabilidades que lhes são alheias, associar-se a um malfeitor, um rei-sol absolutista e aldrabão. Aquele que esmaga, consome, esboroa tudo o que politicamente não seja socialista não merece o benefício da bóia.
Nesta história de desprendimento dos cargos em troca de viabilidade nacional e sentido de Estado, o socratismo está-se a cagar. Quer é prevalecer, vexar os demais partidos, eliminar e desconsiderar os demais líderes e parceiros sociais, dividir para reinar e, assim, durar, durar, durar.
O País que se foda porque o Amigo de Vara quer estar para durar. Ora, não haverá qualquer salvação nem saída para o cerco externo e a crise com um conflituoso, desonesto actor político, de sôfrega avidez desmedida por Poder, malignos vícios de cegueira irracional, aliás, que nos trouxeram até aqui. Alguém lhe meta isto na dura cornadura.

Publicada por joshua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Nov 16, 2010 4:21 pm

UMA ABELHUDA POSEUR

15.11.2010

O mundo ilusionista-devorista socratista não cai com a velocidade devida, ao ritmo que o pobre Portugal esbulhado mereceria. Em todo o caso, ele vai desmoronando aqui-Amado e ali-Ana Gomes, isolando as figuras e figurões que regiamente se abancaram no poder em Portugal contra Portugal e a favor dos grupelhos de pressão sugadora que bem sabemos. Madrinha de toda essa grotesca gente, desses Vara, desses Sócrates, Edite tem que chegue, espécie de versão em fêmea de Almeida Santos.
Na verdade, não desmerece os atributos dos afilhados: «Edite Estrela foi apanhada numa escuta telefónica, quando conversava com Armando Vara, a dissertar sobre o carácter dos deputados socialistas ao Parlamento Europeu. Na conversa, divulgada pelo Correio da Manhã e que ontem correu blogues e sites da internet, Estrela apelidou Ana Gomes de "descabelada que só arranja problemas".
Sobre Vital Moreira, que foi cabeça de lista nas eleições de 2009, a dirigente socialista considerou que foi "uma má escolha" que lhe iria "fazer a vida negra".
De Elisa Ferreira, numa opinião partilhada por Armando Vara, Estrela disse que "é uma fingida com a agravante de ser amiga de Vital e Ana Gomes".
Já sobre Correia de Campos, cuja saída do Governo considerou como "caso positivo", a líder dos socialistas nacionais no Parlamento Europeu condenou a sua inclusão nas listas europeias: "não faz sentido".»

Publicada por joshua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qua Nov 17, 2010 10:43 pm

Onde para o Interesse Nacional?

17.11.2010

Interesse Nacional, uma semântica difícil de calcular, fácil de imaginar. Hoje em dia estranho enredo, guião descurado. Umas vezes usado como pré-texto para golden shares, outras para fundamentar o PEC, outras ainda para coagir Austeridade.

O Povo está cansado de parangonas.

Está farto de ouvir falar em divida pública, política financeira, mercados de capitais, especulação financeira, política econômica ou falta dela. Cansadao está também de ouvir as estratégias de governação e os estrategas que as querem implementar, os mesmos de sempre, treinados para comunicar (e alienar) com as camadas mais desinformadas da população, ajudados por mídias comprometidos, sem contraditório, sem oposição, uns por excesso de cautela e outros em conluio com beneficiários (financeiros, sindicais, corporativos).

Tão cansado está que já aprendeu que, para esses patriotas da palavra e do som estereofónico, os interesses de Estado são os do seu partido ou dos grupo de aliados.

A obsessão de se manter no poder para uns, assim como o desejo de para ele cedo voltar para outros, criou uma espécie de esquezofrenia colectiva, barulho, ruídos, sons, quem fala mais alto para ser ouvido, quem fala primeiro para conquistar a originalidade discursiva, todos falam e ninguém tem razão, parra muita parra, algazarra.

Há um desprezo, no mínimo sem escrúpulo, pela majestade do cargo, ministros que insultam em voz alta, deputados bracejam gestualidade obscena.

No meio de tudo isto onde para o Interesse Nacional?

A Justiça é um ragabofe.
A Educação é analfabética.
A Defesa é para rir.
A Moeda foi-se.
O Território é acessível.
A História esquecida.
O Povo maltratado.
Os Simbolos (bandeira e hino) ridicularizados.
A Soberania anda nas ruas da amargura.
Os indícios são veementes e não enganam.
Sem pilares sustentáveis e infestado de corrupção, nepotismo, tráfico de influência e outros crimes onde para o Interesse Nacional.
Alguém sabe? Eu confesso, não sei.

(Via Justa - José António Borges da Rocha)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Nov 23, 2010 3:50 pm

'Ladrões são menos desonestos que certos bancos'

21.11.2010

O líder do Bloco de Esquerda, Francisco Louça, defendeu hoje num almoço do partido em Aveiro que quem pratica um assalto armado chega a ser «menos desonesto» que os bancos com taxas de juro de 29 por cento.

A propósito de anúncios publicitários que referem a possibilidade de um cliente ganhar 1000 euros caso contraia um empréstimo com juros nessa ordem, o líder do Bloco de Esquerda afirmou: «Portugal está a ser assaltado por especuladores nacionais e estrangeiros que nos cobram 7 por cento e aqui temos um banco nacional que nos assalta a 29 por cento».

Segundo referiu em S. João de Ver, no concelho de Santa Maria da Feira, perante 350 apoiantes do partido, «quem nos aponta na rua uma pistola é certamente um pouquinho menos desonesto do que quem nos quer tirar 29 por cento».

A crítica do líder bloquista estende-se, contudo, à generalidade da situação do país: «Estamos a ser assaltados no salário - no salário que é o preço dos medicamentos, que é o preço da educação, que é a reforma, que é aquilo que produzimos».

Considerando que o primeiro ministro encarou a cimeira da NATO como um «motivo de prestígio» para Portugal, Francisco Louçã defendeu que, terminado o evento, «volta-se à realidade» do «desprestígio, da desconfiança e da confusão».

Na próxima semana «vota-se o Orçamento [do Estado] medida por medida», lembrou, adiantando que «ninguém está à espera que, no acordo entre PS e PSD, apareça uma [medida] para a criação de emprego, para reduzir a precariedade dos mais novos ou para melhorar as pensões».

Francisco Louçã defendeu que «se gastou muito nos anos anteriores por causa da crise» e, questionando «para onde foi esse dinheiro», classificou as atuais medidas de austeridade do Governo como «um ataque feroz ao salário».

Para o líder do Bloco, a greve geral da próxima quarta feira apresenta-se como uma oportunidade para a população portuguesa demonstrar o seu descontentamento.

«É a primeira vez que, juntando todos os sindicatos, temos oportunidade de dizer que queremos contas certas», explicou Louçã. Apelando a que todos participem, sejam «sindicalizados ou não», o líder bloquista avisa: «Se não houver greve agora pelo salário, amanhã há de ser pior e eles hão de continuar a atacar».

Nesse contexto, Louçã aponta como exemplo a seguir o de operários «mais fortes», como os da AutoEuropa: «A [comissão de trabalhadores da] maior fábrica do país ganhou 500 euros de prémio por ano acima do seu salário, 4 por cento de aumento, mais um dia de férias e a proibição dos despedimentos, Ganham tudo e mesmo assim vão fazer greve, porque sabem que essa é a forma de parar a vaga dos despedimentos coletivos».

Quando a José Sócrates e Pedro Passos Coelho, o líder do Bloco recomenda: «Se não são capazes de governar o país e a solução que têm é atacar o salário e piorar as condições de vida, melhor é que se vão embora».

SOL
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qua Nov 24, 2010 11:40 pm

Sete Medidas para salvar Portugal:

1. Eliminar a Inveja
Há nesta telenovela mexicana um superavit de Inveja que se cristalizou ao ponto de já fazer parte da nossa cultura nacional. A Inveja destrutiva dos portugueses para com os portugueses impede que as coisas aconteçam, destrói a iniciativa privada e nivela por baixo qualquer hipótese de evolução. Quem tiver Inveja fica encarregado de pagar os impostos. Os que não a tiverem ficam isentos.

2. Erradicar a Preguiça
Há muito relaxado por aí sem vontade de trabalhar. Há muito labrego a fingir que trabalha. Quem estiver com Preguiça pode ir fazer a siesta para o país vizinho. Fica autorizado a voltar daqui a 30 anos. O país agradece. O problema do desemprego ficará praticamente resolvido com esta medida.

3. Taxar a Vaidade
É um paradoxo viver num país que se encontra em crise profunda e verificar que o número de inscrições em ginásios, spa's, e clínicas estéticas não pára de aumentar; que o número de automóveis per capita colocam Portugal no 5º lugar do ranking mundial de posse de automóvel. Se querem ser vaidosos paguem um IVA de 200% sobre essas paneleirices. E andem mais vezes de transportes públicos.

4º Banir a Gula
Fala-se muito em obesidade infantil e criam-se medidas histéricas para a debelar, mas o problema da Gula não está nas crianças. Está nos seus pais e nos seus avós, que ficaram demasiado gulosos depois dos anos dourados dos fundos comunitários europeus. Pois bem queridos, essa mama acabou mas a vossa Gula parece não ter limite. Crie-se uma dieta especial para gulosos que consiste no recebimento compulsivo do ordenado mínimo nacional por um período de 10 anos.

5º Punir a Avareza
Esta medida teria aplicação exclusiva no Governo e nos organismos do Estado. Sempre que se implementasse mais uma «medida governamental de contenção» esta teria um efeito vitalício sobre os membros do governos, funcionários públicos e suas famílias, por 3 gerações vindouras.

6. Desincentivar a Luxúria
Nunca os produtos de luxo se venderam tanto em Portugal como nos dias de hoje. Só podem estar a gozar connosco.A medida a aplicar aqui seria linear: por cada produto de luxo adquirido, o seu comprador depositaria um valor idêntico na Segurança Social. Os reformados deixariam de passar fome neste país.

7. Proíbir a Ira
Manifestações como aquela que nunca aconteceu na Costa da Caparica, manifestações iradas dos beliscados funcionários públicos, e outras demonstrações quejandas de Ira teriam um tratamento simples: era tudo requisitado para campos de reabilitação da agricultura nacional, que anda pelas ruas da amargura à conta dos anteriores pecados.

Este seria um programa simples de governo para acabar com os pecados que se estão a tornar mortais para o país. E nem precisava de grande coragem política para os implementar, que é coisa que escasseia muito por aí...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qui Nov 25, 2010 10:09 pm

Portugal deve pedir já ajuda - O PS está a atrasar o que é evidente - Quanto mais tarde mais nos custará

25.11.2010

É manifesto que Portugal está numa situação calamitosa, comatosa.
O Governo de José Sócrates delineou um plano para tentar a todo o custo não pedir a ajuda à União Europeia nos próximos meses.
O plano do Governo/PS visa que a ajuda, e consequente intervenção do FMI, ocorra apenas depois da crise politica e subsequente dissolução da AR.
Ou seja, mandar para cima da Oposição o ónus das medidas duras.
Mas não só não será possível manter esta situação como é importante que haja intervenção de imediato.
Como se viu agora, o PS deixou de lado dos cortes os amigos, mais a gente da CGD.
Ou seja, paga apenas o desgraçado, mas os rapazes e raparigas que ocupam lugares nas empresas municipais, públicas, na CGD, têm uma benesse.
O Povo ou abre a pestana e há chatices, ou é comido que nem na Idade Média.
Tudo caminha para uma guerra civil.
E na guerra civil não há pergaminhos, nem protecção às gentes do PS ou do PSD.
Por isso é melhor que o FMI entre já e imponha condições, tudo seja escrutinado, e que a Justiça persiga esses mafiosos todos.
Não chega o Campo Pequeno!!!

Publicada por josé maria Martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Sex Dez 03, 2010 8:05 pm

Devem-me dinheiro.

02.12.2010

José Sócrates em 2001 prometeu que não ia aumentar os impostos. E aumentou. Deve-me dinheiro.
António Mexia da EDP comprou uma sinecura para Manuel Pinho em Nova Iorque. Deve-me o dinheiro da sinecura de Pinho. E dos três milhões de bónus que recebeu. E da taxa da RTP na conta da luz. Deve-me a mim e a Francisco C. que perdeu este mês um dos quatro empregos de uma loja de ferragens na Ajuda onde eu ia e que fechou. E perderam-se quatro empregos. Por causa dos bónus de Mexia. E da sinecura de Pinho. E das taxas da RTP.
Aníbal Cavaco Silva e a família devem-me dinheiro. Pelas acções da SLN que tiveram um lucro pago pelo BPN de 147,5 %. Num ano.
Manuel Dias Loureiro deve-me dinheiro. Porque comprou por milhões coisas que desapareceram na SLN e o BPN pagou depois. E eu pago pelo BPN agora. Logo, eu pago as compras de Dias Loureiro. E pago pelos 147,5 das acções dos Silva.
Cavaco Silva deve-me muito dinheiro. Por ter acabado com a minha frota pesqueira em Peniche e Sesimbra e Lagos e Tavira e Viana do Castelo. Antes, à noite, viam-se milhares de luzes de traineiras. Agora, no escuro, eu como a Pescanova que chega de Vigo. Por isso Cavaco deve-me mais robalos do que Godinho alguma vez deu a Vara. Deve-me por ter vendido a ponte que Salazar me deixou e que eu agora pago à Mota Engil.
António Guterres deve-me dinheiro porque vendeu a EDP. E agora a EDP compra cursos em Nova Iorque para Manuel Pinho. E cobra a electricidade mais cara da Europa. Porque inclui a taxa da RTP para os ordenados e bónus da RTP. E para o bónus de Mexia.
A PT deve-me dinheiro. Porque não paga impostos sobre tudo o que ganha. E eu pago. Eu e a D. Isabel que vive na Cova da Moura e limpa três escritórios pelo mínimo dos ordenados. E paga Impostos sobre tudo o que ganha. E ficou sem abonos de família. E a PT não paga os impostos que deve e tenta comprar a estação de TV que diz mal do Primeiro-ministro.
Rui Pedro Soares da PT deve-me o dinheiro que usou para pagar a Figo o ménage com Sócrates nas eleições. E o que gastou a comprar a TVI.
Mário Lino deve-me pelos lixos e robalos de Godinho. E pelo que pagou pelos estudos de aeroportos onde não se vai voar. E de comboios em que não se vai andar. E pelas pontes que projectou e que nunca ligarão nada.
Teixeira dos Santos deve-me dinheiro porque em 2008 me disse que as contas do Estado estavam sãs. E estavam doentes. Muito. E não há cura para as contas deste Estado.
Os jornalistas que têm casas da Câmara devem-me o dinheiro das rendas.
E os arquitectos também.
E os médicos e todos aqueles que deviam pagar rendas e prestações e vivem em casas da Câmara, devem-me dinheiro.
Os que construíram dez estádios de futebol devem-me o custo de dez estádios de futebol.
Os que não trabalham porque não querem e recebem subsídios porque querem, devem-me dinheiro. Devem-me tanto como os que não pagam renda de casa e deviam pagar. Jornalistas, médicos, economistas, advogados e arquitectos deviam ter vergonha na cara e pagar rendas de casa. Porque o resto do país paga. E eles não pagam. E não têm vergonha de me dever dinheiro. Nem eles nem Pedro Silva Pereira que deve dinheiro à natureza pela alteração da Zona de Protecção Especial de Alcochete. Porque o Freeport foi feito à custa de robalos e matou flamingos. E agora para pagar o que devem aos flamingos e ao país vão vendendo Portugal aos chineses. Mas eles não nos dão robalos suficientes apesar de nos termos esquecido de Tien Amen e da Birmânia e do Prémio Nobel e do Google censurado. Apesar de censurarmos, também, a manifestação da Amnistia, não nos dão robalos. Ensinam-nos a pescar dando-nos dinheiro a conta gotas para ir a uma loja chinesa comprar canas de pesca e isco de plástico e tentar a sorte com tainhas. À borda do Tejo. Mas pesca-se pouca tainha porque o Tejo vem sujo. De Alcochete. Por isso devem-me dinheiro. A mim e aos 600 mil que ficaram desempregados e aos 600 mil que ainda vão ficar sem trabalho. E à D. Isabel que vai a esta hora da noite ou do dia na limpeza de mais um escritório. Normalmente limpa três. E duas vezes por semana vai ao Banco Alimentar. E se está perto vai a um refeitório das Misericórdias. À Sexta come muito. Porque Sábado e Domingo estão fechados. E quando está doente vai para o centro de saúde às 4 da manhã. E limpa menos um escritório. E nessa altura ganha menos que o ordenado mínimo.
Por isso devem-nos muito dinheiro. E não adianta contratar o Cobrador do Fraque. Eles não têm vergonha nenhuma. Vai ser preciso mais para pagarem. Muito mais. Já.

Mário Crespo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Dez 07, 2010 3:52 pm

A PSP - Aos meus camaradas da Policia de Segurança Pública - A Maçonaria não pode mandar na PSP.

06.12.2010

A PSP é - a par da GNR e da PJ - uma das melhores coisas que a Democracia portuguesa tem.
Tenho pela PSP um carinho imenso, está no meu coração.
Mesmo quando me chateiam. Mesmo quando algum elemento me prejudica em concreto.
Até porque eu tenho meios para solucionar os meus problemas com a PSP. Resolvo-os!
Creio que os portugueses devem ter enorme carinho e consideração pela PSP.
São homens e mulheres que dão tudo para nos proteger.
Dias e dias de trabalho, sem lhe pagarem as horas extraordinárias, sempre disponíveis.
Tive a honra de durante cerca de 18 meses ser agente da PSP.
Uma aprendizagem muito benéfica. Foi bom perceber o esforço, a abnegação dos elementos da PSP, que em condições de quase escravatura trabalhavam e arriscam a vida para defender os cidadãos.
Hoje as coisas são um pouquinho melhores.
Mas é urgente mudar a direcção da PSP.
O Director Nacional deve publicitar se é membro da Maçonaria.
Porque, como se sabe, a Maçonaria tem leis próprias que se sobrepõem às leis do Estado, o que não é aceitável.
Por isso, entendo que o Director Nacional da PSP deve declarar na Assembleia da República se é maçom, se é membro de uma loja do GOL.
Porque o GOL é a Maçonaria em que são filiados a maioria dos membros do PS.
A transparência é necessária.
Necessária porque vivemos em democracia e não pode haver poderes ocultos a governar o País, nem a condicionar os membros dos cargos mais importantes no Poder Político.
A clarificação - até porque temos meios para saber se é verdade - é imperiosa.
Além do que é necessário fiscalizar, democraticamente, a PSP, a sua conduta, as suas decisões.
O Povo é soberano e a PSP não pode estar acima do Poder Político sufragado em eleições.
Além dos interesses partidários, têm que estar os interesses da Democracia enquanto regime.
Ligada a esta realidade há outra: os baixos salários dos elementos da PSP e da GNR.
Não pode ser.
Os agentes - incluindo oficiais - da PSP e da GNR têm de ter um salário condigno, suficiente para que a Democracia prospere.
A todos os elementos da PSP o meu abraço fraternal.
E sobretudo aos meus colegas da escola de Maio de 1982!
Um abraço do colega José Maria Martins.

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Seg Dez 13, 2010 5:59 pm

O Presidente do BCP queria ser agente secreto da CIA no Irão? - Então e o segredo bancário?

12.12.2010

Aí estão mais algumas informações quanto às apreciações dos EUA sobre Portugal.
A mais estranha, e inadmissível face ao regime do segredo bancário, é os EUA dizerem que o Presidente do BCP quis convencer os EUA a deixarem o BCP operar no Irão, DANDO em troca informações aos EUA sobre os movimentos bancários no Irão!

Veja-se aqui: http://www.elpais.com/articulo/internacional/jefe/primer/banco/portugues

E, claro, a descoberta que o Governo autorizou mesmo os EUA a passarem com presos para Guantanamo!

Veja aqui: http://www.elpais.com/articulo/internacional/Jose/Socrates

Quando Sócrates na Assembleia da República disse sempre que era falso!

Veja aqui: http://ww1.rtp.pt/noticias/?article=56260&visual=3&layout=10

Uma farsa esta política.

Um PM pode mentir na AR?

O Presidente de um Banco pode oferecer-se para espionar a favor de outro Estado quando ali opera?!

Uma vergonha, que vai ter consequências negativas para Portugal.

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Ter Dez 28, 2010 11:24 pm

Os portugueses - e Portugal aviltados - Até a República da Eslováquia, com menos de 20 anos de existência diz que Portugal deve sair do Euro!!!

27.12.2010

Sócrates e o PS conduziram Portugal a situações aviltantes.
Agora é o Mi nistro das Finanças da República da Eslováquia que afirma que Portugal deve sair do Euro! Veja aqui:http://diario.iol.pt/economia/portugal-agencia-financeira-euro-zona-euro-crise-grecia/1221474-4058.html
A situação é tanto mais vergonhosa quanto se sabe que a República da Eslováquia tem uma história de 17 anos e Portugal - que já foi Império, que tem Povos a falar Português em todos os Continentes - é aviltado por políticos de polichinelo que são incompetentes e vão destruindo o País, paulatinamente.
Mas a posição do referido responsável ministerial eslováquio mostra bem o buraco em que Portugal mergulhou.
Cavaco Silva tem de tomar uma posição.
Essa posição só pode ser a de dissolver a Assembleia da República e acabar com este Governo espúrio.
Ou então teremos guerra civil, o que é catastrófico para Portugal.

Que porcaria de politicas e politicos do PS!

Os portugueses têm de se livrfar desta gente! Gente manhosa!

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Sab Jan 08, 2011 6:23 pm

UM DEMÓNIO CHAMADO CAVACO

08.01.2011

Estou siderado. Pelo visto, a hora de ajustar contas com Cavaco chegou: fá-la essa horda de cabrões calados em face de toda a porcaria que o socratismo engendrou, incluindo o descalabro económico-financeiro em decurso.
Nem nisto, nestas presidenciais, este náufrago País se federa e se une no essencial porque as paixões partidárias, reles e imorais, sobrelevam o urgente e mesmo Cavaco porque não une é o demónio bíblico da fractura, da ruptura, da contradição.
À falta de melhor alvo e saco de pancada, caem sobre ele-Cavaco as vozes de merda de uma vasta maralha de filhos da puta, coniventes com o pior do pior, o péssimo absoluto para Portugal e os portugueses, e Cavaco, esse demónio silencioso com o socratismo, está apenas por isso sob a irracionalidade da hora.
É bem feito para Cavaco. Tanta covardia. Tanto silêncio. Tanta prudência. Merece-o. Sempre que não comenta seja o que for, irrita quem aguarda por separação de águas. Merece todos os castigos que o caustiquem, como acontece agora mesmo, mas apenas pela extensa conivência com as merdas socratistas e não pela asneira dos legítimos negócios no seio do sórdido lupanar BPN. O resto é zero.
Voto em Nobre desde que não embarque no reles caminho de Alegre e dos demais. Cavaco será reeleito sem espinhas, apesar destes borrifos de estrume e imoralidade na campanha. Resta saber se por quarenta se por setenta por cento precisamente pelo mesmo motivo.

Publicada por joshua
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Qua Jan 12, 2011 1:51 pm

A RTP tem de tomar posição em relação ao comportamento lascivo de Carlos Malato

10.01.2011

A RTP é paga com o dinheiro dos portugueses.
Os portugueses não podem ser confrontados com os "desabafos" homossexuais de Carlos Malato.
Carlos Malato tem - por mais de uma vez - tido "desabafos" e conversas de teor sexual/homossexual nas edições do programa que apresenta todos os dias na RTP.
Os mais censuráveis são quando diz que é "urso".
Isto porque os portugueses sabem o que isso quer dizer , pois há pouco tempo foi noticiado que Carlos Malato participou numa festa gay, em Madrid, organizada pelo "Mad. Bear", como se vê aqui:
http://www.bomdia.lu/index.php?option=com_content&view=article&id=5518:Malato%20participou%20em%20festa%20
Não percebem os portugueses que Carlos Malato afirme , impunemente, que é "urso", quando fala a propósito de signos no programa.
A interpretação a dar é que Carlos Malato está a dizer que é paneleiro.
Ora bem, eu e mulhões de portugueses não temos que aturar a "publicidade" que Carlos Malato faz desse grupo de homossexuais (paneleiros, como lhe chama o Povo).
Nós não temos de pagar à RTP para ouvir esse tipo de "publicidade".
Pelo que há que ser tomada uma posição, porque o programa do Carlos Malato é visto por jovens, muitos menores, e não têm de andar a levar com esse tipo de publicidade homossexual.
E para mim - como para milhões de portugueses - a homossexualidade é um mal, além de um pecado.
Os nossos filhos não podem ser atentados por essa gente.
Nós estamos fartos de homossexuais e do mal que fazem ao País, como se viu agora no caso Carlos Castro, que desgraçou a vida de um jovem frágil:
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/actualidade/renato-seabra-acusado-de-homicidio-em-2-grau
Carlos Malato ou tem tento na língua ou deve ser afastado da RTP, de imediato, porque nós não queremos os nossos filhos conspurcados com conversas desse tipo.
Posso dizer com propriedade que os portugueses estão fartos da cartilha homossexual com que são confrontados.
E nem vale a pena Carlos Malato dizer que não é homossexual. Pessoas já o viram a "namorar" com outro homem em Abrantes, segundo me informaram.

A RTP ainda tem mais responsabilidade. E não permitir a apologia da homossexualidade nos seus programas é um dever.

Publicada por josé maria martins
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Sab Jan 15, 2011 12:15 am

O Orgulho de Sócrates. Estas são as nossas escolas.

14.01.2011

O Diário do Professor Arnaldo – A fome nas escolas

Ontem, uma mãe lavada em lágrimas veio ter comigo à porta da escola. Que não tinha um tostão em casa, ela e o marido estão desempregados e, até ao fim do mês, tem 2 litros de leite e meia dúzia de batatas para dar aos dois filhos.

Acontece que o mais velho é meu aluno. Anda no 7.º ano, tem 12 anos mas, pela estrutura física, dir-se-ia que não tem mais de 10. Como é óbvio, fiquei chocado. Ainda lhe disse que não sou o Director de Turma do miúdo e que não podia fazer nada, a não ser alertar quem de direito, mas ela também não queria nada a não ser desabafar.

De vez em quando, dão-lhe dois ou três pães na padaria lá da beira, que ela distribui conforme pode para que os miúdos não vão de estômago vazio para a escola. Quando está completamente desesperada, como nos últimos dias, ganha coragem e recorre à instituição daqui da vila – oferecem refeições quentes aos mais necessitados. De resto, não conta a ninguém a situação em que vive, nem mesmo aos vizinhos, porque tem vergonha. Se existe pobreza envergonhada, aqui está ela em toda a sua plenitude.

Sabe que pode contar com a escola. Os miúdos têm ambos Escalão A, porque o desemprego já se prolonga há mais de um ano (quem quer duas pessoas com 45 anos de idade e habilitações ao nível da 4ª classe?). Dão-lhes o pequeno-almoço na escola e dão-lhes o almoço e o lanche.

O pior é à noite e sobretudo ao fim-de-semana. Quantas vezes aquelas duas crianças foram para a cama com meio copo de leite no estômago, misturado com o sal das suas lágrimas…

Sem saber o que dizer, segureia-a pela mão e meti-lhe 10 euros no bolso. Começou por recusar, mas aceitou emocionada. Despediu-se a chorar, dizendo que tinha vindo ter comigo apenas por causa da mensagem que eu enviara na caderneta.

Onde eu dizia, de forma dura, que «o seu educando não está minimamente concentrado nas aulas e, não raras vezes, deita a cabeça no tampo da mesma como se estivesse a dormir».

Aí, já não respondi. Senti-me culpado. Muito culpado por nunca ter reparado nesta situação dramática. Mas com 8 turmas e quase 200 alunos, como podia ter reparado?

É este o Portugal de sucesso dos nossos governantes. É este o Portugal dos nossos filhos. É este o Portugal de sucesso e orgulho do Sócrates!!!!

(Democracia em Portugal)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A VOZ DO POVO...   Hoje à(s) 6:52 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A VOZ DO POVO...
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 5 de 6Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
 Tópicos similares
-
» As Bençãos prometidas por Deus ao seu Povo que Guardar o seus Mandamentos.
» bater palmas e sapatear faz parte dos dons celestiais
» COSTUMES DE POVOS!!!!!!!!Costumes terrível para uns e rendoso para outros
» Pela dureza de vossos Corações
» DEUS COLOCA DOENÇAS NO POVO?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A LIBERDADE É AMORAL :: NOTICIAS E ACTUALIDADES-
Ir para: