A LIBERDADE É AMORAL

Local de discussão livre sobre todos os temas sociais.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 IDEOLOGIAS POLÍTICAS

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Ter Jul 21, 2009 5:51 pm

Ideologia é um termo usado no senso comum contendo o sentido de "conjunto de ideias, pensamentos, doutrinas e visões de mundo de um indivíduo ou de um grupo, orientado para suas ações sociais e, principalmente, políticas".

A ideologia, segundo Karl Marx, pode ser considerada um instrumento de dominação que age através do convencimento (e não da força), de forma prescritiva, alienando a consciência humana e mascarando a realidade.

Os pensadores adeptos da Teoria Crítica Frankfurtiana consideram a ideologia como uma ideia, discurso ou ação que mascara um objeto, mostrando apenas sua aparência e escondendo suas demais qualidades.

(Wikipédia, a enciclopédia livre)


Eu gosto mais da seguinte versão:

"Ideologia: uma doutrina que visa legitimar assimetrias de poder."


Última edição por Anarca em Qua Set 16, 2009 5:01 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Ter Jul 21, 2009 6:23 pm

Pela Vaca se mede o Capitalismo

- Capitalismo Tradicional
Tens duas vacas. Vendes uma vaca e compras um boi. A manada multiplica-se e a economia cresce. Vendes a manada, reformas-te e vives dos rendimentos.

- Capitalismo Americano
Tens duas vacas. Vendes uma e forças a outra a produzir o leite de quatro vacas. Surpreendes-te quando ela cai morta.

- Capitalismo Japonês
Tens duas vacas. Voltas a concebê-las de forma a que passem a ter um décimo do tamanho original e a produzir 20 vezes mais leite.
Depois, crias um boneco inteligente chamado «Vakimon» e fazes o seu lançamento no mundo inteiro.

- Capitalismo Alemão
Tens duas vacas. Voltas a desenhá-las de forma a que vivam 100 anos, comam uma vez por mês e façam estracção de leite sem recurso a terceiros.

- Capitalismo Britânico
Tens duas vacas. As duas estão loucas.

- Capitalismo Italiano
Tens duas vacas, mas não sabes onde elas estão. Fazes uma pausa para o almoço.

- Capitalismo Russo
Tens duas vacas. Ao contá-las aprendes que tens cinco vacas. Quando as contas novamente percebes que tens 42 vacas. Na terceira contagem, aprendes que afinal, só tens 12 vacas. Páras de contar e abres outra garrafa de vodka.

- Capitalismo Suiço
Tens 5.000 vacas, das quais nenhuma é tua. Cobras o alojamento das vacas.

- Capitalismo Hindu
Tens duas vacas. Venera-las todos os dias.

- Capitalismo Chinês
Tens duas vacas. Tens 300 pessoas a mugi-las, pelo que alegas taxa de desemprego de 0, alta produtividade de bovinos e prendes o jornalista que revela os números.

- Capitalismo Português
Há 2 vacas. A manada não se multiplica porque o Estado nunca mais fornece o boi. O dono decidiu não pagar os impostos. As vacas fazem greve porque afinal elas é que dão o litro...e dizem que com mais duas vacas ao serviço só precisavam de ser mungidas dia sim dia não. A produção vai pelas ruas da amargura. O distribuidor esfrega as mãos de contente, importa leite espanhol e até vende mais barato. A empresa só não vai à falência porque iniciou um engenhoso negócio de facturas falsas.


Última edição por Anarca em Ter Jul 21, 2009 6:26 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Ter Jul 21, 2009 6:24 pm

Ideologias Politicas para Idiotas

FEUDALISMO: Tens 2 vacas. O Senhor Feudal fica com parte do leite produzido.

SOCIALISMO PURO: Tens 2 vacas. O Governo retira-te as vacas e coloca-as numa vacaria junto com as vacas de todos os outros. tu tens de cuidar de todas as vacas. O Governo dá-te o leite que necessitas.

SOCIALISMO BUROCRÁTICO: Tens 2 vacas. O Governo retira-te as vacas e coloca-as numa vacaria junto com as vacas de todos os outros. As vacas são tratadas por ex-criadores de galinhas. Tu tens de cuidar das galinhas. O Governo dá-te o leite e ovos que o regulamento disser que tu necessitas.

FASCISMO: Tens 2 vacas. O Governo nacionaliza as duas, contrata-te para as cuidares e vende-te o leite.

COMUNISMO PURO: Tens 2 vacas. Os vizinhos ajudam-te a cuidar de elas e entre todos partilham o leite.

COMUNISMO RUSSO: Tens 2 vacas. Tens de cuidar de elas e o governo fica com todo e leite.

COMUNISMO CAMBODJANO: Tens 2 vacas. O Governo fica com ambas e manda matar-te.

DITADURA: Tens 2 vacas. O Governo fica com ambas e faz-te desaparecer.

DEMOCRACIA PURA: Tens 2 vacas. Os vizinhos decidem quem fica com o leite.

DEMOCRACIA REPRESENTATIVA: Tens 2 vacas. Os vizinhos escolhem alguém para dizer quem fica com o leite.

BUROCRACIA: Tens 2 vacas. Primeiro o Governo legisla com que as podes alimentar e quando as podes ordenhar. Depois paga-te para que não as ordenhes. Depois retira-te ambas as vacas, mata uma, ordenha a outra e deita o leite fora. Depois pede-te que preenchas os formularios para explicar o desaparecimento das vacas.

ANARQUIA PURA: Tens 2 vacas. Ou vendes o leite a um preço justo ou os teus vizinhos tentarão retirar-te as vacas e matar-te.

CAPITALISMO ANARQUICO: Tens 2 vacas. Vendes uma e compras um boi.

SURREALISMO: Tens 2 girafas. O Governo quer que aprendas a tocar harmonica.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Dom Ago 09, 2009 10:24 pm

ANTES DE SER ELEITO...

O nosso partido cumpre o que promete.
Só os tolos podem crer que
não lutaremos contra a corrupção.
Porque, se há algo certo para nós, é que
a honestidade e a transparência são fundamentais.
para alcançar nossos ideais
Mostraremos que é grande estupidez crer que
as máfias continuarão no governo, como sempre.
Asseguramos sem dúvida que
a justiça social será o alvo de nossa acção.
Apesar disso, há idiotas que imaginam que
se possa governar com as manchas da velha política.
Quando assumirmos o poder, faremos tudo para que
se termine com os marajás e as negociatas.
Não permitiremos de nenhum modo que
nossas crianças morram de fome.
Cumpriremos nossos propósitos mesmo que
os recursos económicos do país se esgotem.
Exerceremos o poder até que
Compreendam que
Somos a nova política.


DEPOIS DE SER ELEITO...

Basta ler o mesmo texto acima, DE BAIXO PARA CIMA
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Dom Ago 16, 2009 12:50 pm

Os nossos políticos...

A propósito de certos figurões que aparecem frequentemente nos media a impingir decisões, e políticas, e medidas, e programas milagrosos que afectam toda a gente e nunca os próprios, é sempre bom ter presente que esses senhores e seus amigos, foi-lhes cedido o poder decisório em eleições democráticas.

Foram legitimamente eleitos, e estão a zelar pelo seu bem com a confiança da maioria de todos os que votaram...

A iluminação que possuem, fruto de vida inteira de dedicação às causas públicas e privadas, permite-lhes vislumbrar mais alto e mais além, e interpretar as diferenças que são fundamentais para que ocorra o seu progresso.

Ou seja, quando estão a lixar o pagode, não estão a fazê-lo com má intenção, ou motivados por qualquer ideologia má...

Somente exercem um direito que lhes foi oferecido.

Foram os cidadãos eleitores que os escolheram para tomar decisões, ou seja para mandar....

PS: Vão votar que eles agradecem...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Seg Ago 31, 2009 10:00 am

A memória dos crimes continua viva...

No próximo 29 de Outubro, assinala-se mais um aniversário da abertura do Campo de Concentração do Tarrafal.

Foi neste dia, corria o ano de 1936, que chegou ao «Campo da Morte Lenta» a primeira leva de 152 antifascistas, transferidos das prisões políticas do continente e da Fortaleza de Angra do Heroísmo, nos Açores.

Muitos estavam condenados a penas correccionais e, em número significativo, já tinham as suas penas cumpridas.

Pelo Tarrafal passaram 340 antifascistas.

Estes cumpriram, juntos, um total de dois mil anos, onze meses de cinco dias de violento cativeiro.

Durante os dezanove anos em que funcionou (excluindo o período entre 1963 e 1974, em que reabriu para encarcerar elementos dos movimentos de libertação das ex-colónias), perderam ali a vida 32 prisioneiros, alguns já depois de terem cumprido a pena a que haviam sido condenados.

Outros morreram já fora do Campo, devido a doenças ali contraídas.

A morte dos prisioneiros não foi um acaso.

A eliminação física dos opositores políticos do regime fascista longe do olhar das famílias e da opinião pública foi, desde sempre, o objectivo que presidiu à abertura do Campo de Concentração.

A sua localização, numa zona inóspita e vulnerável a doenças mortais, as péssimas condições sanitárias e de alimentação e os métodos utilizados – os seus responsáveis estagiaram na Alemanha nazi – tudo foi concebido e organizado para que fosse cumprida a divisa do primeiro director do Campo, Manuel dos Reis, à chegada dos presos:

«Daqui não sai ninguém com vida… Quem vem para o Tarrafal vem para morrer!»

Setenta e um anos depois da abertura do «Campo da Morte Lenta» e 33 anos depois do 25 de Abril, em tempos de revisionismo histórico acerca da natureza do regime fascista e do papel ímpar dos comunistas portugueses na resistência, o "Avante" recorda a brutalidade fascista e a têmpera dos que lhe resistiram.

(Avante)

PS - Guantanamo não é nada de novo...
Voltar ao Topo Ir em baixo
O REI
Convidado



MensagemAssunto: votar livremente   Qui Set 03, 2009 11:02 am

porque razao ninguem vota no REI
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Ter Set 08, 2009 10:25 pm

A REVOLUÇÃO...

Os manifestantes em coro gritavam todos:

- “Revolução! Revolução! Revolução!”

Mas de entre as vozes, destacava-se uma que soava diferente:

- “Menstruação! Menstruação! Menstruação!”

Foi prontamente corrigido:

-“ Camarada, não é menstruação, é revolução. É a revolução, camarada!”

E a resposta:

- “Camarada, revolução, menstruação, vai tudo dar ao mesmo. O que interessa é que haja sangue!”


Última edição por Anarca em Qua Set 09, 2009 10:50 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Qua Set 09, 2009 10:50 am

Al Qaeda em Portugal

Documentos mantidos em sigilo pela Polícia Judiciária revelam que a Al Qaeda, organização terrorista de Osama Bin Laden, ordenou a execução de um atentado em Portugal. O alvo da acção seria a estátua do Cristo-Rei, localizada em Almada.

De acordo com informações obtidas hoje em Lisboa, a ordem de Bin Laden decorreu do ódio que o saudita nutre por símbolos monumentais católicos, que segundo ele representam "um símbolo da globalização dos infiéis".

Demolidor de ídolos e iconoclasta como os talibãs que explodiram estátuas de Buda no Afeganistão, ele destacou dois mujahedins para o sequestro e uso de um avião que seria lançado contra a estátua "símbolo dos infiéis cristãos".

A cronologia dos acontecimentos:

Os registos da Polícia Judiciária dão conta de que os dois terroristas chegaram ao Aeroporto Internacional da Portela em 4 de Setembro, domingo, às 21h47m, no vôo da Air France procedente do Canadá, com escala em Londres.

A missão começou a sofrer embaraços já no desembarque, quando a bagagem dos muçulmanos foi extraviada.

Após quase seis horas de peregrinação por diversos guichês e dificuldade de comunicação em virtude do Inglês fortemente marcado por sotaque árabe, os dois saem do aeroporto, aconselhados por funcionários da TAP a voltar no dia seguinte, com intérprete.

A Polícia Judiciária investiga a possibilidade de eles terem apanhado um táxi pirata na saída do aeroporto, pois o motorista percebeu que eram estrangeiros e rodou uma hora e meia dando voltas com eles pela cidade, até abandoná-los em lugar ermo do Casal Ventoso.

Aí, acabaram por ser assaltados e espancados por um grupo de toxicodependentes desesperados.

Eles conseguiram ficar com alguns dólares que tinham escondido em cintos próprios para transportar dinheiro e apanharam boleia num camião que fazia distribuição de garrafas de gás.

Na segunda-feira, às 7h33m, graças ao treino de guerrilha que receberam nas cavernas do Afeganistão e nos campos minados da Somália, os dois terroristas conseguem chegar a um hotel do Estoril.

Alugaram um carro na Avis e voltaram ao aeroporto, determinados a sequestrar um avião e atirá-lo bem no meio dos braços abertos do Cristo-Rei.

Enfrentam um congestionamento monstruoso na 2ª circular e ficam mais de 3 horas bloqueados no Campo Grande por causa de uma manifestação de estudantes e professores em greve, e na Av. Do Brasil são-lhes roubados os relógios por um gang da Zona J.

Às 12h30m, resolvem ir para o Centro da cidade e procuram uma casa de câmbio para trocar o pouco que sobrou de dólares.

Recebem notas de 100 Euros falsas.

Por fim, às 15h45m chegam ao aeroporto da Portela para sequestrar um avião.

Os pilotos da TAP estão em greve por mais salário e menos horas de trabalho.

Os controladores de vôo também pararam (querem equiparação aos pilotos).

O único avião na pista é da AIR PORTUGÁLIA, mas está sem combustível.

Tripulações e passageiros estão acantonados na sala de espera e nos corredores do aeroporto, gritando slogans contra o governo.

O Batalhão da POLÍCIA DE CHOQUE chega batendo em todos, inclusivé nos terroristas.

Os árabes são conduzidos à Esquadra da PSP do aeroporto, acusados de tráfico de drogas, em face de flagrante forjado pelos próprios policias, que "plantaram" papelotes de cocaína nos bolsos dos dois.

Às 18 horas, aproveitando uma manifestação dos guardas prisionais clamando subsídio de risco, eles conseguem fugir da prisão no meio da confusão e do tiroteio das brigadas anti-motim da PSP que entretanto tinha sido destacada para o local pelo Ministro da Administração Interna.

Às 19h05m, os muçulmanos, ainda ensanguentados, dirigem-se ao balcão da TAP para comprar as passagens, mas o funcionário que lhes vende os bilhetes omite a informação de que os vôos da companhia estão suspensos por tempo indeterminado.

Eles, então, discutem entre si e começam a ficar em dúvida se destruir Lisboa, no fim de contas, é um acto terrorista ou uma obra de caridade.

Às 23h30m, sujos, doloridos e mortos de fome, decidem comer alguma coisa no restaurante do aeroporto.

Pedem sandes de queijo com limonadas.

Só na terça-feira, às 4h35m, conseguem recuperar-se da intoxicação alimentar de proporções equinas, decorrente da ingestão do queijo estragado usado nas sandes.

Eles foram levados para o Hospital de Santa Maria, depois de terem esperado três horas para que a ambulância do INEM chegasse e percorresse diversos hospitais da rede pública até encontrar uma vaga.

No HSM, foram atendidos por uma enfermeira feia e mal-humorada.

Eles tiveram de esperar dois dias para serem examinados, por causa da cólera causada pela limonada feita com água contaminada por coliforme fecal.

Debilitados, só terão alta hospitalar no domingo.

Domingo, 18h20h: os homens de Bin Laden saem do hospital e chegam perto do estádio de Alvalade.

O Benfica acabara de perder com o Sporting.

A claque dos NO NAME BOYS confunde os terroristas com integrantes da JUVELEO e dá-lhes uma surra sem precedentes.

O chefe da claque abusa sexualmente deles.

Às 19h45m, finalmente, são deixados em paz, com dores terríveis pelo corpo, em especial na área proctológica.

Ao verem uma roullote de venda de bebida nas proximidades, decidem embriagar-se uma vez na vida e comer umas sandes de couratos (mesmo que seja pecado!).

Tomam um bagaço adulterado com metanol e precisam voltar ao Santa Maria.
Os médicos também diagnosticam gonorréia.

Segunda-feira, 23h42m: os dois terroristas fogem de Lisboa escondidos na traseira de um camião de electrodomésticos, assaltado horas depois na Serra da Musgueira.

Desnorteados, famintos, sem poder andar ou sentar-se, eles são levados por uma carrinha de apoio aos sem Abrigo, organização ligada aos direitos humanos para a área metropolitana de Lisboa.

Viajam deitados de lado.

Na capital novamente, deambulam o dia todo à cata de comida e por volta das 20 horas acabam adormecendo debaixo da marquise de uma loja na Rua do Coliseu, no centro.

A Polícia Judiciária não revelou o hospital onde os dois foram desta vez internados em estado grave, depois de espancados quase até a morte por um grupo de SKINHEADS.

Sabe-se que a Polícia Judiciária deixou de se preocupar e vigiar estes membros da Al Qaeda por considerar que as suas intenções foram desvanecidas e já não constituem qualquer tipo de perigo à integridade nacional, e até os está a ajudar, tentando encontrar uma organização humanitária que lhes possa dar apoio para o regresso ao Afeganistão, isto tudo a pedido dos mesmos...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Qua Set 16, 2009 5:01 pm

PARTIDO NACIONALISTA PORTUGUÊS/BLOCO DA DIREITA PORTUGUESA

O QUE NÓS QUEREMOS :

1.Nós queremos acabar com o saque e a colonização de que Portugal é vítima, queremos acabar com os impostos e sair da União Europeia.

2.Nós queremos voltar ao antigo sistema monetário nacional, onde o Escudo seja suportado pela economia Portuguesa, que ora está a ser destruída pelo euro.

3.Nós queremos terminar com a ênfase materialista, hedonística,egoísta e carnal que certos elementos satânicos estão a impôr na nossa sociedade.

4.Nós queremos regressar aos Valores Tradicionais da velha sociedade cristã Portuguesa focada em Deus,na Família e na Pátria.

5.Nós queremos parar com a corrupção política , e prometemos fazer a vontade ao povo;depois de sermos escolhidos instalaremos um capitalismo popular,segundo a via Portuguesa.

6.Nós queremos retardar o alargamento dos centros urbanos,e incentivar a vida nos campos que agora estão a ser esvaziados e dessa forma é destruída a nossa agricultura;as quintas,as florestas,as aldeias devem ser valorizadas em vez de serem substituídas por fábricas,centros comerciais,discotecas e blocos de apartamentos.

7.Nós queremos a dissolução de todos os pactos e blocos politicos, económicos e militares,para que todos os Estados possam ser realmente independentes,depender dos seus próprios recursos e viver sob uma nova ordem internacional.

8.Nós queremos pôr um fim a todas as formas de racismo e separatismo de certos elementos que querem dividir e alienar a multicultural sociedade Portuguesa.

9.Nós queremos uma nova lei para a legalização de partidos politicos, porque a actual lei ao exigir dez mil assinaturas é a lei mais anti-democrática da europa;quando na maioria dos países do mundo bastam menos de cem assinaturas para se legalizar uma associação ou partido politico;a actual lei na realidade existe para impedir a formação de novos partidos politicos e manter a actual podridão e estagnação social provocada pela ditadura bi-partidocrática.

10.Nós queremos o pluralismo democrático e a diversidade de ideias desde os fascistas aos comunistas,passando por partidos regionais e locais,desde que seja respeitada a legalidade do jogo democrático.

11.Nós queremos acabar com o aborto,legal ou clandestino ; qualquer médico que o pratique será julgado e condenado pelo crime.A vida é sagrada e um ser vivo inocente que não pediu para nascer deve ser protegido e assumido pelos pais.

12.Nós queremos pôr um fim ao movimento em prol da eutanásia que está tomando conta do país.Nós faremos tudo ao nosso alcance para trabalharmos conjuntamente com médicos,religiosos e comunidade científica para aliviar a dor e o sofrimento aos idosos e aos que sofrem de doença incurável ou terminal.Nós não permitiremos que se ponham pessoas a dormir como se fossem animais.

13.Nós queremos ilegalizar a clonagem e a seminação artificial,porque essa prática satânica no fundo nega a existência de Deus,o homem não pode criar monstros sem alma.

14.Nós queremos reintroduzir a pena de morte em Portugal contra aqueles que praticarem crimes de sangue ignóbeis e horríveis contra outro ser vivo ou contra a humanidade.

15.Nós queremos retirar o direito de voto a todos aqueles que praticaram qualquer crime social;como roubos,assaltos,violência,esturpo,sexo com menores, homossexualidade,corrupção,etc.Todos nascemos iguais em direitos,mas aqueles que violaram os direitos privados dos outros, acabaram no fundo por perder os seus direitos,que nos obrigam a respeitarmo-nos uns aos outros e não a destruir as liberdades.

16.Nós queremos reintroduzir nas escolas e universidades as classes de Religião e Moral como disciplina obrigatória para os jovens e adultos.
Nós queremos voltar a introduzir a Bíblia,os dez mandamentos e rezar nas escolas.E queremos que os estudantes compreendem que a ética Cristã é a base da nossa sociedade e o mais alto ideal ao alcance do homem.

17.Nós queremos que todos os Portugueses tenham o direito de usar automáticamente armas defensivas,e devidamente instruídos como responsabilizados, como forma de se defenderem do aumento da criminalidade e contra o abuso de poder por parte das autoridades policiais e governativas.

18.Nós queremos reeducar os jovens desencaminhados das nossas cidades, treiná-los,pô-los em centros reeducativos e disciplinadores para que a juventude tenha um sentido de responsabilidade,de pertença e um propósito.Nós podemos dar-lhes isso,nós institucionalizaremos um programa competente para limpar,planear e ajudar a criar o grande Portugal que visionamos num futuro próximo.

19.Nós acreditamos na dignidade de todos os seres humanos pertencerem a um grande todo.Nós queremos fazer de cada pessoa,não importam as suas capacidades,nem quem ela é,de ser digna na sociedade cristã onde vive e de sentir que pode contribuir,mesmo que esteja incapacitada.Todos são dignos de alguma coisa e podem servir um propósito socialmente.

20.Nós queremos pôr um fim à descriminação que certos governantes oficialmente praticam nos seus departamentos contra os camponeses e agricultores.Sob mandamento da União Europeia está a ser destruída a Agricultura Portuguesa.É uma desgraça nacional,é uma calamidade pública o que foi feito contra a Lavoura neste país,onde os agricultores continuam a ser tratados como cidadãos de segunda classe.Nós prometemos revitalizar e suportar a Agricultura nacional.Prometemos subsidiar os camponeses sem poses.Mais do que nunca,porque ser camponês ou agricultor é a mais digna das ocupações,e sem comida todos morreríamos, sem Agricultura Portugal morre.

21.Nós queremos acabar com os impostos que são exigidos aos trabalhadores modestos e à propriedade dos idosos.Isto significa que quando uma pessoa trabalha toda a sua vida e depois retira-se com os seus modestos ganhos ou baixa segurança social,não pode ficar à mercê de ver a sua propriedade confiscada nem de morrer à fome,devido à politica praticada pelos governantes.São os trabalhadores que enrriquecem o seu país tanto quanto os empresários nacionalistas.

22.Nós somos contra a instrumentalização da televisão e de toda a comunicação social pelo poder e polos partidos politicos.E somos também contra a colonização cultural de que somos vítimas com a encenação da violência e da pornografia de sociedades em decadência como a Americana entre outras.Por isso procuraremos incentivar a produção nacional em todos os sectores culturais e económicos da sociedade.

23.Nós,o Partido Nacionalista Português/Bloco da Direita Portuguesa, queremos levar Portugal ao seu destino como grande nação no mundo.Por isso a nossa primeira batalha é esclarecer todos os Portugueses dignos e orgulhosos da sua Pátria que agora está a ser atrofiada pelos traidores.

--- / ---

Nós somos pessoas vulgares,trabalhadores comuns,nenhum de nós está preso as coisas materiais,nós somos professores universitários,estudantes escolares,funcionários públicos,operários industriais,empresários, varredores de rua,desempregados,donas de casa,intelectuais,empregados de escritório,camponeses,homens e mulheres.E todos nós somos cidadãos Portugueses que procuram uma mudança radical na sociedade Portuguesa e no seu estatuto politico como nação independente e regeneradora no mundo actual.

Nós somos Soldados Politicos Espirituais,Cruzados do século XXI,dedicados a combater as forças do mal.

Nós não somos,nem desejamos ser complacentes como batatas no sofá que só desejam na vida estar confortáveis,beber cerveja,ver televisão e ter tempo só para divertimento,há muitas mais coisas na vida do que isso. Portugal merece mais de nós.

Nós PNP/BDP somos nacionalistas na mesma maneira que todos os heróis e anónimos Portugueses caídos e vitoriosos.Nós permanecemos e lutamos por aquilo que nos parece certo e Direito,sem olhar à opinião popular e às tendências da moda correntes.Hoje ser Nacionalista é uma posição socialmente impopular,a esquerda não gosta de nós,a « direita » situacionista e serventária do actual poder não nos tolera e as classes médias vendidas às forças estrangeiras odeia-nos.

Os nossos inimigos tentam-nos pintar de neo-fascistas,mas nós sabemos que não o somos.Nós somos Nacionalistas e aceitamos o jogo democrático como forma de aceder ao poder.Contudo nós temos alguns pontos de vistas filosóficos e politicos que os fascistas também têm,mas esses pontos em comum não são maus se respeitarem a democracia e condenarem a violência,e nós como Nacionalistas não temos que nos envergonhar nem temos que mudar essas coisas…Aqueles que são nossos inimigos estariam sempre contra nós qualquer que fossem as coisas que nós mudássemos. Basta olhar para a forma como eles atacam a « direita » que governa e essa é muito mais liberal do que nós.

Nestes tempos modernos ser da Direita Autêntica e lutar por aquilo que nos parece mais correcto ou por aquilo que nos parece mais justo e verdadeiro é ser revolucionario,todos temos de enfrentar os desejos da maioria e muitas vezes com a tenacidade e a persistência duma minoria perseguida.Mas se essas novas idéias forem compreendidas e assimiladas pelo povo,a maioria acabará por ceder à justiça dos seus valores.

Para se ser Nacionalista e Patrióta,todos temos de ser mentalmente fortes e disciplinados.Um Nacionalista tem que ter vontade para suportar sacrifícios por uma causa que não é apenas Justa como também Sagrada. O PNP/BDP luta contra aqueles que querem fazer de Portugal uma nação fraca e corromper os nossos valores nacionais,espirituais e culturais.

Nós no PNP/BDP acreditamos que é melhor servir uma causa justa e nobre do que servir nemhuma causa de todo vivendo acomodado. E a Nossa causa é grande.

(Portugal Profundo - chico)



Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Qui Out 15, 2009 1:05 pm

Na Holanda existe um partido que defende a pedofilia

"O primeiro partido declaradamente pedófilo foi criado na Holanda, o NVD (Amor ao próximo, Liberdade e Diversidade), o qual tem como objectivo permitir a pornografia infantil e as relações sexuais entre adultos e crianças.

«Educar as crianças significa também acostumá-las ao sexo. Proibir deixa as crianças mais curiosas», afirmou Ad van den Berg, 62, fundador do partido, em entrevista ao jornal holandês Algemeen Dagblad.

Van den Berg considerou que a imagem dos pedófilos foi desonrada pelo escândalo do assassino de crianças belga Marc Dutroux, mas destacou que a criação deste partido político pode inverter aquele quadro.

Além da pornografia infantil, o programa do NVD propõe a extinção do Senado e das funções do primeiro-ministro, a legalização de todas as drogas, leves e pesadas, e a prisão perpétua para assassinos reincidentes.

No respectivo site na Internet, o partido afirma que qualquer pessoa que tiver completado 16 anos deveria poder interpretar filmes pornográficos e que a maioridade sexual deveria ser diminuída para os 12 anos."

(Diário Digital)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Ter Ago 17, 2010 2:01 pm

Origem dos fascismos (1)

Nascidos da miséria e humilhação da Primeira Guerra Mundial, os movimentos fascistas eram a favor da defesa dos valores tradicionais contra o bolchevismo e apoiavam o nacionalismo e a piedade. Adoptaram uma ideologia inspirada na dos seus adversários, nos aspectos em que estes tinham tido êxito, de modo a melhor os combater.
Surgiram primeiro e mais fortes em países católicos.
A igreja viu o comunismo como um adversário letal. Até porque os judeus ocupavam cargos importantes no partido de Lenine.

Na Europa do Sul, a igreja foi um aliado de confiança na integração dos regimes fascistas em Itália, Espanha, Portugal e Croácia.

ITÁLIA MUSSOLINI 1929 - 1945

Benito Mussolini, logo que conquistou o poder em Itália em 1929, assinou um tratado oficial com o Vaticano, conhecido como Pacto de Latrão.
O catolicismo tornou-se a única religião reconhecida em Itália, com poderes monopolistas sobre questões como nascimento, casamento, morte e educação, e em troca incitou os seus fiéis a votarem no partido de Mussolini.
O papa Pio XI descreveu II Duce (o líder») como «um homem enviado pela providência».
A igreja dissolveu os partidos centristas católicos laicos e ajudou a patrocinar um pseudopartido chamado «Acção Católica» que foi estabelecido em outros países.

O Vaticano apoiou e recusou-se a criticar a tentativa de Mussolini para recriar uma caricatura do Império Romano com as suas invasões da Líbia, Abissínia (actualmente Etiópia) e Albânia: territórios povoados por não cristãos ou por cristãos orientais.

Como uma das justificações para a utilização de gás venenoso e outras medidas criminosas na Abissínia, Mussolini até referiu a persistência dos habitantes na heresia do monofisismo: um dogma da encarnação que tinha sido condenado pelo papa Leão e pelo Concílio de Calcédon em 451.

Nota: Extraído (com alterações e acrescentamentos) de «deus não é Grande» de Christopher Hitchens – 2007

(Diário Ateísta - Carlos Esperança)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Ter Ago 17, 2010 2:03 pm

Origem dos fascismos (2)

ALEMANHA NAZI HITLER 1933 - 1945

O caso da rendição da igreja ao nacional-socialismo alemão ainda é mais condenável.
Apesar de partilhar dois princípios importantes com o movimento e Hitler – do anti-semitismo e do anticomunismo – o Vaticano percebeu que o nazismo também representava um desafio por pretender substituir o cristianismo por rituais de sangue pseudonórdicos e por mitos raciais, baseados na fantasia da superioridade ariana. Defendia também uma atitude exterminadora perante os doentes, os inaptos e os loucos e começou bastante cedo a aplicar esta política não aos judeus mas aos alemães.

O papa Pio XI teve receio do nazismo. Durante a primeira visita de Hitler a Roma, por exemplo, o papa saiu da cidade e foi para o retiro papal em Castelgandolfo. Este papa doente foi neutralizado durante a década de 30 pelo seu secretário de Estado, Eugenio Pacelli.
Pelo menos uma encíclica papal, que expressava, pelo menos, um tom de preocupação relativamente aos maus-tratos infligidos aos judeus europeus, foi preparada pelo papa mas suprimida por Pacelli.

Pacelli passou a ser o papa Pio XII, que sucedeu no cargo após o falecimento do seu antigo superior em Fevereiro de 1939. Quatro dias após a sua eleição pelo Colégio dos Cardeais o papa compôs a seguinte carta para Berlim:
Ao Ilustre Herr Adolf Hitler Chanceler do Reich Alemão! No início do Nosso Pontificado queremos garantir-lhe que continuamos devotados ao bem-estar espiritual do povo alemão, que foi confiado à sua liderança.

Durante os muitos anos que Nós passámos na Alemanha, fizemos tudo o que estava ao Nosso alcance para estabelecer relações harmoniosas entre a Igreja e o Estado. Agora que as responsabilidades da Nossa função pastoral aumentaram as Nossas oportunidades, muito mais ardentemente queremos rezar para alcançar esse objectivo. Que a prosperidade do povo alemão e o seu progresso em todos os domínios possam, com a ajuda de Deus, tornar-se realidade!

O Vaticano passou os cinquenta anos seguintes à queda do nazismo a tentar em vão justificar a sua passividade e inacção ou a pedir desculpa pelas suas atitudes. Decidir não fazer nada é, em si, uma política e uma decisão, e foi claro o alinhamento da igreja com o nazismo seguindo uma realpolitik de acomodação a ele. O primeiro acordo diplomático efectuado pelo Governo de Hitler foi consumado no dia 8 de Julho de 1933, alguns meses após a tomada do poder, e assumiu a forma de um tratado com o Vaticano.

Em troca do controlo incontestado da educação de crianças católicas na Alemanha, do abandono da propaganda nazi contra os abusos infligidos em escolas e orfanatos católicos e da concessão de outros privilégios à igreja, a Santa Sé deu instruções ao Partido de Centro Católico para se dissolver e ordenou aos católicos para se absterem de qualquer actividade política em todos os assuntos que o regime decidisse definir como proibidos.
Na primeira reunião o seu governo após a assinatura desta capitulação, Hitler anunciou que estas novas circunstâncias seriam «especialmente importantes na luta contra o povo judeu a nível internacional».

Os vinte e três milhões de católicos que viviam no Terceiro Reich, muitos dos quais revelaram grande coragem individual ao resistir à ascensão do nazismo, tinham sido eliminados enquanto força política. Daí em diante, os registos paroquiais foram disponibilizados ao Estado nazi para que se estabelecesse quem era racialmente puro para sobreviver à perseguição, segundo as leis de Nuremberga.

Mas nenhuma das igrejas protestantes foi tão longe como a hierarquia católica que ordenou uma celebração anual em honra do aniversário de Hitler, com início a 20 de Abril de 1939, ano em que houve uma mudança de papa. De acordo com instruções papais, o cardeal de Berlim transmitia regularmente «as maiores felicitações ao Führer em nome dos bispos e dioceses da Alemanha», sendo esta aclamação acompanhada pelas «orações fervorosas que os católicos alemães enviam para o céu nos seus altares». A ordem foi acatada e cumprida fielmente. 25 por cento dos SS eram católicos praticantes e que nenhum católico foi ameaçado de excomunhão por participar em crimes de guerra. Joseph Goebbels foi excomungado, mas mais cedo, por ter cometido o crime de casar com uma protestante.

Os católicos devem reflectir se deus decidiu providencialmente a morte de um papa que afirmava a sua neutralidade para com o nazismo e a sua sucessão por um papa pró-nazi, alguns meses antes de Hitler invadir a Polónia e dar início à Segunda Guerra Mundial.
A consequência desta rendição política dos católicos foi a subordinação ao nazismo dos protestantes alemães, que procuraram impedir um estatuto especial para os católicos estabelecendo o seu próprio compromisso com Hitler.

A conivência do Vaticano com os nazistas o continuou mesmo depois da guerra, quando criminosos nazis procurados foram transferidos para a América do Sul pela «linha das ratazanas». Foi o próprio Vaticano, com a sua capacidade de conceder passaportes, documentos, dinheiro e contactos, que organizou a rede de fuga e também o necessário abrigo e auxilio no continente americano, utilizando as instalações religiosas e a disponibilidade dos governos de países como a Espanha e a Argentina.

Também envolveu a colaboração com ditaduras de extrema-direita no hemisfério sul, muitas das quais estavam organizadas segundo o modelo fascista (Peron, etc.). Torturadores e assassinos fugitivos como Klaus Barbie arranjaram muitas vezes carreiras seguras como servidores desses regimes, que, até começarem a ruir nas últimas décadas do século XX, também desfrutaram, por sua vez, de um relacionamento de apoio do clero católico local.
A ligação da igreja ao fascismo e ao nazismo prolonga-se muito para além do Terceiro Reich.

Muitos cristãos deram as suas vidas para proteger os seus semelhantes, mas é irrelevante as iniciativas das hierarquias nessa actividade.
É de homenagear a memória dos poucos crentes, como Dietrich Bonhoeffer e Martin Niemoller, que agiram de acordo apenas com a sua consciência.

O papado demorou até à década de 80 para encontrar um candidato à santidade no contexto da «solução final» e mesmo então só conseguiu identificar um padre bastante ambivalente que – após uma longa história de anti-semitismo político na Polónia – se tinha, aparentemente, comportado de uma forma nobre em Auschwitz.

Tinha nomeado anteriormente um austríaco chamado Franz Jagerstatter mas não preenchia as condições. Recusara-se a fazer parte do exército de Hitler com o fundamento de que estava obrigado a obedecer à ordem superior de amar o próximo, mas enquanto estava na prisão e poderia incorrer na pena de morte recebeu a visita dos seus confessores, que lhe disseram que deveria obedecer à lei.

Extraído (com alterações e acrescentamentos) de deus não é Grande de Christopher Hitchens 2007

(Diário Ateísta - Carlos Esperança)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Ter Ago 17, 2010 2:08 pm

Origem dos fascismos (3)

JAPÃO PEARL HABOUR 1945

A tríade do Eixo incluía o Império do Japão – que tinha não apenas uma pessoa religiosa como chefe de Estado, mas uma verdadeira divindade.
A heresia de acreditar que o imperador Hirohito era deus nunca foi denunciada em qualquer púlpito alemão ou italiano ou por qualquer sacerdote.
No nome sagrado do imperador ridiculamente sobrevalorizado, vastas regiões da China, da Indochina e do Pacífico foram conquistadas, roubadas e escravizadas.
Também em seu nome milhões de japoneses foram martirizados e sacrificados.
O culto deste deus-rei poderia ter levado o povo japonês a recorrer ao suicídio se a vida do imperador fosse ameaçada no fim da guerra.
Os americanos decidiram mantê-lo no trono, apenas permitindo ser considerado imperador e nunca deus.

ESPANHA FRANCO

Em Espanha, o general Franco foi autorizado a dar o nome honorífico de La Crujada, ou «a cruzada», à sua invasão do país e à destruição da república democrática.
Tratava-se de um regime fascista-católico.

PORTUGAL

O regime fascista português foi construído com base na Igreja Católica, contra o republicanismo mais progressivo, o socialismo e o comunismo.
Salazar e o cardeal Cerejeira tinham tido a mesma formação e militado nas mesmas organizações, sobretudo confessionais e monárquicas.
O fascismo português manifestou-se claramente enquanto o Eixo parecia ter possibilidades de ganhar a Guerra.
A dependência económica de países como a Grã-Bretanha, levou Salazar a encenar uma “neutralidade”, tendo-se associado aos Aliados, apenas quando a derrota do Eixo era evidente.

HUNGRIA ALMIRANTE HORTHY

O golpe militar de extrema-direita na Hungria, liderado pelo almirante Horthy, foi calorosamente apoiado pela igreja.

ESLOVÁQUIA

O regime nazi fantoche na Eslováquia era liderado pelo padre Tiso.

ÁUSTRIA 1938 - 1945

O cardeal da Áustria proclamou o seu entusiasmo pela invasão de Hitler ao seu país na altura do Anschluss, anexação da Áustria pela Alemanha em 13 de Março de 1938.

FRANÇA CASO DREYFUS A 1945

Em França, a extrema-direita adoptou a divisa de «Meilleur Hitler Que Blum» – por outras palavras, é preferível ter um ditador racista alemão do que um judeu socialista francês eleito.
Organizações fascistas católicas como a Action Française, de Charles Maurras e a Croix de Feu fizeram uma campanha violenta contra a democracia francesa, na sequência das campanhas políticas que empreendeu desde a absolvição do capitão judeu Alfred Dreyfus em 1899.
Após a invasão da França pelos alemães, estas forças colaboraram na perseguição e assassinato de judeus franceses, bem como na deportação para trabalhos forçados de um vasto número de outros franceses.
O regime de Vichy cedeu ao clericalismo, apagando o lema de 1789 – Liberté, Egalité, Farternité – da moeda nacional e substituindo-o pelo lema do ideal cristão de Famille, Travail, Patrie.

INGLATERRA ATÉ CONFLITO COM A ALEMANHA

Mesmo num país como a Inglaterra os fascistas contaram com poderosos mentores (como membro da aristocracia e da casa real) também devido à militância de intelectuais católicos como T. S. Eliot e Evelyn Waugh.

IRLANDA CATÓLICOS ATÉ 1945

Na vizinha Irlanda, o movimento Blue Shirt do general O’Dufly (que enviou voluntários para lutar ao lado de Franco em Espanha) era pouco mais do que uma dependência da Igreja Católica.
Em Abril de 1945, ao ouvir a notícia da morte de Hitler, o presidente Eamon de Valera colocou a sua cartola, mandou pedir a carruagem estatal e dirigiu -se à embaixada em Dublin para apresentar os seus pêsames oficiais.

NAÇÕES UNIDAS

Por causa da adopção do fascismo ou por terem sido dele apoiantes, os Estados dominados pelo catolicismo, desde a Irlanda até Espanha e Portugal, não puderam ser escolhidos para fazer parte das Nações Unidas quando a organização foi criada.

CONCLUSÃO

A igreja fez esforços para se desculpar por tudo isto, mas a cumplicidade com o fascismo é uma marca indelével na sua história e não foi um compromisso a curto prazo ou precipitado mas uma aliança activa que só se quebrou depois de o período fascista ter passado à História.

Extraído (com alterações e acrescentamentos) de deus não é Grande de Christopher Hitchens 2007

(Diário Ateísta - Carlos Esperança)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Qua Jan 12, 2011 8:38 pm

O Roubo da Lenha fez de Marx um Comunista...

Foi a discussão sobre a singular Lei da Repressão ao Roubo de Lenha que tornou Karl Marx um comunista.

A Assembleia da sua terra natal, a Renânia, dedicou-se entre outubro e novembro de 1842 à aprovação dela visando punir quem adentrasse nas matas e bosques privados para suprir-se dos galhos e dos gravetos caídos.

Tratava-se de um atinqüíssimo costume praticado pelos pobres europeus no qual os camponeses e os aldeões, vizinhos às matas, podiam socorrer-se do cavaco para proteger-se do inverno, amparando com a lenha coletada suas mirradas lareiras e fornos.

Os proprietários renanos, porém, decidiram-se ao aprovar uma lei específica considerá-lo uma espécie de roubo.

Do dia para noite, para espanto de Marx, uma velha tradição tornou-se crime pelo qual o humilde mas honesto morador aprecia perante a lei como um delinqüente, num invasor, um ladrão.

Esse acontecimento fez Karl Marx, então o brilhante redator-chefe da Gazeta Renana (um jornal liberal-radical recém-lançado em Colônia), descer das estratosferas da metafísica hegeliana e cair no dia-a-dia.

Bem aos seus olhos aparecia ali, escancarado, como os interesses do senhorio transformavam-se em lei: o Direito claramente servia os poderosos.

Indignado, denunciou o modo que convertem em ouro jurídico puro toda iníqua arrogância (artigo: Debatten über das Holzdiebstahlgesetz, 1842).

Dali em diante Karl Marx jurou guerra sem quartel a eles, aos senhores.

O resultado dessa sua inclinação ideológica viu-se seis anos depois quando redigiu em Bruxelas, já exilado e perseguido, o Manifesto do Partido Comunista, entre janeiro e fevereiro de 1848.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: IDEOLOGIAS POLÍTICAS   Hoje à(s) 6:54 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
IDEOLOGIAS POLÍTICAS
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» CCB E A POLÍTICA
» Pizzas Exóticas
» Leave in Seda brilho gloss
» Vídeo de pastora que realiza milagres causa polêmica
» Polêmica: Câmera de segurança teria flagrado anjo descendo do céu. Verdadeiro ou falso? Veja o vídeo

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A LIBERDADE É AMORAL :: POLÍTICA-
Ir para: