A LIBERDADE É AMORAL

Local de discussão livre sobre todos os temas sociais.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 MOMENTO DE CULTURA...

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte
AutorMensagem
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Dom Set 06, 2009 10:25 am

Garcia, o publicitário português...

Um português abre uma filial de sua empresa de pregos em Roma.

Como propaganda fez um outdoor com a figura de Cristo pregado à cruz e escrito em baixo:

PREGOS GARCIA - 2000 ANOS DE GARANTIA

Foi um rebuliço...

O bispo de Roma foi pessoalmente conversar com o português para lhe explicar que não podia fazer aquilo.

Então o português resolveu fazer um novo outdoor.

Colocou Cristo com uma das mãos pregadas na cruz e a outra solta...

Em baixo escreveu:

ADIVINHE EM QUAL MÃO FOI USADO PREGO GARCIA!?

Meu Deus do Céu!!! Até o Papa foi conversar com o português.

- Assim não dá! Não pode usar Jesus Cristo para propaganda. Invente outra coisa...

- Então vou fazer novo outdoor... - pensou o português.

Colocou a foto da cruz vazia e em baixo escreveu.

SE O PREGO FOSSE GARCIA, CRISTO NÃO FUGIA!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Ter Set 08, 2009 11:09 am

Para quem não tem tempo para ler, e ouve os "pseudo-entendidos" a comentar as grandes obras literárias existentes, aqui vai uma ajuda para que possam calar esse vaidosos.

Leon Tolstoi - "GUERRA E PAZ" (1800 páginas)
Um rapaz não quer ir à guerra e por isso Napoleão invade Moscovo. A rapariga casa-se com outro.

Luís de Camões - "LUSIADAS" (várias edições)
Um poeta com insónias decide chatear o Rei e contar-lhe uma história de marinheiros que, depois de alguns problemas (logo resolvidos por uma deusa porreiraça), tem o justo prémio numa ilha cheia de gajas boas.

Gustave Flaubert - "MADAME DE BOVARY" (378 páginas)
Uma dona de casa engana o marido com o padeiro, o leiteiro, o carteiro o homem do talho, o merceeiro e um vizinho cheio de massa. Envenena-se e morre.

William Shakespeare - "HAMLET"
Um príncipe com insónias passeia pelas muralhas do castelo, quando o fantasma do pai lhe diz que foi morto pelo tio que dorme com mãe, cujo homem de confiança é o pai da namorada que entretanto se suicida ao saber que o príncipe matou o seu pai para se vingar do tio que tinha morto o pai do seu namorado e dormia com a mãe. O príncipe mata o tio que dorme com a mãe, depois de falar com uma caveira e morre, assassinado pelo irmão da namorada, a mesma que era doida e que se tinha suicidado.

NOVO TESTAMENTO ( 4 versões )
Uma mulher com insónias dá à luz um filho cujo pai é uma pomba, o filho cresce e abandona a carpintaria para formar uma seita de pescadores. Por causa de um bufo, é preso e morre.

PS - Se leram os livros e não concordam com os resumos, paciência...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qua Set 09, 2009 10:58 am

Vamos todos usar Genéricos...

Aqui está uma lista de medicamentos com o seu genérico correspondente:

ACTIVAROL - PRAMEMÓRIA

AGIOLAX - PRACAGAR

ASPIRINA - PRÁTOLA

BENUROM - PRÁTOSSE

BUSCOPAM - PRÁSDORES

CÊGRIPE - PRÓVIRUS

COLGATE - PRÓSDENTES

COZAAR - PRÁTENSÃO

GERPROCT - PRÓCU

ILVICO - PRÓESPIRRO

KOMPENSAM - PRÁZIA

LAURODERME - PRÓSTOMATES

NASEX - PRÁPENCA

REUMON GEL - PRÓCARUNCHO

SALTRATOS - PROSPÉS

SORO - PRÁVEIA

TAMPAX - PRÁRATA

TANTUM VERDE - PRÁBOCA

VALIUM - PROÓÓ

VIAGRA - PRÓTESÃO

XANAX - PRÓSTRESS
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Sex Set 11, 2009 2:21 pm

Perfil do tipo mesmo Chato...

- Um chato nunca perde o tempo dele, perde o dos outros.

- Justiça seja feita, todo o chato tem cara de chato.

- O chato quando está com tosse não vai ao médico, vai ao teatro.

- Chato é o tipo que fica mais tempo contigo do que tu com ele.

- Chato é o tipo que fuma só para cravar cigarros dos outros.

- Chato é aquele que pára de fumar só para chatear aqueles que fumam.

- Chato é o tipo que vai contigo na rua, mas pára de dois em dois metros porque não sabe conversar a andar.

- Chato é aquele tipo que conta tudo tim-tim por tim-tim e ainda consegue explicar os detalhes.

- Chato é aquele tipo que quando dizes "Passa lá em casa um dia destes", ele passa mesmo.

- O chato não tem força de vontade, é teimoso.

- O chato só não ronca quando dorme sózinho.

- Existem várias maneiras de ser chato, mas o chato escolhe sempre a pior.

- Toda a gente tem o seu dia de chato, mas o chato é chato todos os dias.

- O melhor chato é aquele que só chateia os outros.

- O chato certo chega sempre na hora errada.

- O chato nunca tem nada para fazer, a não ser chatear os outros.

- Chato que é chato, só se cala quando morre.

- O chato não se irrita, irrita os outros.

- O chato está sempre perto quando tu queres estar longe.

- Todo o chato faz um jornal cheio de piadas chatas.

- Todo o chato lê as piadas chatas nos jornais chatos e sai por aí contando aos outros.

- Todo o chato lê os textos até ao fim!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Dom Set 13, 2009 1:11 pm

Aula de etiqueta...

Durante a aula de Boas Maneiras, diz a professora:
- Zezinho, se tu estivesses a namorar uma rapariga fina e educada, e durante o jantar, precisasses ir à casa de banho, o que dirias?
- Segura as pontas aí que eu vou dar uma mijinha.
- Isso seria uma completa falta de educação.
- Juquinha, como tu dirias?
- Desculpa-me, preciso ir à casa de banho, mas já volto.
- Melhor, mas é desagradável mencionar a casa de banho durante as refeições.
- E tu, Joãozinho, serias capaz de usar a tua inteligência para, ao menos uma vez, mostrares boas maneiras?
- Eu diria "Minha prezada senhorita, peço licença para ausentar-me por um momento, pois vou estender a mão a um grande amigo que pretendo lhe apresentar depois do jantar".
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qua Set 16, 2009 12:40 pm

O coito em pé...

De entre os coitos fraudulentos, que tem por fim evitar a fecundação, não há nenhum tão pernicioso, como o que se pratica estando de pé o homem e a mulher. O homem que abusa desta posição anti-higiénica, está exposto a graves acidentes, pelos esforços que terno de fa¬zer para conseguir o espasmo.
No instante supremo do coito sente grandes sacudiduras nervosas em to do o corpo e mais especialmente nas pernas, que vacilam faltas de força, como que negando-se a susterem o corpo, que cai vencido pela fadiga. «Anuvia-se os olhos, a cabeça desfalece, ressente-se a espinhas dorsal e tremem-lhe as pernas», diz Venette, e acrescenta que este coito e um ma¬nancial fecundo da gota e de outras doenças.
Junte-se a tudo isto, que a fecundação que se quer evitar, não é só possível, mas é até mais provável que com os outros coitos, quando o útero esta caído e a sua entrada se abre no momento do espasmo, que é muito mais voluptuoso que copulando normalmente, porque o clítoris da mulher é fortemente apertado e friccionado pelo pénis, que lhe serve de ponto de apoio, porque o corpo da mulher carrega quase completamente sobre a parte abdominal do homem. As mulheres que já tem tido filhos, são as que estão mais expostas a ser fe¬cundadas quando copulam deste modo.

Escalan Escandón, Juan
Os Mysterios da fecundação: Guia theorico-pratico para os casados que desejem conhecer as leis por que se regem as funcções da geração
Lisboa: Livraria Central – 2.ª Edição – Pág. 85-86
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Sex Set 18, 2009 12:56 pm

Tenham cuidado com estes Vírus...

Vírus Mónica Lewinsky
Chupa toda a memória do seu computador.

Vírus Viagra
Transforma o seu floppy disk num hard disk.

Vírus Woody Allen
Ignora a Motherboard e passa a interagir com a Daughterboard.

Vírus Carlos Cruz
Só ataca ficheiros de pequena dimensão.

Vírus BiBi
Muito perigoso, ataca os seus ficheiros de pequena dimensão, e através do Outlook, fornece-os a outros utilizadores.

Vírus X-Files
Todos os seus ícones começam a ganhar formas estranhas.

Vírus Bárbara Guimarães
Não tem nenhuma função conhecida. Pensa-se que não faz nada, mas fica bem no Desktop.

Vírus Mário Soares
Guarda todos os seus dados, mas depois esquece onde os guardou.

Vírus Tallon
O seu disco de 60 GB encolhe rapidamente para 40 GB, e depois muito lentamente expande para os 120 GB.

Vírus Guterres
É totalmente inócuo, mas provoca lentidão no sistema e ineficácia, porque o ambiente onde actua consome demasiados recursos.

Vírus Barroso
Pode ser perigosíssimo. A princípio não se sabe o que faz, onde está e sequer se existe, mas quando se dá por ele, já é um Virus que domina a Europa e tem pretensões a dominar o Mundo.

Vírus Santana Lopes
Inconstante, salta dum lado para outro, permanece pouco tempo no sistema e quando sai deixa tudo esburacado.

Vírus Sócrates
A mais recente invasão nacional. Instala-se no sistema para melhor o controlar e demora 10 anos até o Sistema se livrar dele.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Sab Set 19, 2009 11:02 am

A ORIGEM DAS PALAVRAS - I

Já a formiga tem catarro
Significado: Diz-se a quem pretende ser mais do que é, sobretudo dirigido a crianças ou inexperientes.

Fazer tijolo
Significado: Morrer.
Origem: Segundo se diz, existiu um velho cemitério mouro para as bandas das Olarias, Bombarda e Forno do Tijolo. O almacávar, isto é, o cemitério mourisco, alastrava-se numa grande extensão por toda a encosta, lavado de ar e coberto de arvoredo.
Após o terramoto de 1755, começando a reedificação da cidade, o barro era pouco para as construções e daí aproveitar-se todo o que aparecesse.
O cemitério árabe foi tão amplamente explorado que, de mistura com a excelente terra argilosa, iam também as ossadas para fazer tijolo. Assim, é frequente ouvir-se a expressão popular em frases como esta: 'Daqui a dez anos já eu estou a fazer tijolo '.
in 'Dicionário de Expressões Correntes' ; Orlando Neves

Fila indiana
Significado: enfiada de pessoas ou coisas dispostas uma após outra.
Origem: Forma de caminhar dos índios da América que, deste modo, tapavam as pegadas dos que iam na frente.

Andar à toa
Significado: Andar sem destino, despreocupado, passando o tempo.
Origem: Toa é a corda com que uma embarcação reboca a outra. Um navio que está "à toa" é o que não tem leme nem rumo, indo para onde o navio que o reboca determinar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Seg Set 21, 2009 2:06 pm

O ONANISMO (Definição, Origem e História)

O onanismo, ou crime de Onan, é um hábito funesto, seguido de uma ejaculação contra a natureza do líquido espermático, provocada por contactos ou por efeito de uma imaginação ardente.

Onanismo, onania, crime d’ Onan, masturbação, mastupração, manusturbação, manustupração (de manus, mão, stupro, eu corrompo), manuelização, sordidez manual, libertinagem solitária, Selbstbeslckung, Selbstschwoechung, Sckossunde, em alemão, são aqui sinónimos.

O termo onanismo foi empregado por Tissot, depois do onania, pelo qual um autor inglês o designou, e que é derivado de Onan, de que fala a Sagrada Escritura.

FOURNIER, H. O onanismo: suas causas, perigos e inconvenientes para o indivíduo, família e sociedade: remédios / H. Fournier, trad. Narciso Alberto de Sousa. - Lisboa: Guimarães & C.ª Editores, (1934). – p. 11.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Sex Set 25, 2009 8:13 pm

Homens vs Mulheres

DINHEIRO:
- Um homem pagará 10 Euros por um produto de 5 Euros que ele quer.
- Uma mulher pagará 5 Euros por um produto de 10 Euros que não quer.

CASAS DE BANHO:
- Um homem tem 6 objectos na sua casa de banho: uma escova de dentes, creme de barbear, uma gillete, um pente, um sabonete e uma toalha.
- O nº médio de objectos numa casa de banho feminina é de 437. Um homem não será capaz de identificar a maior parte deles.

DISCUSSÕES:
- A mulher tem sempre a última palavra em qualquer discussão.
- Tudo o que o homem diga depois será apenas o início de outra discussão.

FUTURO:
- A mulher preocupa-se com o futuro até arranjar um marido.
- O homem nunca se preocupa com o futuro até que arranja uma mulher.

SUCESSO:
- Um homem bem sucedido é aquele que faz mais dinheiro do que aquele que a mulher consegue gastar.
- Uma mulher bem sucedida é aquela que encontra um homem destes.

CASAMENTO:
- A mulher casa com o homem esperando que ele mude, mas ele não muda.
- O homem casa com a mulher esperando que ela nunca mude, e ela muda.

A NATUREZA DAS COISAS:
- Os homens acordam de manhã com o aspecto com que se deitaram.
- As mulheres deterioram-se durante a noite.

CRIANÇAS:
- A mulher sabe tudo sobre os seus filhos. Sabe sobre as marcações do dentista, romances, melhores amigos, comida favorita, medos e sonhos.
- O homem sabe vagamente que moram lá em casa uns seres baixinhos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Seg Set 28, 2009 9:07 pm

Marketing é o que se faz quando o produto não presta.

Criatividade é a súbita suspensão da estupidez.

Não precisamos ter idéias novas; precisamos parar de ter idéias velhas.

(Edwin Land)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qua Set 30, 2009 4:08 pm

Questões da Medicina...

OBSTETRÍCIA
- Doutor, quando eu era solteira tive que abortar 6 vezes. Agora que casei, não consigo engravidar. Qual é a razão?
- É muito comum. O problema é que você não reproduz em cativeiro.

PSICO-PATOLOGIA
- Dr., tenho tendências suicidas. O que faço?
- Em primeiro lugar, e antes que seja tarde, pague a consulta.

CUIDADOS INTENSIVOS
A senhora chega ao hospital e pergunta:
- Doutor, sou a esposa do Zé que sofreu um acidente; como ele está?
- Bem, da cintura para baixo ele não teve nem um arranhão.
- Puxa, que alegria... E da cintura para cima?
- Não sei, ainda não trouxeram essa parte.

CIRURGIA
Após a cirurgia:
- Doutor, sei que vocês médicos se vestem de branco. Mas por que essa luz tão forte?
- Meu filho, eu sou São Pedro.

ANÁLISES CLÍNICAS
- Doutor, o que eu tenho?
- Não sei, mas fique tranquilo, em caso de dúvida vamos descobrir na autópsia.

FARMÁCIA
Na farmácia, o sujeito entra a correr:
- Rápido, dê-me um remédio para diarreia.
Uma hora depois, o farmacêutico verifica que errou e entregou um forte calmante. Mais uma hora, volta o paciente.
O farmacêutico pergunta:
- Como você está?
- Todo cagado, mas calminho, calminho...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qui Out 01, 2009 2:28 pm

Arte de galanteria...

Isto do fácil não há sagrado a que se acolha;

Nada defende o que não se defenda, nem pode ser conquistado de nenhum ânimo generoso o que não custa.

As dificuldades apetecem por honra, as cousas por vício.

Nunca será perfeito galã o que servir por destino ou afeição, mas sim o que se prepare com o espírito.

Vai muito o eleger pela luz do entendimento ou o seguir pelas trevas da locura.

Sempre se há-de buscar a dama mais atilada que sabe buscar ocasiões para que a conheçam e tirá-las ao tolo para que a ignorem.

Não actue logo à primeira.

Estude devagar os erros e acertos...

(D.Francisco de Portugal)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Ter Out 06, 2009 4:49 pm

A MELHOR FRASE PUBLICITÁRIA DO ANO:

Panadol é Paracetamol.
Viagra é Parapilamole.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qua Out 07, 2009 12:12 pm

O Cowboy da Meia-Noite...

John Schlesinger foi o realizador do filme de culto "O Cowboy da Meia-Noite", protagonizado por Dustin Hoffman e Jon Voight.

Recebeu em 1969, 3 Oscars: Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento Adaptado, além de ter recebido outras 4 indicações: Melhor Actor (Jon Voight e Dustin Hoffman), Melhor Montagem e Melhor Actriz Secundária (Sylvia Miles).

Ganhou o Globo de Ouro de Melhor Revelação Masculina (Jon Voight), além de ter sido indicado nas seguinte categorias: Melhor Filme - Drama, Melhor Realizador, Melhor Actor - Drama (Dustin Hoffman e Jon Voight), Melhor Actriz Secundária (Brenda Vaccaro) e Melhor Argumento.

Ganhou o Prémio OCIC, no Festival de Berlim.

Curiosidades sobre este filme:

Dustin Hoffman usou pedras num sapato durante toda filmagem para que o seu personagem (que é coxo) ficasse convincente em todas as cenas.

Foi o único filme classificado como "X" nos EUA a vencer o Oscar de Melhor Filme. Após ter sido premiado a sua classificação mudou para "R".

A participação de Sylvia Miles é a mais curta jamais indicada para o Oscar. Ela aparece em cena apenas 6 minutos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qui Out 08, 2009 6:13 pm

O dia dos Namorados...

O império romano era governado por Claudius II e corria o ano 270.

Envolvido em campanhas militares sangrentas, o imperador começou a encontrar dificuldades na recruta de mais homens.

Convencido de que tais dificuldades vinham dos rapazes não quererem apartar-se das namoradas, amantes e mulheres, o imperador foi às do cabo e proibiu noivados e casamentos.

Mas, a menos de cem quilómetros de Roma, em Terni, o Bispo, valente e amigo do amor, continuou a noivar e a casar os jovens apaixonados.

Claudius condenou-o à morte.

Foi decapitado em 14 de Fevereiro.

Era o Bispo Valentim.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Seg Out 12, 2009 2:21 pm

A Anorgasmia

A anorgasmia não é nada mais, nada menos, do que a inibição frequente do orgasmo, mesmo após uma fase de excitação normal.

Embora não seja considerada, pela maioria dos especialistas, uma doença, é uma disfunção sexual, que aflige muitas mulheres da nossa sociedade.

Existem três tipos de anorgasmia:

A primeira, denominada de anorgasmia primária, sucede no caso de mulheres que nunca conheceram o orgasmo.

A anorgasmia secundária é quando a mulher, depois de uma fase de orgasmos normal, deixa de os conseguir alcançar de forma sistemática.

Finalmente, a anorgasmia situacional acontece quando a mulher só chega ao orgasmo em determinadas circunstâncias, como na masturbação.

Traumatismos ou problemas na área vaginal podem ser algumas das causas orgânicas que inibem o orgasmo. Contudo, são os motivos psicológicos os grandes culpados da anorgasmia: uma gravidez recente, tabus, vergonhas, falta de conhecimentos sexuais, depressão, tensão corporal e o facto de na actual sociedade portuguesa continuar a predominar uma cultura fechada para a sexualidade podem ser alguns exemplos.

Estudos:

40% das mulheres sofrem de alguma disfunção sexual e a falta de desejo é a mais usual.

A anorgasmia tem cura, com uma eficácia que ronda os 95%, sendo fundamental a cooperação do casal, sobretudo a da mulher.

Apenas cerca de 5% dos casos de anorgasmias têm causas orgânicas pois este problema deve-se, na sua maioria, a causas psicológicas.

Fonte: Correio da Manhã
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Sab Out 17, 2009 8:48 pm

Dicionário Inglês/Madeirense...

CAN'T
Significa que não está frio
Exemplo: O café está can't.

CAN
Usado por quem sofre de amnésia
Exemplo: Can sou eu?

TO SEE
Onomatopeia que representa tosse
Exemplo: Eu nunca to see tanto na vida.

CREAM
Significa roubar, matar
Exemplo: Ele cometeu um cream.

DARK
Significa generosidade,dar
Exemplo: É melhor dark receber.

ICE
Expressão de desejo
Exemplo: Ice ela me beijasse!

MAY GO
Pessoa dócil, afável
Exemplo: Ele é muito may go!

MONDAY
Vocábulo usado para ordenar
Exemplo: Ontem monday lavar o carro.

MUST GO
Significa mastigar
Exemplo: Ele colocou a pastilha na boca e must go.

NEW
Sem roupa
Exemplo: ele saíu de casa new.

PART
Lugar para onde mandamos as pessoas
Exemplo: Vá para o raio que o part!

PACKER
Prefixo que indica bastante
Exemplo: Eu gosto dela packer-amba!

PAINT
Artefacto para pentear o cabelo
Exemplo: Empresta-me o paint !

RIVER
Pior que feio
Exemplo: Ele é o river.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Seg Out 19, 2009 12:47 pm

O Theobroma...

"Theobroma" era o nome dado pelos gregos ao "alimento dos deuses", o chocolate.
"Theobroma cacao" é o nome científico do chocolate., e quem o baptizou assim foi o botânico sueco Linneu, em 1753.

Mas foi com os Maias e os Astecas que essa história começou.

O chocolate era considerado sagrado por essas duas civilizações, tal qual o ouro.

Chegou à Europa por volta do século XVI, tornando rapidamente popular aquela mistura de sementes de cacau torradas e trituradas, junto com água, mel e farinha.

Deve referir-se, que o chocolate foi consumido, em grande parte de sua história, apenas como uma bebida.

Em meados do século XVI, acreditava-se que, além de possuir poderes afrodisíacos, o chocolate dava poder e vigor aos que o bebiam. Por isso, era reservado apenas aos governantes e soldados.

Aliás, além de afrodisíaco, o chocolate já foi considerado um pecado, remédio, ora sagrado, ora alimento profano. Os astecas chegaram a usá-lo como moeda, tal o valor que o alimento possuía.

Chega o século XX, e os bombons e os ovos de Páscoa são criados, como mais uma forma de estabelecer de vez o consumo do chocolate no mundo inteiro.

É tradicionalmente um presente recheado de significados.

E não é só gostoso, como altamente nutritivo, um rico complemento e repositor de energia.

PS - Agora para impressionar, pode dizer à sua companheira: Minha Theobroma...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Ter Out 20, 2009 12:41 pm

Os sonhos...

Os sonhos continuam um mistério, no entanto já se sabem muitas coisas:

Os cegos também sonham.
Pessoas que se tornaram cegas após o nascimento podem ter sonhos com imagens. Pessoas que nasceram cegas não vêem quaisquer imagens, mas também têm sonhos vividos envolvendo os outros sentidos como sons, cheiros, toques e emoções. É difícil para uma pessoa que vê imaginar, mas a necessidade de sono é tão forte que o corpo é capaz de lidar com praticamente todas as situações físicas para que isso aconteça.

Esquecemos 90% dos nossos sonhos.
Depois de 5 minutos acordados, esquecemos metade dos sonhos. O famoso poeta, Samuel Taylor Coleridge, acordou numa manhã, depois de ter tido um sonho fantástico - pegou uma caneta e papel e começou a escrever a "visão de um sonho", o qual se tornou-se um dos mais famosos poemas ingleses: Kubla Khan. Parte do poema tinha sido escrito (54 linhas para ser mais exacto), quando ele foi interrompido por uma pessoa. Coleridge voltou ao seu poema, mas não se conseguia lembrar do resto do seu sonho. O poema nunca foi concluído.

Toda a gente sonha.
Todos os seres humano sonham (excepto em casos de extrema desordem psicológica), mas homens e mulheres têm diferentes sonhos e diferentes reacções físicas. Homens tendem a sonhar mais sobre outros homens, enquanto as mulheres tendem a sonhar igualmente sobre os homens e as mulheres. Além disso, tanto os homens como as mulheres relacionaram reacções físicas aos seus sonhos mesmo que ele não seja sexual; os homens costumam ter erecções e as mulheres aumentam o fluxo de sangue vaginal.

Sonhar previne psicose.
Num recente estudo, os alunos que foram acordados no início de cada sonho, mas ainda conseguiram dormir por mais 8 horas, enfrentaram dificuldade de concentração, irritabilidade, alucinações e sinais de psicose depois de apenas 3 dias. Quando finalmente foi permitido o seu sono, recuperando o tempo perdido, aumentaram consideravelmente o percentual gasto na primeira fase.

Nós só sonhamos com o que conhecemos.
Os nossos sonhos estão frequentemente cheios de rostos estranhos - sabias que a tua mente não está a inventar esses rostos? - são rostos de pessoas reais, que viste durante a tua vida, mas não te consegues lembrar. O assassino do teu último sonho pode ser o tipo que abasteceu o carro do teu pai quando ainda eras criança.
Todos nós já vimos centenas de milhares de rostos durante as nossas vidas, por isso, temos uma infinidade de personagens para o nosso cérebro utilizar durante os nossos sonhos.

Nem todos os sonhos são coloridos.
12% da população sonha exclusivamente a preto e branco. O restante da população sonha com todas as cores. As pessoas também tendem a ter temas comuns em sonhos, como: escola, correr devagar/no lugar, experiências sexuais, cair, chegar tarde demais, uma pessoa que está viva - aparecendo morta, dente a cair, voar, num acidente de carro, etc.
Ainda não é conhecido se o impacto de um sonho relacionado à violência ou à morte é mais emocional para uma pessoa que sonha a cores do que aquela que sonha a preto e branco.

Os sonhos não são exactamente sobre o que eles são.
Os sonhos falam numa língua profundamente simbólica. A mente, inconsciente, tenta comparar o seu sonho a algo mais, que é semelhante. Portanto, qualquer que seja o teu sonho, é provável que seja somente um símbolo.

Pessoas que deixam algum hábito têm sonhos mais vividos.
As pessoas que fumaram por um longo tempo, e pararam, relataram ter sonhos mais vividos do que o normal. Além disso, de acordo com o "Jornal de Anomalias Psicológicas", num grupo de 293 fumadores em abstinência entre 1 e 4 semanas, 33% relataram ter pelo menos 1 sonho em que estavam a fumar. Na maioria dos sonhos, os indivíduos eram capturados pelos próprios fumadores e sentiram fortes emoções negativas, como pânico e culpa.

Estímulos externos invadem os nossos sonhos.
Chamado "incorporação no sonho", é a experiência que a maioria de nós tem onde um som do mundo real é ouvido e incorporado no sonho, de alguma forma.

Estás paralisado enquanto dormes
Acredites ou não, o teu corpo está praticamente paralisado durante o sono. Segundo a Wikipédia, glândulas começam a fabricar uma hormona que as ajudam a induzir o sono e os neurónios enviam sinais à coluna espinal que fazem com que o corpo descanse e depois fique paralisado.

Curiosidades:
Quando alguém está a roncar, não está a sonhar.
Bebés não sonham até à idade de 3 anos.
Se acordares fora do REM (Rapid Eye Movement - Rápido Movimento dos Olhos) estás mais propenso a lembrar-te do sonho, do que se fores acordado durante um sono nocturno.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qua Out 21, 2009 1:00 pm

SABEDORIA JAPONESA...

O homem inconformado por não ter sorte com mulheres bonitas, vai procurar um grande sábio japonês!

- Mestre, o que é preciso para eu conseguir uma mulher linda e gostosa?

E o sábio responde:

- É preciso o karatê, né?!

O homem não entendendo direito, pergunta:

- Karatê, mestre?

- Sim. É preciso o kara tê beleza, o kara tê cabeça, o kara tê carro, o kara tê grana...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Qua Out 21, 2009 9:06 pm

Amor gramatical...

Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador. Um substantivo masculino, com aspecto plural e alguns anos bem vividos pelas preposições da vida.

O artigo, era bem definido, feminino, singular. Era ainda novinha, mas com um maravilhoso predicado nominal. Era ingénua, lábia, um pouco à tona, um pouco ao contrário dele, que era um sujeito oculto, com todos os vícios de linguagem, fanático por leituras e filmes ortográficos.

O substantivo até gostou daquela situação. Os dois, sozinhos, naquele lugar sem ninguém a ver nem a ouvir. E sem perder a oportunidade, começou a insinuar-se, a perguntar, a conversar. O artigo feminino deixou as reticências de lado e permitiu-lhe esse pequeno índice.

De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro. Óptimo, pensou o substantivo, mais um bom motivo para provocar alguns sinónimos. Pouco tempo depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeçou a movimentar-se. Só que em vez de descer, sobe e pára exactamente no andar do substantivo.

Ele usou de toda a sua flexão verbal, e entrou com ela no seu aposento. Ligou o fonema e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma fonética clássica, suave e relaxante. Prepararam uma sintaxe dupla para ele e um hiato com gelo para ela.

Ficaram a conversar, sentados num vocativo, quando ele recomeçou a insinuar-se. Ela foi deixando, ele foi usando o seu forte adjunto adverbial, e rapidamente chegaram a um imperativo. Todos os vocábulos diziam que iriam terminar num transitivo directo. Começaram a aproximar-se, ela tremendo de vocabulário e ele sentindo o seu ditongo crescente. Abraçaram-se, numa pontuação tão minúscula, que nem um período simples, passaria entre os dois.

Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula. Ele não perdeu o ritmo e sugeriu-lhe que ela lhe soletrasse no seu apóstrofo. É claro que ela se deixou levar por essas palavras, pois estava totalmente oxítona às vontades dele e foram para o comum de dois géneros. Ela, totalmente voz passiva. Ele, completamente voz activa.

Entre beijos, carícias, parónimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais. Ficaram uns minutos nessa próclise e ele, com todo o seu predicativo do objecto, tomava a iniciativa. Estavam assim, na posição de primeira e segunda pessoas do singular. Ela era um perfeito agente da passiva, ele todo paroxítono, sentindo o pronome do seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular.

Nisto a porta abriu-se repentinamente. Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido tudo e entrou logo a dar conjunções e adjectivos aos dois, os quais se encolheram gramaticalmente, cheios de preposições, locuções e exclamativas.

Mas, ao ver aquele corpo jovem, numa acentuação tónica, ou melhor, subtónica, o verbo auxiliar logo diminuiu os seus advérbios e declarou a sua vontade de se tornar particípio na história. Os dois olharam-se e viram que isso era preferível, a uma metáfora por todo o edifício. Que loucura, meu Deus. Aquilo não era nem comparativo. Era um superlativo absoluto.

Foi-se aproximando dos dois, com aquela coisa maiúscula, com aquele predicativo do sujeito apontado aos seus objectos. Foi-se chegando cada vez mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo e propondo claramente uma menage-à-trois.

Só que, as condições eram estas: Enquanto abusava de um ditongo nasal, penetraria no gerúndio do substantivo e culminaria com um complemento verbal no artigo feminino.

O substantivo, vendo que poderia transformar-se num artigo indefinido depois dessa situação e pensando no seu infinitivo, resolveu colocar um ponto final na história. Agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, atirou-o pela janela e voltou ao seu tema, cada vez mais fiel à língua portuguesa, com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa conclusiva.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Sex Out 23, 2009 3:17 pm

Alguns pensamentos de Albert Einstein

Eu nunca penso no futuro: ele sempre chega em tempo útil.

Se eu anoto todas as minhas boas idéias? Bem, eu só tive uma...

Informação não é conhecimento.

A realidade é uma ilusão, se bem que persistente.

O ambiente é tudo menos eu.

O tempo serve para evitar que tudo aconteça simultaneamente.

Insanidade: fazer sempre a mesma coisa, esperando um resultado diferente.

A diferença entre estupidez e genialidade é que a genialidade tem limites.

Por mim, prefiro o vício discreto à virtude espalhafatosa.

Sábios resolvem problemas; gênios os evitam.

Política é para hoje; uma equação é para a eternidade.

Matemática pura é a poesia da lógica.

A lógica leva de A para B. A imaginação leva para qualquer lugar.

Nunca faça nada contra sua consciência, mesmo que o Estado exija.

Se o mundo é perigoso, a culpa não é de quem faz o mal, mas de quem não faz nada a respeito.

Nunca conseguiremos resolver nossos problemas com a mesma mentalidade que usamos para criá-los.

Uma vida só vale a pena se é vivida para os outros.

Não se esforce para ter sucesso, mas para ter valor.

Desenvolvimento intelectual deve começar com o nascimento e terminar com a morte.

Educação é o que resta depois que esquecemos o que aprendemos na escola.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Dom Out 25, 2009 9:31 pm

A ORIGEM DAS PALAVRAS - II

Embandeirar em arco
Significado: Manifestação efusiva de alegria.
Origem: Na Marinha, em dias de gala ou simplesmente festivos, os navios embandeiram em arco, isto é, içam pelas adriças ou cabos (vergueiros) de embandeiramento galhardetes, bandeiras e cometas quase até ao topo dos mastros, indo um dos seus extremos para a proa e outro para a popa. Assim são assinalados esses dias de regozijo ou se saúdam outros barcos que se manifestam da mesma forma.

Cair da tripeça
Significado: Qualquer coisa que, dada a sua velhice, se desconjunta facilmente.
Origem: A tripeça é um banco de madeira de três pés, muito usado na província, sobretudo junto às lareiras. Uma pessoa de avançada idade aí sentada, com o calor do fogo, facilmente adormece e tomba.

Fazer tábua rasa
Significado: Esquecer completamente um assunto para recomeçar em novas bases.
Origem: A tabula rasa, no latim, correspondia a uma tabuinha de cera onde nada estava escrito. A expressão foi tirada, pelos empiristas, de Aristóteles, para assim chamarem ao estado do espírito que, antes de qualquer experiência, estaria, em sua opinião, completamente vazio. Também John Locke (1632 1704), pensador inglês, em oposição a Leibniz e Descartes, partidários do inatísmo, afirmava que o homem não tem nem ideias nem princípios inatos, mas sim que os extrai da vida, da experiência. «Ao começo», dizia Locke, «a nossa alma é como uma tábua rasa, limpa de qualquer letra e sem ideia nenhuma. Tabula rasa in qua nihil scriptum. Como adquire, então, as ideias? Muito simplesmente pela experiência.»

Ave de mau agouro
Significado: Diz-se de pessoa portadora de más notícias ou que, com a sua presença, anuncia desgraças.
Origem: O conhecimento do futuro é uma das preocupações inerentes ao ser humano. Quase tudo servia para, de maneiras diversas, se tentar obter esse conhecimento. As aves eram um dos recursos que se utilizava. Para se saberem os bons ou maus auspícios (avis spicium) consultavam-se as aves. No tempo dos áugures romanos, a predição dos bons ou maus acontecimentos era feita através da leitura do seu voo, canto ou entranhas. Os pássaros que mais atentamente eram seguidos no seu voo, ouvidos nos seus cantos e aos quais se analisavam as vísceras eram a águia, o abutre, o milhafre, a coruja, o corvo e a gralha. Ainda hoje perdura, popularmente, a conotação funesta com qualquer destas aves.

Verdade de La Palisse
Significado: Uma verdade de La Palice (ou lapalissada / lapaliçada) é evidência tão grande, que se torna ridícula.
Origem: O guerreiro francês Jacques de Chabannes, senhor de La Palice (1470-1525), nada fez para denominar hoje um truísmo. Fama tão negativa e multissecular deve-se a um erro de interpretação.
Na sua época, este chefe militar celebrizou-se pela vitória em várias campanhas. Até que, na batalha de Pavia, foi morto em pleno combate. E os soldados que ele comandava, impressionados pela sua valentia, compuseram em sua honra uma canção com versos ingénuos:
"O Senhor de La Palice / Morreu em frente a Pavia; / Momentos antes da sua morte, / Podem crer, inda vivia."
O autor queria dizer que Jacques de Chabannes pelejara até ao fim, isto é, "momentos antes da sua morte", ainda lutava. Mas saiu-lhe um truísmo, uma evidência.
Segundo a enciclopédia Lello, alguns historiadores consideram esta versão apócrifa. Só no século XVIII se atribuiu a La Palice um estribilho que lhe não dizia respeito. Portanto, fosse qual fosse o intuito dos versos, Jacques de Chabannes não teve culpa.

Nota: Em Portugal, empregam-se as duas grafias: La Palice ou La Palisse.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anarca



Mensagens : 13405
Data de inscrição : 02/06/2009

MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   Seg Nov 16, 2009 11:10 pm

Aprendendo a ser médico...

Numa faculdade de medicina, o professor diz:
Os médicos têm que aprender duas coisas importantes:
1º - A ter muita atenção!!!
2º - A não ter nojo de nada. Por isso, vamos fazer um teste.
Trouxeram um cadáver e o professor enfiou o dedo no ânus do morto, depois lambeu-o, e mandou todos fazerem o mesmo...
Todos se entreolharam, com cara de nojo, mas fizeram o mesmo.
Depois de todos lamberem o dedo, o professor disse:
Optimo! Nojo vocês não têm.
Agora só falta a atenção, porque eu enfiei um dedo e lambi o outro!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: MOMENTO DE CULTURA...   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
MOMENTO DE CULTURA...
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 3 de 10Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte
 Tópicos similares
-
» .Momento de reflexão .....Veja a hierarquia Jorge Couri no Brás
» Saudação com a Santa Paz de Deus ou santa paz do Senhor - quando e em que momento devemos negar??
» (Tiago 4:7) Se levante nesse momento e declare sua vida abençoada, cheia do poder de Deus
» ORE DEUS QUER TE OUVIR!!!
» NO MOMENTO, NO TCM!! Os Pioneiros 4 TEMPORADA! COMENTE AQUI

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A LIBERDADE É AMORAL :: E O VERBO SE FEZ PALAVRA...-
Ir para: